Devorando as delícias do mundo – Parte 2

postado por Marcelle Ribeiro em 05/03/2012 - Atualizado em: 17/11/2017
Compartilhar este artigo:

Resolvi dar uma pausa nos posts sobre Buenos Aires para colocar aqui a continuação da lista de comidas-deliciosas-que-meu-marido-devorou-nas-viagens. Com a palavra, Guilherme Calil:

“Como bom gordinho que sou, não poderia ficar apenas no primeiro prato… Quer dizer, no primeiro post. Por isso, esse é o segundo texto sobre as “comidas gordas” que eu comi ao longo de todas as viagens que fiz com a Marcelle pelo Brasil e pelo mundo.

Primeiro, passamos por Alemanha, Inglaterra, Holanda e Bélgica. Agora, vamos voltar a Bélgica e visitar Itália, Argentina e o Nordeste brasileiro.

Vamos por partes, ou melhor, por pedaços…

 

6 – Waffle na Bélgica

Se as batatas fritas belgas sofrem com a concorrência das holandesas, os waffles belgas são indiscutíveis! São os melhores do mundo, com cobertura de chocolate ou só com um pouco de açúcar em cima.

Eu não sei qual é o segredo para que os waffles belgas sejam tão bons, mas eles ficam fofinhos e não pesam na barriga (o que é bom, porque dá para comer mais!)

Eu e Marcelle devoramos alguns em apenas dois dias no país, mas o melhor que eu comi é um da Haagen-Dazs em uma lojinha perto da Grand Place. Estávamos andando por lá procurando uns chocolates, quando eu vi a lojinha e não resisti. Pedi um waffle com calda de chocolate e sorvete de macadâmia. Meu deus!!! É só observar a foto abaixo para você perceber a felicidade de um gordinho quando come uma coisa MUITO boa!

 

7 – Gelatto na Itália

Eu já tomei vários sorvetes muito bons, mas nenhum é igual aos que eu comi na Itália. Visitar o país e não tomar um sorvete por dia é como não visitar o Coliseu… E olha que eu tomei sorvete mesmo quando fiquei com uma sinusite braba que me obrigou a procurar antibiótico!

Eles são cremosos e doces na medida certa! Até onde sei, o segredo é usar mais leite e nata na fabricação. Desse jeito, ele não fica tão duro… Mas como ninguém tá aqui para saber os detalhes técnicos, vamos para a gulodice!

Em todas as cidades italianas é possível encontrar um bom sorvete, mas Florença é imbatível… Todos os sorvetes por lá são sensacionais! Eu experimentei várias lojas, como Grom e Gelateria La Carraia, e não me arrependi em nenhuma delas. Mas eu também tomei sorvetes em Roma, Veneza, Sorrento e em outras cidadezinhas e todos são bons…

Eu sou fanático por sorvete de baunilha (para desespero da Marcelle, que gosta de experimentar mais). Por isso, meus pedidos sempre tinham uma bola de baunilha e outra de algum outro sabor, geralmente Nutella. Vá por mim: vale a pena largar a dieta de lado e se esbaldar!

8 – Alfajores na Argentina

Eu adoro alfajor, principalmente com cobertura de chocolate. Não sou fã da cobertura de merengue, que acho muito doce. Pra mim, a melhor parte do alfajor é o recheio de doce de leite argentino, que é simplesmente o melhor do mundo!

Eu não resisto sempre que eu passo por uma loja da Havana em São Paulo e sempre quis visitar a Argentina para provar a delícia in loco…

Mas, antes de viajar, recebi uma dica de uma amiga para provar o Abuela Goye, uma marca de alfajor da Patagônia. A dica foi tão boa que eu comprei uma caixa para ela!

A receita é parecida com o alfajor da Havana, mas é menos doce, o que faz com que você tenha vontade de comer ainda mais…

Só me arrependo de uma coisa dessa viagem: eu deveria ter comprado mais do que os 4 alfajores que eu trouxe para o Brasil. Eu e Marcelle ficamos com medo de pegarem tudo na alfândega (como aconteceu com alguns amigos meus) e evitamos trazer coisas demais. A caixinha não durou nem uma semana aqui em casa… NHAM!

 

9 – Parrilla na Argentina

A viagem para a Argentina que fizemos em fevereiro foi, de longe, a mais gorda que eu já fiz! Ganhei a visita à Buenos Aires de presente de aniversário da Marcelle e o objetivo sempre foi comer a maior quantidade possível de carne e alfajor. Tanto que o roteiro das atrações foi definido de acordo com os restaurantes que escolhemos para conhecer.

Quem me conhece sabe que eu ADORO carne e os cortes argentinos são bons demais! Eles são bem diferentes dos brasileiros. O bife de chorizo, por exemplo, é o que eles chamam de contrafilé. Aqui no Brasil, essa carne vem com muita gordura e sempre sobra um nervinho… Lá não é assim. A carne é suculenta! Por isso, aproveitei os almoços para atacar bifes de chorizo, vacíos, bifes de tira e chorizos… Sem contar a provoleta, que é o queijo provolone derretido na grelha.

A carne derrete na boca e o maior desafio é continuar caminhando depois de se fartar. Foi bem difícil, viu?

Visitamos 3 parrillas nesta nossa viagem: A Gran Parrilla del Plata, a La Cabrera e a Miranda. Todas são excelentes. A Gran Parrilla é a mais em conta, mas o chorizo não é tão bom. Já a Miranda é a mais cara, mas tem o melhor chorizo. De qualquer maneira, um almoço para duas pessoas com entrada, prato principal e bebidas não sai por mais de 100 reais. Pra quem mora em São Paulo, isso é uma pechincha…

Parrilla em Buenos Aires.

Parrilla em Buenos Aires. Foto: Marcelle Ribeiro.

 

10 – Acarajé

Pra encerrar essa série de gulodices, não poderia deixar de fazer uma homenagem à Marcelle. Além de ser a minha esposa, foi ela quem me apresentou o acarajé, prato que eu faço questão de comer TODA vez que vou visitar os parentes dela em Salvador.

Quase todo mundo sabe o que é o acarajé: massa de feijão fradinho frita no azeite de dendê com recheio de camarão seco, vatapá, caruru e salada. Eu sempre dispenso o caruru e a salada e peço mais vatapá e camarão. Sabe como é, né? Gordo, quando pode, sempre evita salada…

O segredo para comer o acarajé é aproveitar enquanto ele ainda está quente. Assim, ele pesa menos. Quando esfria, a massa fica mais dura e não é tão gostoso.

Outra dica: quando estiver em Salvador, procure a baiana do acarajé na praia e peça para que ela coloque tudo separado em um prato, com o bolinho cortado. Assim, você monta mini-acarajés. Se a porção vier acompanhada de uma cervejinha gelada, não preciso de mais nada para curtir o sol da capital baiana…

Bom, esses são as 10 melhores comidas que provei ao longo das minhas viagens… Espero que vocês aproveitem essas dicas quando estiverem viajando e lembrem do gordinho aqui… Vou continuar colaborando com o blog e prometo adicionar novas iguarias quando voltar da Turquia, Grécia e Austria. Até lá!”

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Comentários

  1. Leidiane
    13 nov 2013

    Já gostei dos temas das postagens do marido kkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *