Sul da Itália – Pompéia e Nápoles

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 06/09/2019

Resolvi escrever logo, para matar a curiosidade da família, como foi a nossa última semana na Itália. Vou deixar para ampliar o post sobre a Toscana depois e vou agora lembrar os nossos dias no Sul da Itália.

A chegada ao Sul da Itália foi inspirada num roteiro do blogueiro Ricardo Freire, mas o primeiro dia foi mais punk do que eu pensava. No dia 12 de maio, pegamos um trem rápido que saiu de Florença (na região da Toscana) às 7h e chegou em Nápoles Central (no Sul) às 10h. Para ter mais tempo para curtir a região, resolvemos deixar as malas no aeroporto de Nápoles (o depósito de bagagens fica perto da plataforma 5).

Na mesma estação de Nápoles, pegamos o trem (detonado, da empresa Circumvesuviana) para Pompéia, depois de comprar um bilhete que nos deu direito a circular em Nápoles e Pompéia, de trem e metrô, por todo o dia (o bilhete se chama Biglieto Giornaliero U3 e custou 8,40 euros por pessoa).

Depois de 40 minutos chacoalhando no trem, saltamos na estação Pompéia Scavi – Vila dei Misteri. Já era meio-dia. Comemos um biscoito, compramos ingressos no Sítio Arqueológico de Pompéia (11 euros cada), alugamos dois audioguias (indispensáveis – 5 euros cada) e lá fomos nós, ver o que sobrou da cidade que foi soterrada pela lama vulcânica e cinzas do Vesúvio em 79 (isso mesmo, há quase 2 mil anos).

Só que estava fazendo um sol e um calor absurdos e andar ali não é moleza. Comemos pó várias vezes, e nem com o mapa que nos deram a gente conseguiu se entender 100%.

Mas valeu a pena o sacrifício e o cansaço. Vimos os corpos petrificados (ao lado do Fórum e na casa 56), o Fórum, os antigos restaurantes, a Casa do Fauno (uma casa de nobres), os teatros, e, um dos lugares mais legais, o Lupanário (um dos bordéis da cidade, com direito a cama de pedra e desenhos de posições eróticas). Passamos 3 horas andando por lá. Vimos também o vulcão Vesúvio, que, de lá, nem parece um vulcão, parece um morro qualquer.

Corpos em Pompéia após a erupção. Foto: Marcelle Ribeiro.

Corpos em Pompéia após a erupção. Foto: Marcelle Ribeiro.

Além disso, estão no Museu Arqueológico de Nápoles esculturas enormes, em mármore, lindíssimas, como uma de Hércules, e a impressionante “O Touro Farnese”, retirada das Termas de Caracalla, em Roma.Lá mesmo, “almoçamos” um sanduba numa lanchonete e pegamos o trem de novo, desta vez para Nápoles, para ir ao Museu Nacional Arqueológico da cidade.

O museu é muito interessante e vale a visita. Lá estão várias obras de arte encontradas nas escavações de Pompéia, inclusive as obras eróticas. Sabia que para eles o “pinto” era considerado um objeto de sorte? Eles faziam amuletos com o órgão masculino.

O Touro Farnese, no Museu de Nápoles. Foto: Marcelle Ribeiro

O Touro Farnese, no Museu de Nápoles. Foto: Marcelle Ribeiro

A roubada do dia foi andar em Nápoles à procura de uma pizzaria famosa e secular, a da Michelle, que apareceu no filme “Comer, rezar e amar” e foi indicada por blogs de viagem (fica na Via Cesare Sersale, 1/3 – angolo Via P. Colletta).

Até então, apesar de a gente ter chegado de trem em Nápoles e ter ido ao Museu Arqueológico, nós nem tínhamos colocado a cara na rua de Nápoles, porque só ficamos pulando de estação de trem para estação de metrô. E para ir à tal pizzaria a gente teve que andar pelas ruas imundas de Nápoles.

A cidade é horrível e caótica. Pilhas e pilhas de lixo por todos os lados, gente mal encarada. Eu já tinha ouvido falar da violência lá (onde a máfia ainda reina) e fiquei apavorada, apesar de nada ter acontecido com a gente.

O problema é que a gente se perdeu para chegar na pizzaria, que, no final das contas, tinha uma pizza bem mais ou menos, chicletenta, com molho e queijo meio aguados.

E depois tivemos que andar de novo, até a estação Nápoles Central/Garibaldi, onde pegamos as malas no depósito de bagagem e um trem para Sorrento (tivemos que pagar um “complemento de passagem de trem”, para ir de Nápoles a Sorrento, que custou 2,10 euros por pessoa. O nome do bilhete é Extraurbano E3 – 100 minuti). Sorrento é um balneário italiano a uma hora de Nápoles onde ficamos hospedados. Nem precisa dizer que chegamos em Sorrento exaustos, né? E Gui, ainda por cima, estava com sinusite.

Leia também:

Comentários

  1. Anonymous
    09 abr 2012

    VOU VISITAR A COSTA AMALFITANA NO INICIO DE JUNHO/12. ALUGUEI UM CARRO EM NAPOLES POR 4 DIAS PARA IR A SORRENTO E DEPOIS ATÉ SALERNO PASSANDO POR POSITANO E AMALFI. VC ACHA UM BOM PROGRAMA??

  2. 12 abr 2012

    Não conheço Salerno e pelo que pesquisei sobre a Costa Amalfitana, Salerno não me chamou muito a atenção.
    Quatro dias está bom para a Costa Amalfitana. No primeiro dia, fique em Sorrento. No segundo dia, vá a Amalfi e Ravelo. No terceiro, vá a Positano. E no quarto, deixe o carro estacionado (ou devolva o carro) e pegue o barco para Capri. Deixe Positano e Capri pros últimos dias, porque são os locais mais bonitos (e se você conhecê-las primeiro, as outras nãi vão ter tanta graça).
    Abraço,
    Marcelle

  3. Anonymous
    14 maio 2012

    Marecelle, estamos embarcando agora em Junho e pelo que li de seus comentarios estou achando mto tempo nossa estadia, 1 dias em Napoles, 1 dia em Sorrento, 2 dias em Capri e 2 dias em Positano e encerrando 4 dias em Roma, o que achas…

  4. 15 maio 2012

    Eu tiraria um dia em Capri. Não tem muito o que fazer lá… Em um dia você vê o mais legal. E dependendo do seu ritmo, Roma dá para fazer em 3 dias. Nas outras cidades, a quantidade de dias está legal. Num dos dias de Positano, dê um pulinho em Ravelo, para ver o visual da Costa Amalfitana do alto.
    ABraço.

  5. MariaPok
    03 jun 2012

    Uma dúvida está me consumindo: dá para deixar uma mala beeem grande na estação de trem? Com isso funciona? É um armário?
    Obrigada.

  6. 18 jun 2012

    MAria,
    Na estação de trem de Nápoles, o guarda-mala era, na verdade, uma sala cheia de prateleiras e um funcionário que guardava as malas e ficava lá. Então caia qualquer tipo de mala, porque ele podia deixar as malas no chão, entende? Mas não sei se nas estações de outras cidades o esquema é como esse ou se eles têm um armário, em que se coloca moedas, e tal.
    Abraço,
    Marcelle

  7. Lucia Cino
    19 jun 2012

    que pena que vc ficou com essa impressao de Napoli, vc visitou alguns lugares que realmente nao sao tao bonitos, sao sujos e perigosos como existe em tantas cidades em outros paises (nossa cracolandia aqui em Sao Paulo, estacao da Luz a noite,…)
    mas Napoli tem lugares maravilhosos para se conhecer, restaurantes com comidas pra todos os gostos, um povo divertido, amavel…eh uma cidade maravilhosa
    e falar que Capri eh lindo mas nao tem o que fazer e que um dia basta!!!
    que pena que vc nao saiu de la sem conhecer direito aquela ilha incrivel!!
    desculpe o comentario mas eh legal conhecer as cidades sem esse olhar de turista indo a lugares “famosos” como esse restaurante ao inves de se informar com moradores locais e ir aos lugares certos

  8. Anonymous
    20 jun 2012

    Obrigada, Marcelle! Agora fico mais tranquila em levar uma mega mala para Napoli.
    bjs,
    MariaPok

  9. Marcos Silva
    09 jun 2013

    Marcelle, bom dia…
    Muito interessante este seu site. Obrigado. Bem, vou fazer umas perguntas e se você puder me ajudar eu agradeço. Estou indo com um amigo para a Itália e chego em Nápoles as 10h00, la ficarei em um albergue bem recomendado, e estamos pensando em a tarde irmos em uma excursão para ver o Vesúvio. No dia seguinte pretendemos passar o dia na Ilha de Capri, e no dia seguinte seguiremos para Roma a tarde, porém durante a manhã pretendemos ir até Pompeia e voltarmos. Minhas duvidas são as seguintes, a estação Nápoles Central possui algum tipo de guarda-volume? Você acredita que se formos para Pompeia bem cedo, por volta de umas 8h00 conseguiríamos estar de volta para pegarmos um trem as 15h00 para Roma? Grato

    • 09 jun 2013

      Oi, Marcos,
      Antes de viajar, cheque os horários em que saem as excursões para o Vesúvio. Se não me engano, esse é um passeio de dia inteiro. Verifique se realmente é possível fazê-lo no dia de sua chegada, pois você vai perder algum tempo para fazer o check in no albergue antes de ir para o Vesúvio.
      A estação de trem de Nápoles tem guarda-volumes sim. Eu inclusive usei esse serviço quando estive na Itália. Veja as informações no site oficial da estação de Napoli Centrali – http://www.napolicentrale.it/en/service/detail/deposito-bagagli/ Fica no andar térreo, perto da plataforma 5 (procure pela expressão “Deposito Bagagli”). Custa 5 euros pelas primeiras cinco horas, 0,70 centavos por hora da sexta à 12a hora e depois da 12a hora, 0.30 centavos por hora. Abre todo dia, das 8h às 20.
      Quanto a Pompeia, no guia de viagem que tenho (aquele da Folha) diz que as escavações abrem às 8h30. Cheque se essa informação está atualizada. Se sim, dá para passar a manhã visitando Pompeia sim e depois pegar o trem para Roma. Nós passamos 3 horas andando em Pompeia e vimos bastante coisa. Sugiro que vcs deixem para almoçar dentro da estação de trem de Nápoles, pois perto de Pompeia não tem quase nada para comer.
      Abraço,
      Marcelle

  10. Marcos Silva
    18 jun 2013

    Marcelle, boa noite.
    Muito obrigado pelas dicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *