Viagem de carro na Califórnia – 2: Carmel e Monterey

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 02/10/2019

O nosso segundo dia de viagem de carro pela costa da Califórnia começou com um passeio pela estrada com a maior quantidade de vistas lindas por quilômetro: a 17-Mile-Drive, em Pebble Beach, na cidade de Carmel-by-the-Sea. Era um sábado de março e eu e o maridão havíamos chegado na noite anterior a Carmel, para uma viagem de 3 dias pelo litoral (veja como foi o primeiro dia aqui).

A 17-Mile Drive, na verdade, é uma estrada que fica dentro de um luxuoso condomínio privado, com mansões belíssimas, campos de golfe e jardins por todos os lados. Os ricaços sabem ganhar dinheiro e cobram US$ 10 por carro para os turistas que querem conhecer a região. Você paga na guarita e recebe um mapinha que indica os pontos mais interessantes para parar. A ideia é simples: dirija a estrada de menos de 28 Km e estacione nos recuos de mirantes para tirar fotos. Você nunca levou tanto tempo para percorrer uma distância tão curta. É que a cada curva há um mirante mais lindo que o outro pro mar ou pra um jardim.

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

Outras atrações desse lugar são as árvores retorcidas pelo vento, ciprestes “solitários”, leões-marinhos que ficam tomando sol nas pedras e áreas para piquenique. Você pode inclusive ir até a areia para caminhar e molhar os pés.

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

IMG_1242

Leões-marinhos em Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

 

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

17-Mile Drive, Pebble Beach, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

Nós chegamos lá por volta das 10h e demoramos quase 2 horas para curtir o lugar, pois há muitos pontos lindos para tirar fotos.

Na sequência, fizemos como os americanos nos finais de semana: fomos tomar um brunch, uma refeição que é como um “café da manhã-quase-almoço”, servido até o início da tarde. Estávamos hospedados em um hotel histórico e lindo de Carmel, o Pine Inn*, e nos finais de semana o café da manhã deles, na verdade, é um brunch servido no restaurante Il Fornaio*, que fica dentro do hotel. Novamente como é o hábito americano, a gente fez uma refeição mais reforçada no brunch. Eu fui de omelete de camarão com tomate e espinafre (que veio acompanhada de batata assada e custa US$ 12,99) com suco de laranja e o maridão provou bruschetta de salmão defumado (US$ 12,59) e depois ovos benedict com presunto, torrada, frutas e batata (US$ 11,99). O Il Fornaio é bem agradável, com mesas na varanda, mas como estava um pouco frio, preferimos ficar na parte interna.

O restaurante abre também para almoço e jantar (de segunda a quinta das 8h às 21h, sextas das 8h às 22h, sábados das 9h às 22h e domingos das 9h às 21h). O endereço é o mesmo do hotel Pine Inn: Ocean Avenue, esquina com Monte Verde St, em Carmel.

Brunch no Il Fornaio, no Pine Inn, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

Brunch no Il Fornaio, no Pine Inn, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

Bruschetta do Il Fornaio, no Pine Inn, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

Bruschetta do Il Fornaio, no Pine Inn, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

Omelete no Il Fornaio, no Pine Inn, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

Omelete no Il Fornaio, no Pine Inn, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

IMG_1267

Ovos benedict do Il Fornaio, em Carmel. Foto: Marcelle Ribeiro

 

A refeição valeu como almoço e depois dela fomos andar um pouco em Carmel, que é uma cidadezinha super charmosa, cheia de antiquários, lojinhas e restaurantes lindos. Como é um lugar de gente rica, é comum ver carrões importados pela cidade. Também percorremos de carro a avenida que margeia a baía de Carmel, a Scenic Road, mas como sabíamos que o dia ia ser cheio e não tinha lugar para estacionar, não conseguimos ver com a calma que gostaríamos a praia. Estava até quente nesse horário e tinha gente tomando banho de mar e curtindo o sol.

Carmel-by-the-Sea. Foto: Marcelle Ribeiro

Carmel-by-the-Sea. Foto: Marcelle Ribeiro

Carmel-by-the-Sea. Foto: Marcelle Ribeiro

Carmel-by-the-Sea. Foto: Marcelle Ribeiro

Praia de Carmel, vista da Scenic Drive. Foto: Marcelle Ribeiro

Praia de Carmel, vista da Scenic Drive. Foto: Marcelle Ribeiro

Depois de conhecer as principais atrações de Carmel (ficou um gosto danado de quero mais!), dirigimos para Monterey, cidade vizinha que tem um dos aquários mais famosos da Califórnia. Nós já havíamos ido ao aquário de San Francisco (como contei nesse post aqui), mas eu sou louca por bichos e não podia deixar de conhecer o de Monterey.

O chato é que estacionar em Monterey não é das tarefas mais fáceis, porque o Monterey Bay Aquarium* atrai multidões nos finais de semana. Depois de rodar um pouco, resolvemos parar em um estacionamento por cerca de US$ 25 (é, esse era o preço médio dos estacionamentos), porque já estávamos perdendo muito tempo procurando vaga. Além do aquário, outra área famosa de Monterey é a conhecida como Cannery Row, onde funcionavam antigas fábricas de sardinha enlatada, na região portuária. Hoje a rua onde ficavam as fábricas virou uma via cheia de restaurantes e lojinhas com lembrancinhas turísticas. No final dela fica a entrada para o aquário, mas confesso que achei a rua com uma cara muito “turistona”.

Cannery Row, em Monterey. Foto: Marcelle Ribeiro

Cannery Row, em Monterey. Foto: Marcelle Ribeiro

Já o aquário é um negócio de outro mundo! É divertidíssimo, mesmo para adultos. Vimos pinguins sendo alimentados, tubarões, lontras, arraias e milhares de peixes lindos, grandes e coloridos. O legal é que o aquário tem ambientes que fazem você se sentir “no meio dos bichos” como túneis e piscinas gigantescas. Quando você entrar, pegue o folheto que fala os horários das refeições dos bichos, pois quando vão alimentá-los, os funcionários dão verdadeiras palestras sobre os hábitos e alimentação dos animais e tiram dúvidas dos visitantes. É bem divertido.

Passeio guiado de 1 dia e ingressos sem fila? Contrate aqui!

Nós ficamos cerca de 2h lá no aquário, e isso porque passamos rapidinho por alguns bichos que já havíamos visto no aquário de San Francisco, o Aquarium of the Bay (falei sobre ele neste post aqui).

Aquário de Monterey. Foto: Marcelle Ribeiro

Aquário de Monterey. Foto: Marcelle Ribeiro

IMG_2609

Monterey Bay Aquarium. Foto: Marcelle Ribeiro

Monterey Bay Aquarium. Foto: Marcelle Ribeiro

Monterey Bay Aquarium. Foto: Marcelle Ribeiro

Monterey Bay Aquarium. Foto: Marcelle Ribeiro

O Monterey Bay Aquarium funciona das 9h30 às 18h e fica na 886 Cannery Row. Os ingressos custam US$ 39,95 (adultos de 18 a 64 anos), US$ 24,95 (crianças de 3 a 12 anos de idade), US$ 34,95 (maiores de 64 anos e jovens entre 13 e 17 anos). Crianças menores que 3 anos não pagam.

Depois que saímos do Monterey Bay Aquarium, andamos um pouco pela orla de Monterey, que é uma gracinha, com jardins e um calçadão perto do mar. Fomos até o Fisherman’s Wharf da cidade e o píer, onde há vários restaurantes e lanchonetes. Custamos um pouco para achar um lugar que não cobrasse um valor extorsivo por um sorvete, mas achamos. Não era nada muuuito gostoso, mas deu para matar o calor.

IMG_2645

Orla de Monterey. Foto: Marcelle Ribeiro

IMG_2650

Garanta 20% de desconto no chip internacional para celular. Saia do Brasil já com internet. Clique aqui e use o cupom AUAU até 13/12.

Gostaria de ter passado mais tempo em Monterey, porque a cidade é bem bonita e agradável e tem prédios históricos que não deu tempo de visitar. Mas já eram umas 17h e a gente ainda tinha que dirigir até a cidade de Paso Robles, para jantar na casa de uma amiga que mora na região e conhecer vinícolas no dia seguinte. Para ir mais rápido, fomos de Monterey até Paso Robles (188km) pela estrada rápida Highway 101, que vai pelo interior, e não pela Highway One, que fica no litoral. Na Highway 101 não há vista bonita, mas o limite de velocidade é bem maior. Em cerca de 3h, chegamos à região de Paso.

Nos hospedamos no hotel Hampton Inn*, em Paso Robles, que recomendo. Ele fica perto de várias vinícolas (Paso Robles também é uma região produtora de vinho da Califórnia) e a cerca de 40km da costa californiana (da cidade de Cambria, perto do Hearst Castle). O quarto em que ficamos era enorme, com duas camas king size, banheiro grande, TV, aquecedor, estacioanamento. O atendimento foi ótimo, até nos ajudaram a descobrir onde estava um casaco esquecido. O café da manhã tinha itens como chocolate quente, café, ovos, pães, muffins, cream cheese, donuts, iogurte e frutas.

Hampton Inn de Paso Robles. Foto: Marcelle Ribeiro

Hampton Inn de Paso Robles. Foto: Marcelle Ribeiro

Hampton Inn de Paso Robles. Foto: Marcelle Ribeiro

Hampton Inn de Paso Robles. Foto: Marcelle Ribeiro

Total percorrido neste dia: 195km.

Veja o mapa do nosso roteiro desse dia:

*O Viciada em Viajar teve o apoio do Il Fornaio, Pine Inn, Hampton Inn de Paso Robles, Monterey Bay Aquarium,  Câmara de Comércio de Carmel e Travel Paso Robles Alliance (órgão de turismo de Paso Robles) para visitar a região. As diárias nos hotéis, os ingressos no aquário e as refeições no restaurante foram cortesia, normalmente concedida a jornalistas e blogueiros de turismo.

 

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *