Transportes no Rio de Janeiro: como se locomover gastando pouco

postado por Caroline Lima e atualizado em: 23/12/2020

Usar o transporte público no Rio de Janeiro não é tão complicado quanto alguns imaginam, mas ainda assim vale atentar para algumas coisas, especialmente se você quiser economizar. Dá sim para se locomover pela capital sem precisar alugar carro e ir até aos principais pontos turísticos gastando pouco. Hoje eu vou explicar tudo sobre transportes no Rio de Janeiro.

Antes de mais nada, um aviso: nem todos os transportes no Rio de Janeiro são seguros. E não digo só em relação à questão de assalto não, mas até mesmo por causa de fiscalização. Não é preciso ficar desconfiado (a) a todo momento, mas lembre-se de que estamos falando da segunda maior metrópole no Brasil. Logo, não espere a tranquilidade de um interior. E não fique se arriscando à toa por aí, viu?!

Por isso, separamos algumas dicas sobre como funciona o transporte público no Rio de Janeiro. Quais são os meios de transporte?Como pegar?Quanto custa a passagem? Continue lendo para tirar essas e mais outras dúvidas. 😉

transportes no rio de janeiro trânsito

Engarrafamentos são comuns, por isso não vale alugar carro. Foto: Caroline Lima

Quais são os principais transportes no Rio de Janeiro?

Existem 9 tipos de transportes no Rio de Janeiro que dão acesso aos pontos turísticos. Alguns até funcionam de forma integrada, o que facilita – e muito! – a locomoção de cariocas e visitantes pela cidade. Falaremos detalhadamente sobre cada um depois. São eles:

  1. Metrô
  2. Ônibus
  3. BRT
  4. VLT
  5. Barca
  6. Bicicleta
  7. Van
  8. Táxi
  9. Carros de aplicativo

Transportes no Rio de Janeiro: como circular

Como mencionamos acima, alguns meios de transporte no Rio de Janeiro funcionam de forma integrada. Por meio do Rio Card Mais, um cartão de uso pessoal, pré-pago e recarregável, é possível ter acesso ao metrô, ônibus, BRT, VLT, trem, barcas e outros transportes complementares.

Qual a vantagem de usar o Rio Card Mais? A primeira é não gastar tempo na fila toda vez que for comprar um bilhete no metrô, por exemplo. Além disso, existe o Bilhete Único, um sistema que dá desconto na passagem de diversos transportes, se utilizado no intervalo de 2h30.

Digamos, então, que você esteja hospedado em Ipanema e queira fazer um passeio rápido para a Praia de Copacabana e voltar à tempo para o almoço. Nesse esquema do Bilhete Único invés de pagar R$ 4,05 pela ida e mais o mesmo valor pela volta para ir e voltar de ônibus (ou seja, R$ 8,10 no total), você pagará R$ 4,05, desde que pegue o segundo ônibus até 2h30 após ter pego o primeiro.

Além disso, se você pegar metrô + ônibus pagará R$ 6,05 no total, invés de R$ 9,05 (R$ 4,05 do ônibus + R$ 5 do metrô). Veja como funcionam essas tarifas no site da Riocard Mais.

Mas fique atento (a)! São poucos pontos físicos onde você consegue adquirir esse cartão (confira a lista completa no site da Riocard). Se preferir, também dá para comprá-lo online. Somente o cartão custa R$ 4. Para recarregar com créditos, só são aceitos valores acima de R$ 50.

É importante dizer que não é necessário ser morador da cidade para adquirir o Rio Card Mais. Turistas não só podem (como devem!) comprar. Pois, ao mesmo tempo que é super prático, também dá pra economizar tempo.

Metrô

Metrô Rio é uma das principais (e favoritas!) empresas de transportes no Rio de Janeiro. Muito utilizado pelos cariocas, seja para ir trabalhar ou para lazer, ele interliga boa parte da cidade em sua malha e divide-se em três linhas:

  • 1 – Vai da estação Uruguai (Tijuca – zona norte) até a estação General Osório (Ipanema – zona sul);
  • 2 – Parte da Pavuna (zona norte) até Botafogo (zona sul);
  • 4 – Começa na General Osório (Ipanema) e vai até Jardim Oceânico (Barra da Tijuca – zona oeste).

A integração da linha 1 para a linha 2 pode ser feita nas estações Central e Botafogo. Como você pode ver, a cobertura do metrô é bastante ampla, sobretudo nos bairros turísticos. Só em Copacabana, bairro que mais hospeda turistas, existem três estações de metrô.

Vale lembrar que existem também alguns ônibus de integração com o metrô na superfície. Por exemplo, você pode saltar na estação do metrô de Botafogo e pegar o ônibus de integração para a Gávea (zona sul) para chegar ao Jardim Botânico. E isso pelo preço de apenas 1 passagem de metrô.

transportes no rio de janeiro linha metro

Mapa da linha metroviária. Foto: Reprodução Metrô Rio

O metrô também tem um cartão pré-pago específico, o Giro. Lembrando que NÃO é a mesma coisa que o Rio Card Mais, ok? É mais uma alternativa para quem só vai pegar metrô durante a estadia no Rio.

Preço da passagem do metrô

Sobre custo benefício, é uma das melhores opções de transporte no Rio de Janeiro. A passagem custa R$ 5. Não é tão barato assim, mas o serviço é bom. É seguro, as estações são bem sinalizadas e é razoavelmente limpo. Evite pegar na hora do rush, porque lota e o ar-condicionado pode não dar vazão. Além disso, também disponibilizam um vagão só para mulheres nos horários de pico.

Funciona de segunda a sábado, das 5h à meia-noite. Aos domingos e feriados, das 7h às 23h.

transportes no rio de janeiro metrô

Metrô do Jardim Oceânico. Foto: Caroline Lima

Ônibus

Dentre as opções de transporte público no Rio de Janeiro, sem dúvidas é a mais utilizada. Existem muitas linhas, que passam com boa regularidade (normalmente de 5 em 5 minutos) e cobrem toda a área “turistável”.

Se é seguro andar de ônibus no Rio? Depende! Apesar de funcionar 24h, não é a melhor opção para circular pela cidade à noite, por exemplo, já que alguns trechos podem ser podem ser mais perigosos.

Um outro fator é que, por serem muitas linhas, os turistas podem ficar com dúvidas sobre como se locomover no Rio de Janeiro usando ônibus e se perderem.

Pensando em custo benefício, já que a passagem custa R$ 4,05, ainda preferimos utilizar o metrô ao invés do ônibus. É mais fácil de andar, mais confortável (a maioria dos ônibus não está bem conservada, poucos têm ar-condicionado) e mais rápido, pois não existe trânsito.

Um bom aplicativo que pode te ajudar no deslocamento de ônibus pela cidade é o Moovit. Basta escolher seu trajeto e ele mostrará quais linhas pegar, de quanto em quanto tempo o veículo passa e o tempo total do percurso.

transportes no rio de janeiro ônibus

Ônibus no Rio. Foto: Ticianne Ribeiro

BRT

O BRT é uma espécie de ônibus melhorado. São maiores (como se fossem três ônibus juntos e articulados), mais modernos (entraram em circulação no Rio em 2012) e mais rápidos (circulam somente em uma faixa exclusiva). Possuem estações próprias, espalhadas por grande parte da zona norte e zona oeste. Divide-se em três linhas:

  • 1 ou Transoeste – vai do Jardim Oceânico (Barra da Tijuca – zona oeste), passando pela Alvorada (Barra da Tijuca – zona oeste) até chegar em Campo Grande e Santa Cruz (também na zona oeste);
  • 2 ou Transcarioca – ponto central na Alvorada, vai para o Fundão (aonde fica a Universidade Federal do RJ, na Ilha do Governador – zona norte), Taquara (zona oeste) e Madureira (zona norte);
  • 3 ou Transolímpica – principais pontos: Recreio, Centro Olímpico e Sulacap (todos na zona oeste).

Tem a vantagem de chegar em alguns bairros com pontos turísticos onde o metrô não chega, como Recreio dos Bandeirantes. A passagem custa R$ 4,05.

No entanto, também podem deixar os turistas um pouco confusos, já que existem três tipos de BRT. A diferença entre os paradores, diretos e expressos é o número de paradas. Então, não deixe de se informar!

Sobre a segurança: existe uma catraca na entrada de cada estação que controla o fluxo de pessoas. No entanto, algumas pessoas burlam esse mecanismo. Durante a noite, alguns pontos ficam desertos.

transportes no rio de janeiro linha brt

Mapa completo do BRT. Foto: Reprodução BRT

VLT

Queridinho do pessoal que circula pelo centro, o VLT é uma espécie de bondinho que deu vida a uma área antes abandonada, hoje point dos cariocas. Além de proporcionar um passeio agradável (o transporte tem janelões de onde é possível ver a paisagem!), é super útil, pois passa pelo aeroporto Santos Dumont, rodoviária do Rio, Museu do Amanhã, Praça Mauá, entre outros. São quase 30 estações.

transportes no rio de janeiro vlt

O VLT é um dos transportes no Rio de Janeiro mais novinho. Foto: Caroline Lima

A tarifa custa R$ 3,80. Fique atento (a): para embarcar você necessariamente tem que estar com o bilhete ou RioCard em mãos. Não dá para comprar a passagem dentro do próprio VLT, hein!

Barca

Além de ser o melhor meio para chegar à Niterói, município vizinho do Rio que tem vários pontos turísticos (pouco falados!), o passeio de barca já vale a pena só para ver a ponte Rio-Niterói e a Baía de Guanabara de longe.

As barcas partem da Praça XV, no centro. Para quem não quer enfrentar o engarrafamento caótico da ponte, é uma ótima opção.

O preço pode variar dependendo do percurso e do conforto. Hoje existem barcas mais refinadas (Charitas), com ar-condicionado, que podem custar até R$ 18,20. Já nas mais comuns, o valor é R$ 6,50. Você pode conferir as linhas operantes e horários no site da CCR Barcas.

Bicicleta

Na zona sul, principalmente, é possível encontrar bicicletas para alugar em – literalmente! – qualquer esquina. Não é exagero. Nessa região também existem muitas ciclovias, que tornam a pedalada muito mais segura e agradável. Já no restante da cidade, como no centro e na zona norte, essa prática está começando a engrenar agora. Motoristas não costumam respeitar os ciclistas se estiverem junto aos carros.

transportes no rio de janeiro bicicletario

Bicicletário no Museu do Amanhã. Foto: Caroline Lima

Mas como funciona esse esquema de alugar bike? Nesse post sobre aluguel de bicicletas no Rio de Janeiro a gente explica tudo detalhadinho. Mas, em resumo, o serviço mais barato custa R$ 3 e te dá direito a 15 min. A cada 15 min extras são cobrados R$ 2. Dependendo do seu percurso, vale a pena dar uma olhada nos outros planos disponíveis. O processo é todo feito por aplicativos.

transportes no rio de janeiro bicicleta

Econômicas e sustentáveis. Foto: Caroline Lima

Van

São muito utilizadas por moradores da zona norte, como meios de transporte no Rio de Janeiro alternativos. Entretanto, só recomendamos utilizá-las em último caso, já que muitas vezes não são fiscalizadas. Também não participam do sistema de integração do Rio Card Mais. É preciso pagar à parte.

Táxi

Pegar táxi é bem fácil, pois eles ficam circulando em busca de passageiros. Mas tome cuidado para não pegar táxis piratas nos aeroportos e na rodoviária. Os táxis “comuns” do Rio são amarelos com tarjas azuis na lateral.

Uma dica valiosa é: faça uma simulação do trajeto antes de pegar um táxi, pois existem alguns motoristas espertinhos que identificam turistas de longe e ficam doidos para cobrar valores abusivos. Não caia no golpe do preço fixo e fique atento (a) se ele (a) não está dando voltas demais…

E se você não quiser pegar táxi na rua, dá para recorrer aos aplicativos, como o 99 Táxis (com tarifa já calculada). Atualmente a bandeirada está R$ 6. A cada km rodado, há um acréscimo de R$ 2,65 (bandeira 1) e R$ 3,18 (bandeira 2 – à noite, fins de semana e feriados).

Carros de aplicativo

Na cidade funcionam muitos aplicativos de carros compartilhados. Todos regulamentados. A Uber, por exemplo, disponibiliza lounges em alguns lugares com alto fluxo de pessoas (como aeroportos e shoppings). Desse modo, motoristas e passageiros podem se localizar de forma mais segura e rápida.

Além dessa, também há outras empresas de transportes no Rio de Janeiro de carros compartilhados, como a Cabify e 99.

Entretanto, há um fator que turistas – até mesmo cariocas – devem se preocupar ao pesquisar sobre como se locomover pelo Rio de Janeiro. Alguns motoristas de aplicativo rodam por lugares que não conhecem. Vejo muitos da Baixada Fluminense trabalhando pela Zona Sul, por exemplo, pois a demanda nessa região é maior.

Com isso, eles acabam recorrendo ao Waze e outros serviços para chegar ao destino solicitado pelo passageiro. Mas esses apps podem sugerir rotas alternativas para cortar trânsito, fazendo você passar por lugares perigosos. Ou seja, evite pegar qualquer trajeto diferente, mesmo que você perca um tempo no engarrafamento.

Conclusão sobre os transportes no Rio de Janeiro

Para concluir, vimos que não há muitos mistérios sobre como se locomover no Rio de Janeiro ou sobre como funciona o transporte público. Tudo depende dos pontos turísticos no Rio de Janeiro que você deseja visitar e o quanto você está disposto a pagar por conforto. No geral, os transportes no Rio de Janeiro são seguros sim, a menos que você fique dando sopa por aí. 😉

Leia Mais:

Comentários

  1. Emilena
    30 jul 2015

    Olá, vou pela primeira vez ao Rio em dezembro com minhas filhas elas fazem 15 anos e resolvemos fazer uma viagem só as meninas, se puder passar algumas dicas ja comprei as passagens porém ainda nao reservei hotel…o interesse delas é compras, voo de asa delta ,praia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *