Manhã de palácio e jardins, tarde de música clássica em Viena

postado por Marcelle Ribeiro em 15/10/2012 - Atualizado em: 08/02/2019
Compartilhar este artigo:
viena-schonbrunn4

O lindo Palácio Schonbrunn, em Viena. Foto: Marcelle Ribeiro.

O nosso segundo dia de viagem em Viena, na Áustria, em 10 de junho, começou com a visita ao Palácio Schonbrunn. Eu sou louca por um palácio, tenho que confessar. E se o palácio tiver jardins lindos como esse, então…adoro! O local era a residência oficial de verão da família real e tem salões cheios de detalhes no estilo rococó, alguns bem suntuosos. Para ir até lá, tivemos que pegar o metrô, pois o palácio fica um pouco afastado da cidade.

Você pode fazer vários tipos de roteiro no palácio e dependendo do que quiser conhecer, paga um preço.

O Imperial Tour dá direito a ver 22 salas e quartos do palácio, em aproximadamente 35 minutos, com audioguia, a 10.50 euros por pessoa. Na verdade, você pode até levar mais tempo fazendo a visita, porque ela é com audioguia e não com guia mesmo.

Procurando hotel? O Booking  tem opções para todos os bolsos. Reserve por  esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.
viena-schonbrunn3

Chafariz no jardim de Schonbrunn. Foto: Marcelle Ribeiro.

O Grand Tour permite ver 40 salas (as mesmas 22 do Imperial Tour mais outras 18) e aposentos imperiais com audioguia, e a visita costuma durar 50 minutos, por 13,50 euros. Quando você compra o Sissi Ticket (combo que dá direito ao Complexo Hofburg, Palácio Schonbrunn e Coleção de Móveis Imperiais), você tem direito a fazer o Grand Tour.

viena-schonbrunn2

Schonbrunn tem jardins incríveis. Foto: Marcelle Ribeiro.

Tanto o Imperial Tour quanto o Grand Tour dão acesso à maior parte dos jardins do palácio, que são lindos (e são a única atração em que se permite fotografias). Há também outros ingressos que permitem visitar algumas áreas específicas dos jardins, mas não compramos (saiba tudo sobre os ingressos no site oficial, aqui).

viena-schonbrunn5

Roseiral no jardim de Schonbrunn. Foto: Marcelle Ribeiro.

Voltamos para o centro de Viena a tempo de fazer a visita guiada à casa de ópera mais famosa da cidade, a Staatsoper, que no dia em que estivemos lá, aconteceria às 14h e às 15h. Comemos um sanduba e fomos para a porta da Staatsoper, para garantir que conseguiríamos ingresso para a visita guiada das 14h. Chegamos lá às 13h20, se não me engano, e conseguimos as entradas.

Pensando em alugar um carro? Compare em mais de 100 locadoras com a Rentcars! Pague em reais, sem IOF e parcelado em até 12X!
viena-staatsoper

A bela fachada da Staatsoper. Foto: Marcelle Ribeiro.

A casa de ópera é linda, por fora e por dentro. Na Áustria, há uma forte tradição de música clássica e há casas de ópera espalhadas pela cidade toda. Nós até pensamos em ir assistir a uma apresentação, mesmo não sendo o nosso tipo de música preferido. Eu nunca assisti a uma ópera e tenho curiosidade de ver como é. Mas para assistir a uma ópera na Staatsoper ou você compra ingressos com meses de antecedência (os mais baratos, a partir de 12 euros, se esgotam rápido), ou fica horas na fila para conseguir uma vaga na parte do teatro que é destinada ao público que ficará em pé (sem pagar nada por isso). Com dois meses de antecedência, olhei os ingressos na internet e só estavam disponíveis aqueles que custavam mais de 80 euros por pessoa (sem chance!). Ficar horas na fila para depois ter que assistir ao espetáculo em pé não era opção também.

A gente até podia ter visto uma ópera em outro teatro que não o Staatsoper, mas não me animei. Em Viena, em frente a todos os pontos turísticos há vendedores de ingresso fantasiados oferecendo tíquetes baratos para alguma apresentação na cidade. Mas não sei se os shows são de boa qualidade… Preferi não arriscar.

Por isso, fomos à Staatsoper apenas para fazer a visita guiada, num horário em que não acontecem apresentações. Assistir a uma ópera ficou para uma próxima viagem!

Seguro saúde viagem internacional: escolha entre as melhores operadoras e pague com 5% de desconto! Atendimento 24h em português!
viena-staatsoper2

Um dos muitos lustres lindos da Staatsoper. Foto: Marcelle Ribeiro.

Mas a visita guiada definitivamente vale a pena. O tour dura cerca de 40 minutos e você conhece detalhes das salas onde o público espera o início do espetáculo, estátuas, camarotes, palco, enfim… muita coisa legal.

viena-staatsoper3

O palco e os camarotes da Staatsoper. Foto: Marcelle Ribeiro.

Após a visita guiada, almoçamos na região e fomos novamente na Catedral de Santo Estevão, pois eu queria  chegar mais perto do altar. É que no dia anterior não conseguimos ver a igreja direito, porque estava tendo missa e eles limitam o acesso a uma parte mínima da nave. Passamos lá rapidinho e tiramos umas fotos.

Fomos então para uma atração que não indico, apesar de sair de graça para quem faz a visita guiada na Staatsoper: o Vienna State Opera Museum. É um micromuseu com uns painéis sobre músicos e artistas de ópera e um punhado de roupas antigas usadas em espetáculos. Ficamos uns 10 minutos lá, no máximo.

Passeio guiado de 1 dia e ingressos sem fila? Contrate aqui!

Já que a tarde estava sendo dedicada à música clássica, fomos conferir uma atração que prometia interatividade com a música, o museu e centro cultural Haus der Musik.

Ele é interessante, mas acho que fui com muitas expectativas e me frustrei um pouco. A parte interativa explica os sons sob o ponto de vista da ciência (como as ondas sonoras se propagam, frequência, etc) e foi bem chata, além de difícil de entender.

A parte mais legal é um andar onde há várias salas explicando um pouco da vida dos músicos clássicos que nasceram ou viveram na Áustria, como Mozart. Essa parte é legal, mas não é muito interativa. E o visitante tem que ter paciência para ler os textos explicativos.

O ponto alto da visita é a parte em que você brinca de reger uma orquestra. Com uma batuta (vareta) que é sincronizada com um telão através de um computador, o visitante mexe os braços e “rege” os músicos. E se você estiver fazendo muita coisa errada, os músicos reclamam da sua falta de habilidade! Muito engraçado!

viena-haus-musik

Gui brincando de reger orquestra no Haus der Musik. Foto: Marcelle Ribeiro.

Nesse dia, ainda tentamos assistir a uma ópera de graça, mas a chuva nos impediu. É que na primavera, as apresentações que rolam na Staatsoper são transmitidas ao vivo para um telão que fica na fachada da casa de ópera e o público pode assistir do lado de fora, em pé ou sentado no chão e em cadeirinhas. Mas estava chovendo muito e não conseguimos ver.

Palácio de Schonbrunn:
http://www.schoenbrunn.at/en.html
Preços: A partir de 10,50 euros. Mais informações: http://www.schoenbrunn.at/en/plan-your-visit/tickets-tours.html.
Horário de funcionamento: Abre todos os dias às 8h30. O horário em que o palácio fecha varia de acordo com a época do ano. De primeiro de abril a 30 de junho e de primeiro de setembro até 31 de outubro, funciona até às 17h30. De primeiro de julho a 31 de agosto funciona até às 18h30. E de primeiro de novembro a 31 de março, até às 17h.
Endereço: Schönbrunner Schlossstrasse 47, Viena. Fica perto da estação de metrô Schloss Schonbrunn.

Staatsoper:
http://www.wiener-staatsoper.at/Content.Node/home/Startseite-Content.en.php
Preço da visita guiada: 6,50 por pessoa. Você paga na hora na bilheteria, não tem como comprar adiantado. E a bilheteria só abre uns 40 minutos antes do horário do início da visita.
Horários das visitas guiadas: Variam de acordo com o dia do ano. Você tem que ficar de olho na programação no site http://www.wiener-staatsoper.at/Content.Node/home/opernhaus/fuehrungen/Termine.de.php, mas eles só disponibilizam o horário com mais ou menos 45 dias de antecedência.
Endereço: Goethegasse 1 – 1010 Wien. Perto do metrô Karlsplatz.

Haus der Musik:
http://www.hausdermusik.at/en
Preço: Adultos pagam 11 euros, crianças têm desconto.
Horário de funcionamento: Funciona das 10h às 22h.
Endereço: Seilerstätte 30, 1010 Vienna. Fica perto das estações do metrô Karlsplatz e Stephansplatz.

Veja a lista com todos os posts sobre a Áustria

 

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *