8 dicas para uma viagem à Amazônia

postado por Marcelle Ribeiro em 24/08/2016 - Atualizado em: 07/09/2018
Compartilhar este artigo:

Em junho desse ano, conheci um pouco da Amazônia e passei aqui para deixar umas dicas gerais que vão ajudar qualquer um que vá viajar para a região. Como fui a trabalho, em uma expedição com um grupo de biólogos, não tenho dicas de onde ficar, como chegar, quantos dias passar, etc. Eu viajei por uma semana em um barco, dormindo em rede, pelo Parque Nacional do Jaú, no Amazonas. Foi uma experiência super diferente de tudo que já vivi, com paisagens bonitas, mas também alguns perrengues. Para saber como evitá-los e aproveitar melhor, dê uma olhada na lista abaixo.

Parque Nacional do Jaú, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

Parque Nacional do Jaú, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

Parque Nacional do Jaú, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

Parque Nacional do Jaú, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

 

1 – Leve um repelente potente

Não adianta levar aqueles repelentes comuns a que estamos acostumados no resto do Brasil. Eles não fazem cócegas nos mosquitos da Amazônia. Uma marca que me foi recomendada e que usei foi o Exposis, que custa bem mais caro do que os “normais”, mas vale o investimento.

Não ponha repelente apenas na pele. Jogue jatos do spray nas meias, sapatos e na roupa de maneira geral. Não esqueça de usar repelente inclusive no rosto, orelha e mão. Na selva Amazônica, os mosquitos não respeitam nem os buracos dos nossos narizes nem os nossos olhos: entram em todos os lugares.

Cachoeira do Parque Nacional do Jaú, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

Cachoeira do Parque Nacional do Jaú, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

 Rio Negro, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

Rio Negro, no Amazonas. Foto: Marcelle Ribeiro.

 

2 – Leve uma loção para combater carrapatos

Não são apenas os mosquitos que atacam na selva Amazônica. Uma caminhada na mata pode fazer com que dezenas de carrapatos minúsculos se grudem à sua roupa (principalmente nas pernas) sem que você sequer perceba. Eles parecem grãos de areia de tão pequenos e alguns são até difíceis de enxergar. Todos os dias, quando voltar de uma caminhada ou passeio pela mata, use uma loção tipo Escabin durante o banho (siga as instruções da embalagem). Isso vai evitar que você fique com carrapatos ou até mesmo sarna (que pode ser transmitida em redes, por exemplo).

Ah, e não use novamente uma roupa que você usou no mato ou misture ela a outras roupas da sua mala. É que se houver carrapatos presos a ela, eles podem pular para outras roupas. Usou a roupa? Coloque ela num saco plástico.

 

3 – Leve roupa de sobra

O calor é absurdo na Amazônia e você vai querer tomar vários banhos por dia. Além disso, as caminhadas na mata podem sujar sua roupa. Leve peças de sobra.

Ah, sobre calçados: botinhas de trekking, de preferência de couro, são as melhores. Se puder levar também uma bota de borracha (daquelas “de pedreiro”) é bom.

 

4 – Leve uma farmacinha e tudo que você achar que vai precisar

Se você vai ficar hospedado na floresta (e não na capital) provavelmente estará a horas de barco de uma farmácia. Leve todos os remédios que pensar que pode precisar. Algumas dicas: para dor muscular, analgésico, para cólica, para gases, para intestino preso, para diarréia, para alergia a mosquitos (pomada e comprimido), antialérgico, remédio para enjoo e e curativos. Além de repelente, protetor solar e loção para carrapatos, claro.

 

5 – Use roupas claras e compridas

Eu sei, no calor absurdo da Amazônia, a gente quer mais é usar uma bermuda e uma camisa de manga curta. Nem pensar. Quanto mais o seu corpo estiver à mostra, mais provável será o ataque de mosquitos a ele. Use calças leves, daquelas tipo tactel e camisas de manga comprida daquelas de corrida (que ajudam a evaporar o suor). NÃO vá de roupas escuras: os mosquitos preferem elas às claras. E mesmo assim, já te aviso: os mosquitos às vezes furam as roupas e picam por cima delas. É, eles são terríveis.

 

6 – Use um mosquiteiro

Em alguns lugares da Amazônia é comum que morcegos mordam as pessoas durante a noite. Os mosquiteiros ou telas impedem não apenas os ataques de mosquitos, mas também de morcegos. Se você for dormir em rede em um barco, saiba que em Manaus é possível comprar mosquiteiro específico para colocar na rede, em formato especial.

Redes em barco: opção de "hospedagem" na Amazônia. Foto: Marcelle Ribeiro.

Redes em barco: opção de “hospedagem” na Amazônia. Foto: Marcelle Ribeiro.

Aliás, se você planeja dormir em uma rede em um barco, não esqueça de comprar uma cordinha para prender o mosquiteiro no teto da embarcação, para que a tela não fique muito em cima do seu rosto. E na hora de dormir, procure deixar sua mala em cima de uma cadeira. É que se chover durante a noite, a água da chuva vai entrar no barco e molhar a sua mala se ela estiver no chão.

Ah, e dormir em rede é bem melhor do que eu imaginava (e olha que eu tenho problema na cervical!). Prenda a sua rede o mais alto que você alcançar e ela ficará bem esticadinha, e a sua coluna ficará quase toda “deitadinha” como numa cama.

 

7 – Experimente a culinária local

Ir à Amazônia e não provar algumas das inúmeras espécies de peixes que existem lá é um absurdo. Os peixes são super saborosos e uma das maiores riquezas da região. Lá se consome também açaí e farinhas diferentes, além de mandioca e um guaraná mais doce. (Veja as dicas de onde comer em Manaus)

 

8 – Não perca o pôr do sol

Coisa mais linda é ver o sol se pôr na água de um rio amazônico. Se puder acordar cedo para ver ele nascer também, vale a pena.

Passeio de barco pelo Rio Negro. Foto: Marcelle Ribeiro.

Passeio de barco pelo Rio Negro. Foto: Marcelle Ribeiro.

 

Reserve sua hospedagem em Manaus pelo Booking clicando aqui e ajude o blog a ganhar uma pequena comissão sem pagar nada a mais! (saiba como funciona essa parceria aqui)

 

Leia também:

Dicas de bares e restaurantes em Manaus

Índice de posts sobre o Amazonas

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Comentários

  1. Marcela
    12 jul 2017

    Gostaria de dicas sobre hotéis e pousadas baratos na Amazônia e qual empresa de turismo mais em conta para chegar até lá?Moro no Paraná e meu sonho é conhecer Amazônia ????

  2. 16 mar 2018

    Marcelo, adorei suas dicas
    Muito útil para quem pretende fazer esta
    Viagem.
    Muito obrigado
    Valeu

  3. Erika Veras
    18 set 2018

    Marcelle, suas dicas são muito úteis! Estou ansiosa pela minha viagem à floresta em novembro! Forte abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *