28 dicas valiosas para gerar menos lixo na viagem

postado por Marcelle Ribeiroe publicado em 09/07/2020

Como gerar menos lixo na viagem? Não, não são só companhias aéreas, de ônibus, hotéis e agências de passeios que devem trabalhar para viagens com menos lixo. Nós, turistas, também podemos (e devemos) fazer a nossa parte.

Eu entrevistei 4 especialistas para coletar dicas para vocês. Porém, antes de ir a elas, queria deixar vocês com alguns dados assustadores.

Segundo Bruno Yamanaka, analista de conteúdos e metodologias do Instituto Akatu, apenas no Brasil, a cada ano são lançadas nas praias entre 70 mil e 190 mil toneladas de materiais plásticos. “De todo o lixo encontrado em nosso litoral, 95% é feito de plástico (como garrafas, copos, canudos e embalagens de sorvete), sendo que 80% deles são originários da má gestão de resíduos sólidos urbanos, das atividades econômicas (comércio e indústria) e portuárias e do turismo”, explica.

De acordo com ele, atualmente, nove entre os 10 itens mais encontrados em praias são resíduos plásticos: só no Brasil, são consumidos 720 milhões de copos descartáveis por dia. O primeiro lugar da lista, contudo, é das bitucas de cigarro.

lixo na viagem garrafa lençóis maranhenses

Achado nos Lençóis Maranheses: garrafa e capa de celular. Foto: Marcelle Ribeiro.

Menos lixo na viagem: o que fazer no avião

1 – Não aceite algo que você não pretende comer

Mesmo que você aceite uma embalagem individual de biscoito e não a abra, deixando ela fechada no assento ao sair da aeronave, é bem possível que a companhia aérea não sirva esse biscoito para outra pessoa ou não recicle a embalagem.

Se o alimento foi servido, está à disposição do passageiro, mas não foi tocado, ele pode ter um potencial de contaminação, porque o passageiro pode ter contaminado a embalagem com a saliva ao falar, tossir ou espirrar. E pode ser que ele esteja doente.

“O que prevalece em muitos casos é a questão sanitária e não a reciclabilidade. A empresa tem que garantir que o alimento esteja livre de qualquer tipo de contaminação”, explica Suzana Maria de Couto, professora dos programas de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade e de Pós-Graduação em Engenharia e Ciências Ambientais da Universidade de Caxias do Sul.

Segundo ela, como regra geral, na dúvida se há risco biológico, a empresa aérea joga fora a embalagem fechada com o alimento. “Já se a comissária de bordo está oferecendo o biscoito e o passageiro não aceita, ok, ele pode ser servido para outra pessoa”, complementa.

2 – Procure se alimentar antes de entrar no avião

Especialmente em viagens curtas. Ou leve sua própria comida na quantidade necessária para uma viagem.

lixo na viagem snack avião

Snack no avião. Foto: Marcelle Ribeiro.

3 – Ao aceitar alimentos, prefira os embalados em plástico transparente

Nem tudo que a gente acha que pode ser reciclado de fato pode ser.

O plástico puro transparente é reciclável. Algumas companhias aéreas oferecem sacos de balas neste tipo de embalagem. Por sua vez, a embalagem de biscoito que é laminada por dentro não é reciclável.

4 – Leve seu próprio copo e garrafas reutilizáveis

Desta maneira, você evita ter que usar os copos descartáveis oferecidos no avião. Ou mesmo ter que comprar uma garrafinha descartável de água no terminal, uma vez que você pode encher a sua nos bebedouros do aeroporto (quando existentes).

Mateus explica que quando ele viaja, leva 2 copos reutilizáveis, que usa para água e café.

Ele recomenda os copos dobráveis, que, ao ficarem sujos, podem ser lavados no banheiro da aeronave. Como os copos reutilizáveis são feitos de silicone, não deixam cheiro.

“Temos que pensar na redução de produção de resíduos. O Brasil recicla só 3% de tudo que produz. A chance de que mesmo separando algo não seja reciclado é de 97%”, explica Mateus.

No entanto, se você esquecer de levar sua garrafa reutilizável e precisar comprar uma descartável, não jogue-a no lixo ao utilizá-la da primeira vez. “Você pode reabastecê-la no próximo bebedouro que encontrar”, acrescenta Bruno Yamanaka.

copo reutilizável lixo na viagem

Coo reutilizável à venda na Amazon. Clique para saber mais. Foto: Amazon.

5 – Aceitou comida? Coma tudo

Pra não jogar comida fora.

6 – Leve seu próprio fone de ouvido

Para evitar aceitar os oferecidos pelas companhias aéreas, que vêm embalados em plástico. Se o seu fone de ouvido pessoal não encaixar no plugue do avião, compre um adaptador para as próximas viagens.

7 – Leve seu próprio tapa-olho de casa

Desta forma, você não precisa aceitar o oferecido pela companhia aérea, que vem embalado em plástico.

8 – Leve um guardanapo de pano pessoal

Assim você recusa papel. O seu guardanapo de pano pode ser lavado depois.

lixo na viagem guardanapo pano

Guardanapo de tecido à venda na Amazon. Clique para saber mais. Foto: Amazon.

9 – Leve seu lixo do avião para o terminal do aeroporto

“Os aeroportos são obrigados a ter gestão de resíduos, a ter aqueles contêineres com a marcação identificando que tipo de material pode se descartar ali. Eu levo do avião para o aeroporto. É comum eu chegar com saquinho de resíduos”, explica Mateus Peçanha, diretor executivo do Instituto Lixo Zero Brasil.

10 – Carregue uma blusa ou jaqueta com você

Assim, você dispensará o uso dos cobertores fornecidos pela companhia, que vêm envolvidos em uma embalagem plástica. Desta forma, você gera menos lixo na viagem.

11 – Leve seu kit de garfo, faca e colher

kits à venda especialmente para as pessoas levarem para usarem na rua ou em viagens. Alguns são inclusive de bambu, e podem ser melhores porque minimizam o risco de a companhia aérea entender que eles são objetos cortantes.

kit talher lixo na viagem

Kit de talher para viagem. Clique para saber mais. Foto: Amazon.

12 – Salve sua passagem no celular

Deste modo, você evita o uso de papel e impressão e gera menos lixo na viagem.

Lixo na viagem: O que as companhias aéreas brasileiras reciclam?

A Azul nos informou que até meados de março, reciclava latinhas de refrigerante servidas aos passageiros. De 2014 a 2019, foram recolhidas cerca de 30 toneladas de latinhas de alumínio, em todos os voos domésticos que pousam nas bases de Campinas, Belo Horizonte, Guarulhos e Recife.  As latinhas passaram a ser recicladas em 2020 também nos voos domésticos que pousam nas bases de Belém, Curitiba, Congonhas, Porto Alegre, Salvador e Rio de Janeiro (Santos Dumont).

A Azul informou ter a intenção de ampliar o programa de reciclagem, mas a pandemia de COVID-19 forçou ajustes nos serviços de bordo e o projeto, que chegou a ser paralisado, e deve ser retomado ainda este mês. A companhia informou que não tem o programa em voos internacionais devido a regras sanitárias (anteriores à pandemia).

Já a LATAM disse ter um programa de reciclagem em voos domésticos no Chile desde 2019, quando foram recicladas mais de 20 toneladas de resíduos. A empresa tem planos de implementar o programa em outros países, como no Brasil. Além disso, está estudando como eliminar plásticos de uso único em seus voos.

Por sua vez, a Gol não disse que materiais recicla, e informou apenas que poucos dos materiais citados neste post (como headphones, copos, tapa-olhos) estão em uso, uma vez que, por conta da pandemia de coronavírus, os voos internacionais da empresa estão suspensos. A empresa afirma que desde o início de junho de 2020 vem retomando gradualmente o serviço de bordo, com snacks entregues no desembarque e água sob demanda ao longo de todo o voo.

Obstáculos para reciclagem de lixo na viagem aérea

Bruno Yamanaka explica que a lei muitas vezes é um grande obstáculo na destinação dos resíduos de cabine, que abrangem tudo aquilo que é fornecido ao passageiro, como jornais, papéis, garrafas e plásticos de embalagens de cobertores e travesseiro, além de resíduos de alimentos e de bebidas. As grandes exigências da lei acabam limitando a reutilização e a reciclagem, levando esses materiais a serem incinerados.

“Um estudo realizado no aeroporto de Heathrow, em Londres, indicou que um passageiro gera, em média, 1,43 kg de resíduos de cabine (levando em conta viagens curtas e longas), sendo 23% alimentos intocados e 17% resíduos recicláveis”, explica Bruno Yamanaka.

Menos lixo na viagem: no ônibus e no carro

13 – Leve sua própria comida

Como um pedaço de bolo, por exemplo, guardado em embalagens que podem ser reutilizadas.

Ao viajar de ônibus e de carro, para gerar menos lixo na viagem, também valem as dicas número 1 (aceitar só o que for comer), 6 (preferir plástico transparente), 9 (copos e garrafas reutilizáveis) e 11 (kit de talheres).

Menos lixo na viagem: o que fazer em hotéis e pousadas

No café da manhã:

14 – Sirva-se apenas do que você de fato pretende comer

15 – Prefira pegar geleias, manteigas e iogurtes servidos em potes

As embalagens individuais desses produtos gastam muito plástico ou vidro, mas Bruno Yamanaka lembra que, se você precisar usá-las, deve limpá-las e colocar o resíduo na lixeira adequada.

Além disso, mesmo quando você pega um pacotinho individual de geleia e não usa (deixa na mesa lacrado), isso não significa que o hotel não vá jogar ele no lixo. Segundo a professora Suzana, os hotéis podem considerar que há risco biológico nessa embalagem que o hóspede pegou e não usou.

No quarto e no banheiro:

16 – Só aceite brindes e papéis que de fato te sejam úteis

Isso vale especialmente em viagens para participação em congressos ou eventos. Muitas vezes as pessoas aceitam o brinde ou papel sem querer e deixam o material no hotel.

17 – Leve seu shampoo e condicionador de casa

Assim, você evita usar aqueles frascos pequenos oferecidos pelos hotéis, que consomem grande quantidade de recursos para serem produzidos e serão rapidamente descartados. Ainda há hotéis que não usam dispensers que o hóspede aperta para se servir da quantidade desejada.

18 – Use o que você de fato precisa

“A gente não tem necessidade de pegar 1 sabonete por dia. Você consegue usar o mesmo”, lembra Mateus Peçanha.

19 – Não misture no mesmo vaso o lixo reciclável com o lixo não reciclável

A mistura do orgânico com o reciclável inviabiliza que os itens recicláveis sejam de fato reciclados.

É claro que nem todos os hotéis têm mais de um pote de lixo para que o hóspede separe os recicláveis dos não recicláveis, o que atrapalha o processo de redução de lixo na viagem. Contudo, se for esse o caso, você pode deixar os papéis e garrafas de água no chão do banheiro, por exemplo, sem misturá-lo com outro tipo de resíduo.

“Não é função da camareira a segregação dos resíduos gerados pelos hóspedes”, disse Suzana. “Em minhas pesquisas, era comum encontrar no banheiro garrafinhas de água e embalagens de cremes e shampoo misturadas com papel higiênico e fraldas descartáveis”, complementa ela.

potes lixo recicláveis lixo na viagem

Potes de lixo separados em hotel de Ushuaia. Foto: Marcelle Ribeiro

Em geral:

20 – Prefira lugares que tenham Selos de Sustentabilidade

Ou com compromisso com a preservação ambiental e que tenham claras as práticas de responsabilidade.

“Claro que podemos manter nossa postura pessoal de recusar itens em todos os momentos, mas teríamos uma infinidade de assuntos a lidar, e talvez nossa experiência de hospitalidade fique comprometida. O melhor é estudar esses espaços antes da ida, para que a escolha seja consciente e para que fiquemos à vontade nos locais, tendo a certeza de estarmos contribuindo com a causa”, afirma Bruno Manhães, professor da área de Meio Ambiente do Senac São Paulo.

O que fazer em passeios, pontos turísticos, praias, trilhas:

21 – Leve uma sacola para guardar embalagens de alimentos ou garrafas d’água descartáveis

Mateus Peçanha sugere que o turista leve o lixo de volta com ele quando vai à praia ou faz uma trilha, por exemplo, onde ele pode ter um controle maior que o material terá um destino correto e maior chance de ser reciclado, porque em muitas praias não há lixeiras separadas para o material reciclável.

Na opinião de Mateus, o grande problema é que na hora de pensar no lixo na viagem, as pessoas querem se livrar do jeito mais rápido possível do lixo. “A gente leva tempo pesquisando hotel, passeio, mas na hora do lixo não se importa com nada”, disse.

22 – Ajude a recolher também os resíduos que outros descartaram inadequadamente

23 – Escolha prestadores de serviços mais ecológicos

Ou prefira os que tenham narrativas que garantam a sensibilização ambiental, como agências de receptivo, guias de turismo e meios de transporte. “Tudo é uma questão de pesquisa prévia, porque, uma vez no lugar, fica difícil evitar”, afirma Bruno Manhães.

24 – Se você for fumante, recolha suas bitucas

Para que elas não poluam o meio ambiente.

Nos passeios e pontos turísticos também valem as dicas de redução de lixo na viagem número 9 (copo) e 19 (não misturar lixos).

Menos lixo na viagem: Dicas para restaurantes e lanchonetes:

Aqui valem as dicas número 14 (sirva-se do que for comer) e 11 (kit de talher).

Para Mateus Peçanha, não há razão para ter vergonha. “Os restaurantes aceitam isso sem problemas. Levar seu kit de talheres está sendo admirado”, afirma.

25 – Evite usar canudos de plástico

Leve seu kit de canudo reutilizável, como os de metal ou de bambu.

canudo reutilizável lixo na viagem

Canudo reutilizável. Clique para saber mais. Foto: Amazon.

26 – Prefira comer no local

Desta maneira, você evita levar a comida embalada em isopor e usar sacolas.

27 – Evite pegar guardanapos em excesso

28 – Escolha a casquinha de sorvete ao invés do picolé

Com isso, você gera menos resíduos. “O picolé é embalado com plástico e possui um palito (muitas vezes feito de plástico ou madeira), ambos descartados logo após o consumo. Com a casquinha, o aproveitamento do sorvete é de 100%”, explica Bruno Yamanaka.

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *