O que fazer em Campos do Jordão (SP): roteiro com passeios

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 30/08/2019
Compartilhar este artigo:

Por anos eu me iludi achando que não tinha o que fazer em Campos do Jordão (SP). Enrolei horrores para conhecer essa cidade que atrai milhares de turistas não só no inverno, mas o ano todo. Eu achava que as atrações eram apenas “comer”, “ver gente” e “passar frio”. Ledo engano! No último mês de dezembro fui lá conferir os passeios em Campos do Jordão. Resultado: amei!

Museu Felícia Leirner.

Museu Felícia Leirner. Foto: Marcelle Ribeiro.

Meu roteiro em Campos do Jordão foi de 3 dias, cheios de atividades! Sim, comi bem, vi gente e até passei frio em pleno dezembro! Mas vi muuuita coisa linda também.

Como fui em época de Réveillon, em que chove, montei meu roteiro de acordo com a previsão do tempo, e os horários de funcionamento das atrações (pois algumas delas não abrem em alguns dias do feriado).

Procurando hotel? O Booking tem opções para todos os bolsos. Reserve por esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.

Ah, e como fui com meu cachorro, o fofíssimo shitzu Romeu, nós fomos apenas a atrações em que ele era aceito. O que em Campos do Jordão significa quase 100% das atrações! Sério, se tem um lugar ótimo para uma viagem pet friendly é Campos do Jordão!

 

O que fazer em Campos do Jordão: Dia 1

Museu Felícia Leiner

Se você está pesquisando o que fazer em Campos do Jordão e tem pouquíssimo tempo, anota aí a minha atração preferida: o Museu Felicia Leirner. Ele é um museu de esculturas ao céu aberto, todas feitas pela Felicia Lerner. Elas ficam num jardim grandão, super legal para fotos. 

DESCONTO DE 5% no Esquenta Black Friday para aluguel de carro na Rentcars, com o cupom NOVEMBER. Vale até 30/11, com retirada do carro até 31/12! Compare preços de várias locadoras!

Ficamos quase 2h lá. O museu aceita cachorros de qualquer porte, desde que na coleira. Ele fica aberto de terça a domingo, das 9h às 18h. O museu não abre às segundas-feiras (exceto feriados), Eleições, Natal (25/12) e Confraternização Universal (1/1). A entrada custa R$10 por pessoa (com meia-entrada para estudante e idoso).

museu felicia leirner

Museu Felícia Leirner. Foto: Marcelle Ribeiro.

Mosteiro de São João

Na sequência, fizemos uma rápida visita ao Mosteiro São João. É permitido ver o jardim e a pequena capela de madeira. Obviamente não se pode entrar na parte destinada às monjas. Passamos uns 15 minutinhos só lá, pois não há muito para ver. O Romeu pôde circular pelos jardins.

Depois, fomos almoçar na badalada vila de Capivari.

Mosteiro São João campos do jordao

Mosteiro São João. Foto: Marcelle Ribeiro.

Palácio Boa Vista ou Museu do Palácio do Governo

O Palácio da Boa Vista já foi residência oficial de inverno do governo de São Paulo e hoje funciona como um museu, também conhecido como Museu do Palácio do Governo. A fachada não tem nada demais, mas o interior é bem bacana. Tem obras de artes de Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti e Anita Malfatti.

Além disso, o passeio no museu é interessante porque ele só é feito por meio de visitas guiadas. E o guia explica a história do prédio, dos eventos que aconteceram lá, das solenidades, fala dos tapetes, dos móveis, enfim. Muito bacana!! Pena que não pode tirar foto no interior.

Atenção! Se você pretende visitar o Palácio Boa Vista, passe lá na manhã do dia em que pretende fazer a visita, para pegar as senhas. Eles distribuem as senhas apenas lá, na porta, para horários específicos. A cada 40min entra um grupo de turistas com o guia.

Quando nós fomos, chegamos lá às 14h e só tinha senha para o grupo das 15h20 e das 16h. Matamos o tempo no ótimo café do palácio e tirando fotos da fachada.

O Palácio Boa Vista fica aberto de quarta feira a domingo, com a primeira visita às 10h. A última acho que é 16h. Elas duram 1h. A entrada custa R$ 5,00.

Cachorros não podem entrar no palácio, mas pode ficar divando na parte externa. 🙂

Palácio do Govern, Campos do Jordão

Palácio do Governo, Campos do Jordão. Foto: Marcelle Ribeiro.

Morro do Elefante

O Morro do Elefante é uma montanha de onde dá para ver a vista da cidade de Campos do Jordão. Eu fui conferir, mas não acho que deva entrar na sua lista de o que fazer em Campos do Jordão não. A estrutura lá do mirante está bem caidinha, cheia de pichações, bancos detonados, meio abandonado. E a vista não é nada demais.

Você pode ir até lá de teleférico (o Morro do Elefante é a parada final, você pega ele lá no Capivari). Ou ir de carro, como eu fui. Como eu estava com meu cachorro, ir de teleférico nem era uma opção.  Veja preços e horários do teleférico aqui.

Quem vai de carro não precisa pagar nada. O Morro do Elefante fica aberto 24h por dia, todos os dias.

Morro do Elefante Campos do Jordão

Morro do Elefante, Campos do Jordão.

Vila Capivari

Encerre seu dia jantando na Vila Capivari, o bairro gastronômico da cidade, cheio de lojas também. É uma delícia andar pelas ruas de lá, e escolher onde comer. É uma espécie de centrinho turístico, onde você vai fazer a maior parte das refeições. É para onde o povo vai para ver e ser visto.

Lá tem um lago Capivari, onde é possível andar de pedalinho. E de onde sai o teleférico para o Morro do Elefante. E tem também o Iceland, um bar de gelo, que cobra fortunas para entrar, vestir roupa de frio e tomar um drink.

Vila Capivari enfeitada para Natal

Vila Capivari enfeitada para o Natal. Foto: Marcelle Ribeiro.

O que fazer em Campos do Jordão: Dia 2

Parque Amantikir

O Parque Amantikir está na minha lista de “preferidos” quando o assunto é o que fazer em Campos do Jordão. É uma série de jardins, mas as maiores atração com certeza são os labirintos de plantas. Eu e o Gui nos perdemos de verdade no maior deles! Rolou até um friozinho na barriga!

Lá tem também estufa de flores lindas e uma casa na árvore, que tem fila pra visitar, mas vale a espera. Além, é claro, de plantas de vários países do mundo.

Em resumo: é atração para uma manhã inteira! Ah, espere caminhar bastante para conhecer tudo, ok?

O Parque Amantikir está aberto todos os dias do ano, inclusive feriados, das 8h30 às 17h00. Visitantes que entram até as 17h00 podem permanecer no parque até o pôr-do-sol. A entrada custa R$ 40. Crianças de até 5 anos e pessoas maiores de 80 anos não pagam. Pessoas entre 5 e 16 anos de idade ou entre 60 anos e 80 anos pagam meia, assim como estudantes, professores e aposentados.

De lá, fomos almoçar na Vila Capivari e depois seguimos para o museu da Xilogravura.

Amantikir campos do jordão

Amantikir. Foto: Marcelle Ribeiro

Museu Casa da Xilogravura

Mesmo quem não é apaixonado por literatura de cordel e cultura nordestina como eu vai gostar do Museu Casa da Xilogravura. Mas o que é xilogravura? É um método fazer gravuras em relevo de madeira, usado na literatura de cordel típica do Nordeste, mas muito mais. Também é usado para fazer quadros, por artistas famosos como Lasar Segall, Paul Gauguin e Edvard Much.

Além de obras de arte, o museu tem também peças relacionadas a técnicas consideradas provenientes da xilogravura, e utilizadas também na impressão de revistas e jornais, rótulos de produtos e propagandas. Fiquei lá por cerca de 1h, adorando! E olha que meu cachorro ficou no meu colo esse tempo todo enquanto eu percorria o museu (sim, eles aceitam cachorro desde que o dono carregue o bicho no colo).

Museu Casa da Xilogravura

Museu Casa da Xilogravura. Foto: Marcelle Ribeiro.

O Museu Casa da Xilogravura funciona de quinta a segunda-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h. Não abre de 1 a 25 de dezembro. A entrada é paga. O endereço é Av. Eduardo Moreira da Cruz, 295.

 

Parque Itapeva

Já era fim de tarde, mas, com o horário de verão, ainda deu tempo de seguirmos para mais uma atração linda: o Parque Itapeva ou Parque Pico do Itapeva. Esse lugar não estava na nossa lista de o que fazer em Campos do Jordão, mas foi indicado pela nossa pousada e curtimos.

O Parque é na verdade um grande mirante quase de 360 graus, super organizado, de onde você pode ver nada menos que 11 cidades paulistas e até a Basílica Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida. Ele fica a 1.800 metros de altitude.

Além disso, em volta desse mirante há um belo campo de lavandas. Mesmo em dezembro, fora da época, elas estavam lá firmes e fortes.

O parque conta também com um café, uma fonte dos desejos e umas estátuas tipo “cow parade”. Ficamos cerca de 1h por lá. Meu cachorro foi bem-vindo, assim como outros, mas tem que ficar na coleira.

O folheto do parque diz que eles oferecem também passeios de bicicleta e de cavalo, além de passeios a colheitas de frutas nas plantações vizinhas de amoras, framboesas e blueberry.

O Parque Itapeva abre às 9h e, durante o horário de verão, fecha às 18h (mas as pessoas podem ficar lá até às 19h). Fora do horário de verão, fecha às 17h (com permanência até às 18h). A entrada custa R$ 10 por pessoa, mais R$ 20 por carro. Estudantes e idosos pagam meia-entrada.

Nosso dia foi puxado, com muita caminhada. Se quiser fazer com mais tempo de descanso, faça uma das atrações no dia seguinte. Depois de tudo isso fomos para o hotel descansar, e depois fomos jantar na Vila Capivari pois era noite de Réveillon!

Parque Itapeva campos do jordao

Parque Itapeva, sua vista e lavandário.

O que fazer em Campos do Jordão: Dia 3

Pedra do Bauzinho

A vista mais incrível da região de Campos do Jordão nós curtimos do alto da Pedra do Bauzinho. Muitas montanhas, muito verde e um vento gostoso no cabelo: um jeito incrível de começar o ano! Obrigatório na sua listinha de o que fazer em Campos do Jordão!

Se você não está indo com crianças ou idosos, vai ter que andar um pouco mais. É que só quem vai com crianças e/ou idosos pode estacionar o carro bem pertinho do início da trilha. Como não era o nosso caso, tivemos que parar o carro perto da portaria do parque e isso acrescentou uns 20 a 30 minutos de caminhada (por trecho), com um trecho de subida, pela estrada de terra.

A trilha da Pedra do Bauzinho propriamente dita é de nível de fácil. É curta, de 500m (ida + volta) e você faz em 20 minutos. Tem um pouquinho de subida. Vimos muitas crianças fazendo. Não precisa de guia. Ah, cachorros são permitidos (meu shitzu fez a trilha de boa, sem cansar).

No final da dela, a recompensa é uma bela vista das montanhas verdinhas e da Pedra do Baú, a formação rochosa mais famosa da região. Se você quer um desafio maior, pode subir a Pedra do Baú.

A Pedra do Bauzinho na verdade fica na cidade de São Bento do Sapucaí, vizinha a Campos do Jordão (cerca de 20km). O parque em que ela fica abre todos os dias, das 9h às 17h. A entrada custa R$ 10 por pessoa.

Pedra do Baú vista da Pedra do Bauzinho

Pedra do Baú vista da Pedra do Bauzinho.

Cachoeira dos Amores

Após a trilha da Pedra do Bauzinho, nós resolvemos descer a serra para São Bento do Sapucaí, já que já estávamos ali na divisa. Meio sem saber o que fazer, nos deparamos com uma cachoeira com mirante na beira da estrada. Não dava para ver muito do mirante e resolvemos fazer a “roubada” da viagem: tentar a trilha desta cachoeira.

Depois de uns 30 minutos de subida cruel, desistimos da trilha e voltamos. Não satisfeitos, resolvemos seguir o conselho de outro turista e fomos mais em direção ao centrinho de São Bento do Sapucaí, para a cachoeira dos Amores.

Apesar do acesso fácil, sem necessidade de trilha praticamente, a Cachoeira dos Amores não vale a pena. Estava lotada em dezembro, e não era bonita. Parecia um riacho meio sem graça. Não recomendo.

Invés disso, eu, se fosse você, depois de conhecer a Pedra do Baú, faria o seguinte: voltaria para Campos do Jordão para almoçar e depois seguiria para o Horto Florestal.

 

Horto Florestal

Não conhecemos porque não aceitava a entrada de cachorros (nem na coleira) e não queríamos deixar Romeu sozinho no quarto estressado. Mas li que o Horto Florestal tem um lago, lugares para piquenique, restaurante e uma trilhinha para uma pequena queda d’água.

A entrada custa R$ 15 por pessoa (estudante paga metade com apresentação da carteirinha). Idosos e crianças de até 12 anos não pagam. O Horto Florestal abre todos os dias em períodos de férias, feriados e temporada, das 9h às 16h. Quem já estiver dentro do Parque Estadual pode sair até as 17h. Em baixa temporada fecha toda quarta-feira.

 

O que fazer em Campos do Jordão com crianças

Para quem vai com crianças e adolescentes, pode ser interessante conhecer um dos 3 parques de entretenimento ao ar livre (ou de aventuras radicais) de Campos do Jordão. De tirolesa a piscina de bolinhas e patinação no gelo, eles têm de tudo. São eles: Tarundu, Aventura no Rancho, e Bosque do Silêncio .

Eles têm inclusive atividades para adultos, como paintball, rapel, e passeio a cavalo.

O blogueiro Ricardo Freire, do Viaje na Viagem, fez um dossiê completo sobre os três parques. Leia aqui.

A Gisele, do blog Aprontando as Malas, dá outras sugestões além destes parques sobre o que fazer em Campos do Jordão com crianças que parecem bem bacanas.

 

Leia também:

Compartilhar este artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *