Marcelle Ribeiro

Marcelle Ribeiro, jornalista e viajante

Já acampei de mochila, barraca e saco de dormir. Já dividi banheiro com desconhecido na Europa (mas nunca o quarto!). Já fiquei em pousadinha simples na praia, mas também já fiquei em hotelão e em all-inclusive. Não posso saber que estarei de folga num feriado que já corro para os sites das companhias aéreas. Não curto muito excursão nem city tour e gosto de decidir quando e como vou fazer os passeios que quero.

Planejamento: Quantos dias em cada cidade?

8 de janeiro de 2012, por Marcelle Ribeiro

Uma das coisas mais difíceis de decidir e que vai determinar toda a sua viagem (não importa se você vai viajar dentro do Brasil, na Europa, ou em qualquer outro lugar) é a quantidade de dias que você deve passar em cada cidade que vai viajar.

Eu gosto de ir a um país e, se possível, ver todas as atrações que me interessam na cidade e, de preferência, nos arredores dela. É que sempre penso que dificilmente vou poder voltar ali, porque são tantas cidades e países que quero conhecer…

A primeira coisa a fazer é pesquisar o que te atrai na cidade que pretende visitar. Que atrações você quer ver? Mas será que dá tempo de ver 4 museus no mesmo dia? Para isso, eu sempre me baseio em roteiros de outros viajantes que leio em blogs. Para Atenas, onde vou nas próximas férias, por exemplo, todos os blogueiros e guias recomendam 2 dias, dizem que dá e sobra. Então, vou com a maioria.

Mas também penso no meu ritmo de viagem. Na primeira viagem que fiz à Europa, eu e meu marido fizemos um ritmo meio corrido, mas ainda assim, curtimos bastante. A gente sempre estava de pé, pronto para passear, às 9h, e andava até o sol cair (o que, no verão europeu, significa 22h). Em alguns momentos, exageramos na dose (a minha primeira visita a Londres, por exemplo, foi bem corrida).

Na segunda viagem à Europa, quisemos fazer um ritmo menos puxado e adicionei mais dias. Ficou mais tranquilo de fazer (a gente até voltava para cochilar no fim da tarde no hotel!), mas houve cidades em que não precisávamos de tanto tempo (como Amsterdã).

Outra coisa que aprendi é não contar com o dia de chegada e o dia de partida quando você está viajando para a Europa ou para outro local que exija um voo longo. Na primeira viagem que fizemos à Europa, nós chegamos de um voo de 14h em Berlim, fizemos check in e já saimos para ver museus. Resultado: a cara do meu marido nas fotos estava num desânimo só, ele nitidamente estava caindo de sono. Na segunda viagem à Europa, aprendi a lição. Chegamos em Amsterdã, dormimos à tarde e de noite estávamos dispostos o suficiente para dar uma volta na cidade.

Outra coisa: em dia de deslocamento interno pela Europa, em voos curtos, desconsidere uma parte do dia. Se o seu voo sai da cidade A para a cidade B de manhã, só conte com uma parte da tarde para conhecer a cidade B. Isso, é claro, se você chegar lá antes do almoço.

Vou colocando aqui, à medida em que eu for visitando as cidades, o tempo que acho necessário ficar em cada cidade, ok?

EUROPA

Barcelona: Fiquei 3 dias (a tarde de um, dois dias inteiros, e a manhã de outro dia). Deu para ver tudo que a gente queria, incluindo o Camp Nou e compras, num ritmo meio puxado. Mas eu colocaria mais meio dia para fazer compras com mais calma (lá vale muito a pena!).

Berlim: Fiquei 3 dias (a tarde de um, dois dias inteiros, e a manhã de outro). Deu para ver tudo que a gente queria em Berlim, incluindo uma visita ao campo de concentração nas redondezas. O ritmo de caminhada/ passeios foi médio.

Bruges: Fiquei um dia inteiro, a partir de um bate-volta de Bruxelas. Deu para ver tudo, com calma, sem nenhuma correria.

Bruxelas: Fiquei apenas o fim de uma tarde e uma manhã, e vi tudo que queria ver, sem nenhuma pressa.

Contrate seguro de viagem internacional com desconto na Mondial clicando aqui.

Reserve no Booking e ajude o blog.

Receba os posts por e-mail

Desconto no Seguro Viagem

Curta nossa fanpage