Costa dos Corais (AL): Quando ir, como chegar e onde ficar

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 19/09/2019
Compartilhar este artigo:

Maragogi, Japaratinga, Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres formam a Costa dos Corais, uma parte do litoral brasileiro paradisíaca que muitos turistas ainda precisam conhecer melhor. O melhor de tudo é que a região fica próxima de Maceió e do Recife!

Para ajudar quem está planejando uma viagem para lá, é importante ficar atento à melhor época para visitar e também sobre as características de cada cidade.

A praia do Riacho é uma das maravilhas da Costa dos Corais. Foto: Marcelle Ribeiro

Procurando hotel? O Booking tem opções para todos os bolsos. Reserve por esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.

Quando ir

A melhor época do ano para conhecer a Costa dos Corais é entre setembro e fevereiro. Neste período faz calor e chove pouco. Outubro, novembro e dezembro são os melhores meses, com temperaturas mais altas e poucos dias de chuva. Como o vento é constante, o calor nas praias é amenizado pela brisa.

Entre março e agosto, a temperatura cai um pouco, mas o volume de chuvas aumenta bastante, especialmente entre abril e julho. Por essa razão, é melhor evitar essas datas.

Veja como é a temperatura e as chuvas mês a mês no site da Climatempo (Maragogi, Japaratinga e Porto de Pedras). Em São Miguel dos Milagres, o clima é parecido, mas a Climatempo não disponibiliza as médias históricas.

DESCONTO DE 5% no Esquenta Black Friday para aluguel de carro na Rentcars, com o cupom NOVEMBER. Vale até 30/11, com retirada do carro até 31/12! Compare preços de várias locadoras!

 

A praia do Toque é uma delícia. Foto: Marcelle Ribeiro

A praia do Toque é uma delícia. Foto: Marcelle Ribeiro

Como chegar

Os aeroportos mais próximos da região da Costa dos Corais são os de Recife e de Maceió, e as estradas estão em bom estado.

Saindo de Recife para Japaratinga (onde ficamos), a viagem de 140 quilômetros dura pouco mais de 2h30 pela BR-101 e pela PE-60 (até a divisa com Alagoas). Depois, esta rodovia se torna a AL-101 e basta seguir nela até Maragogi e Japaratinga. Já saindo de Maceió para Japaratinga, são cerca de 115 KM. Como voar para Recife saía mais barato para nós que para Maceió, compramos passagem para Recife. Veja se é o mesmo caso para você antes de comprar passagem.

Vista de parte da estrada entre Recife e Japaratinga. Foto: Marcelle Ribeiro

Vista de parte da estrada entre Recife e Japaratinga. Foto: Marcelle Ribeiro

Se você partir de Recife e seu destino for Porto de Pedras ou São Miguel dos Milagres, você precisa pegar uma balsa para atravessar o rio Manguaba, que fica entre Japaratinga e Porto de Pedras. Esse serviço custa R$ 14 e só funciona das 06h à 0h. Você paga por ele dentro da própria embarcação. Se você planeja pegar a estrada de madrugada, fique atento, pois não há balsas nesse horário.

Outro ponto importante sobre a balsa é que as filas podem ser grandes dependendo do horário. Então, se você for usar esse serviço, vá sabendo que você pode esperar 1 hora na fila para a travessia, que dura cerca de 20 minutos. Os horários de pico são das 9h às 11h30 e das 16h às 17h30.

A balsa entre Japaratinga e Porto de Pedras leva até 6 carros. Foto: Marcelle Ribeiro

A balsa entre Japaratinga e Porto de Pedras leva até 6 carros. Foto: Marcelle Ribeiro

A balsa não funciona durante a madrugada. Foto: Marcelle Ribeiro

A balsa não funciona durante a madrugada. Foto: Marcelle Ribeiro

Existe uma opção de rodovia para não usar a balsa, pegando a AL-101 pela cidade de Porto Calvo, mas ela aumenta o trajeto em mais de 1h30. Não usamos esta estrada, mas quem conhece a região diz que ela não está em boas condições e ainda tem um fluxo grande de caminhões de cana de açúcar.

Saindo de Maceió, são 115 quilômetros de viagem até Japaratinga pela AL-101 e pela AL-436, conhecida como Rota Ecológica. Sempre lembrando que existe a balsa no Rio Manguaba entre Porto de Pedras e Japaratinga.

O ideal é ir de carro para a região. Há poucos ônibus e, mesmo assim, eles não ligam todas as cidades. Sem alugar carro, você vai depender de vans e até mototáxi para se locomover. A gente sempre recomenda (e usa!) o portal Rentcars para alugar carro. Por ele, você compara preços de várias locadoras, consegue descontos e colabora com o Viciada em Viajar.

Sem carro, você vai precisar contratar agências de turismo para realizar passeios pela região. Mas a oferta é restrita.

 

Onde ficar

Maragogi, Japaratinga, Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres têm características parecidas: são cidades com poucas opções noturnas, praias paradisíacas e poucos restaurantes, que podem ser de pousadas (mais caros) ou na beira da praia (mais simples e baratos), mas comida deliciosa, especialmente os frutos do mar.

A principal diferença entre elas é o preço da hospedagem. Por serem mais conhecidas e as mais bonitas, Maragogi e São Miguel dos Milagres costumam ter hotéis e pousadas com diárias mais altas. Além disso, algumas pousadas mais caras ficam em praias com acesso mais restrito e oferecem serviços como guarda-sol, cadeiras e até de bebidas e petiscos.

Confira hospedagem em Maragogi, Japaratinga, Porto de Pedras ou São Miguel dos Milagres.

Nós escolhemos Japaratinga porque era um bom custo-benefício e, por ser centralizada, era fácil conhecer todas as outras cidades durante a nossa estadia. Ela fica a 11 quilômetros de Maragogi, a uma travessia de balsa de Porto de Pedras (que é vizinha) e a 24 quilômetros (incluindo a travessia de balsa) de São Miguel dos Milagres.

Quartos da Yapara-tiba têm ar condicionado. Foto: Marcelle Ribeiro

Quartos da Yapara-tiba têm ar condicionado. Foto: Marcelle Ribeiro

Em Japaratinga, nós ficamos na Pousada Yapara-tiba. Gostamos muito. Ficamos em um quarto grande, com uma cama enorme, ar condicionado, tv a cabo com vários canais e chuveiro quente.

Além disso, a pousada tem uma piscina deliciosa e um serviço de bar e restaurante muito bom. Almoçamos uma vez e lanchamos quase todos os dias por lá e a comida sempre estava gostosa. O café da manhã também era bem gostoso e eles fazem tapioca, ovos fritos ou mexidos e omeletes na hora.

Piscina da pousada Yapara-tiba. Foto: Marcelle Ribeiro

Piscina da pousada Yapara-tiba. Foto: Marcelle Ribeiro

Para completar, eles também oferecem pequenas comodidades como toalhas, guarda-sol e cadeiras, que são emprestados sem custo. Isso é muito útil, porque várias praias não têm barracas e esses equipamentos podem fazer a diferença na sua experiência nesses locais. Recomendo!

Leia mais:

Compartilhar este artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *