Como é o passeio bate-volta para Cabo de Santo Agostinho (PE)

postado por Marcelle Ribeiro em 23/10/2016
Compartilhar este artigo:

Localizada entre Recife e Porto de Galinhas, a cidade de Cabo de Santo Agostinho atrai turistas pela praia de Calhetas, uma das menores do estado, que tem formato de coração quando vista do alto. É um passeio de bate-volta de 1 dia, oferecido tanto pelas agências de turismo da capital pernambucana quanto pelas de Porto. O tour sempre inclui uma parada em mirantes para ver outros pontos do litoral.

De Porto de Galinhas até lá, levei cerca de 1h. Chegando na cidade, eu e outros turistas que estavam no ônibus da agência passamos para buggys. Mais uns minutinhos e chegamos em um mirante de onde pudemos ver a cor azul linda do mar de Cabo de Santo Agostinho, na praia do porto de Suape.

IMG_7118

Buggys estacionados no mirante de Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

IMG_7120

Porto de Suape e mar lindão de Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Visitamos dois mirantes, de onde pudemos tirar belas fotos.

IMG_7128

Vista de mirante de Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Na sequência, seguimos para a igrejinha de Nazaré, que é bucólica, perto de um coqueiral bonito, mas que não está bem conservada. Ficamos uns 15 minutinhos lá e seguimos para a praia de Calhetas, a maior atração do dia.

Igreja de Nazaré, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Igreja de Nazaré, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Chegamos em Calhetas por volta das 10h30 e pudemos ficar lá até umas 14h30. A praia é bem menor do que eu esperava e é por isso que as agências só fazem esse roteiro em dias de semana (porque aos finais de semana e nos feriados, a faixa de areia lota!). O guia nos indicou o bar do Artur, que é um restaurante grande numa ponta da praia. Me pareceu a melhor opção da praia para comer e descansar, já que tem cadeiras e guarda-sol (inclusive na areia). O lugar é bonitinho, com bom atendimento.

Quem quiser, pode fazer tirolesa, que começa num mirante e termina na praia. O mar da praia de Calhetas é azul, mas nada impressionante. Achei as praias de Porto de Galinhas bem mais bonitas e gostosas de tomar banho. Calhetas tem algumas ondas na beira, e depois a água fica parada, mas batendo na altura do peito. Tem um trecho bem pequenininho que é mais adequado para crianças.

Mesmo o tal “formato” de coração não é tão legal quanto eu esperava, pois só tem esse visual quem para no mirante onde há a descida da tirolesa.

Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Foto: Marcelle Ribeiro.

 

A comida no Bar do Arthur é boa, mas também não é de grande destaque. Comemos peixe frito com arroz, feijão e fritas, que era para 2 pessoas, mas servia 3. Com um refri, a minha conta deu R$ 55.

 

Peixe frito do Bar do Artur, em Calhetas. Foto: Marcelle Ribeiro.

Peixe frito do Bar do Artur, em Calhetas. Foto: Marcelle Ribeiro.

De Calhetas, a Luck Receptivo*, agência com quem eu fiz o passeio, nos levou para um passeio de catamarã pelo porto de Suape. É a parte menos interessante do tour, porque o porto não tem atrativos bacanas. Não fiquei empolgada com as explicações sobre o porto, contêineres, etc. Paramos uns 20 minutos num banco de areia na praia, onde, na parte mais rasa, a água batia no meio das canelas, mas o banho não foi muito gostoso. É que ali tinha uns grânulos que ficavam grudando na pele, meio chato.

No catamarã tinha bebidas à venda e uns músicos ruins, que cantaram forró bem desafinados e estridentes ao microfone. Confesso que não entendi se eles foram contratados pela embarcação ou se pelo grande grupo de turistas que dividiu o catamarã com os turistas que vieram pela Luck. Melhor seria uma música mais calma e melhor executada, mais adequada para o pós-almoço.

O passeio de catamarã durou cerca de 2h. Chegamos em Porto de Galinhas por volta das 17h.

O resumo do dia é que o passeio para Cabo de Santo Agostinho é bom para quem curte variar de praia, mas está ciente de que Porto de Galinhas é mais bonito.

A Luck cobra R$ 150 pelo passeio, sendo que o buggy e o catamarã estão incluídos. Esse valor não inclui refeições.

 

*O Viciada em Viajar fez o passeio como cortesia da Luck Receptivo. O texto reflete a nossa real opinião.

 

Reserve sua hospedagem em Porto de Galinhas pelo Booking clicando aqui e ajude o blog a ganhar uma pequena comissão sem pagar nada a mais! (saiba como funciona essa parceria aqui)

Ao reservar o seu carro pelo portal Rentcars por esse link, você compara preços de várias locadoras, consegue descontos e colabora com o Viciada em Viajar.

 

Leia também:

O que fazer e sugestão de roteiro de viagem em Porto de Galinhas

Porto de Galinhas: quando ir, como chegar e onde ficar

Como é o passeio para a Ilha de Santo Aleixo, perto de Porto de Galinhas

Porto de Galinhas (PE): Onde comer e onde não comer

Índice de posts sobre Porto de Galinhas

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *