Jericoacoara: O que fazer, quantos dias ficar e sugestão de roteiro

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 19/08/2019
Compartilhar este artigo:

Praia mais famosa do Ceará, Jericoacoara atrai milhares de pessoas todos os anos por causa da cor “mar do Caribe” de uma de suas lagoas e dos ventos que sopram constantemente, fazendo a festa dos praticantes de windsurf e kitesurf. A vila cheia de restaurantes e vida noturna também faz a festa de muitos estrangeiros e brasileiros, especialmente entre os mais jovens.

Estive lá há uma semana, em mais uma viagem que fiz sozinha por esse mundão. Gostei muito do que vi, mas faço logo uma confissão: não caí de amores por Jeri. Talvez a expectativa tenha sido grande demais devido a toda “aura” de paraíso que paira em torno do local. É que o vento constante e muitas vezes inclemente, trazendo areia para cima dos turistas, fez com que eu não “curtisse” tanto Jeri como curti outras praias do Nordeste. Sim, o vento tem a vantagem de amenizar a temperatura (eu não senti calor dia nenhum). Mas me fez sentir frio na hora de sair do mar ou das lagoas.

Além disso, eu esperava mais da Lagoa do Paraíso, o principal cartão-postal da vila. Só uma parte dela tem aquela cor azul-caribe. E as famosas redes que ficam dentro d’água, balançam tanto com o vento que você às vezes nem curte direito. Mas que é bonito de ver, isso é.

Procurando hotel? O Booking tem opções para todos os bolsos. Reserve por esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.
Lagoa do Paraíso, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Lagoa do Paraíso, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

 

O que fazer

Praias

A vila de Jericoacoara tem praias diferentes para públicos diversos. A praia principal, que tem o mesmo nome da vila, é bonita (principalmente na maré alta), apesar da areia escura. Há ondas, mas elas são pequenininhas. A água é clara e azulzinha. Evite o lado esquerdo da praia, onde às vezes há animais como jegues e cavalos. Fique na barraca Clube dos Ventos, no canto direito, quase na divisa com a praia da Malhada, que tem espreguiçadeiras, chuveirão e armários (tudo grátis), além de opções gostosas e baratas para almoçar.

Praia principal de Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia principal de Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia principal de Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia principal de Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

A praia da Malhada só é bacana de ser visitada na maré bem baixa, quando se formam grutas e piscininhas naturais (tipo “ofurô”) entre as pedras, no caminho para a Pedra Furada (uma famosa pedra com um furo no meio). A caminhada a partir da praia principal leva cerca de 40min ida + 40 min de volta. Vale avisar que a Praia da Malhada não tem nenhuma estrutura de barracas ou guarda-sol, apenas 1 ambulante vendendo água. Mesmo na maré baixa, a praia da Malhada tem ondas fortes.

DESCONTO DE 5% no Esquenta Black Friday para aluguel de carro na Rentcars, com o cupom NOVEMBER. Vale até 30/11, com retirada do carro até 31/12! Compare preços de várias locadoras!
Praia da Malhada, em Jericoacoara.

Praia da Malhada, em Jericoacoara.

Praia da Malhada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia da Malhada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia da Malhada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia da Malhada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

A praia do Preá é dominada por kitesurfistas e windsurfistas.

Praia do Preá, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia do Preá, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

 

A praia da Barrinha, que pertence ao município de Acaraú, é pitoresca por ter muitos barquinhos de pescadores. A água é transparente e sem ondas, gostosa. A areia é escura e dura. As dunas próximas são bonitas. Também tem kitesurf.

Praia da Barrinha. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia da Barrinha. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia da Barrinha. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia da Barrinha. Foto: Marcelle Ribeiro.

Lagoas

É a cor das lagoas de Jeri que impressiona os turistas. São 3 lagoas principais:

Lagoa do Paraíso

É a mais bonita e cheia de todas, com água azul “Caribe” nas bordas, barracas com espreguiçadeiras e redes dentro d’água. Como em todo lugar de Jeri, venta bastante lá, o que nem sempre é agradável. Falo mais dela neste post.

Lagoa do Paraíso, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Lagoa do Paraíso, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Lagoa Azul

Ao lado da Lagoa do Paraíso, a Lagoa Azul é até mais bonita que a Lagoa do Paraíso, mas está com volume de água cada vez mais baixo. Por isso, alguns passeios fazem apenas uma parada rápida por lá. Tem 1 ou 2 barracas lá, com redes na água também. Veja mais sobre o passeio até lá neste post.

Lagoa Azul. Foto: Marcelle Ribeiro.

Lagoa Azul. Foto: Marcelle Ribeiro.

Lago Grande

Fica, na verdade, na cidade de Camocim, vizinha de Jeri. A água é marrom, mas também tem rede e é gostosa para refrescar. Falo mais desse lugar aqui.

 

Lago Grande, em Jericoacoara.

Lago Grande, em Jericoacoara.

Duna do Pôr do Sol

Às 17h, caminhe pela praia principal de Jeri para subir a Duna do Pôr do Sol, no canto esquerdo, onde os turistas vão para ver o sol se pôr no mar. O esforço da subida vale a pena e lá em cima 2 ambulantes vendem bebidas. Mas não espere conforto e nem vá muito produzida: o vento traz muita areia para cima de todos, quase numa “exfoliação forçada”. Mesmo que você não sente na areia da duna, você vai chegar na pousada com areia grudada pelo corpo. Cuidado com a lente da câmera. O sol se põe às 17h40.

 

Duna do Pôr do Sol, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Duna do Pôr do Sol, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Duna do Pôr do Sol, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Duna do Pôr do Sol, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Duna do Pôr do Sol, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Duna do Pôr do Sol, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pedra Furada

Se for em Julho ou Agosto, não deixe de ir ver o sol se pôr dentro dessa famosa pedra com um furo no meio, que fica na faixa de areia no fim da praia da Malhada. É um espetáculo imperdível. Todos os dias um grupo parte às 16h em frente ao restaurante da Dona Amélia (conhecido pelo forró que promove), na Rua do Forró, para ver esse famoso entardecer. Os “guias” são dois ambulantes que vendem bebidas lá na Pedra Furada. A caminhada é pelo Morro do Serrote, de onde a vista para a praia é incrível. O trajeto leva 40 min na ida e mais 40 min na volta, com direito a descida íngreme pela areia e subida também íngreme pelo penhasco. Se quiser economizar “perna”, volte de charrete com os nativos que oferecem o transporte por R$ 10 por pessoa.

 

Pedra Furada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pedra Furada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pôr do sol ao lado da Pedra Furada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pôr do sol ao lado da Pedra Furada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pedra Furada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pedra Furada, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Passeios de buggy

A maioria das agências oferece 2 roteiros, um chamado Leste e outro Oeste, ambos de dia inteiro. Eles passam por dunas, lagoas, mangues, entre outras atrações. Vou explicar mais adiante no texto. Um terceiro roteiro, para a praia da Barrinha, também é oferecido por poucas agências. (Veja como é o passeio para as lagoas Azul e do Paraíso neste post e para o Lago Grande e Tatajuba aqui).

O preço normalmente é cobrado pelo buggy, que comporta 4 turistas. A diferença é que algumas agências juntam pessoas desconhecidas no mesmo buggy, para casos de grupos com menos de 4 pessoas (no esquema compartilhado). Outras agências não juntam desconhecidos (ou seja, se o seu grupo tiver menos de 4 pessoas, vocês vão pagar o valor cheio do buggy). Caso opte por alugar um buggy só para o seu grupo, você pode combinar com o guia de fazer um roteiro exclusivo, ao gosto de vocês.

 

Passeio de buggy.

Passeio de buggy.

Aluguel de quadriciclo

Há muita oferta de quadriciclo para alugar em Jeri. Alguns lugares alugam os veículos com guia, que vai na frente, em uma moto, mostrando aos turistas os lugares bacanas para visitar no caminho.

Baladas

Todo santo dia tem baladas na vila de Jeri, em pelo menos 2 lugares: Serra Mar e restaurante Dona Amélia. Cada dia há um ritmo: samba, forró, reggae. Placas anunciam as atrações na descida da rua principal para a praia. Os ingressos costumam custar R$ 20. As baladas começam por volta das 23h e terminam às 2h.

Esportes aquáticos

Há diversas escolinhas de kitesurf, windsurf, surf e stand up paddle em Jericoacoara. Os valores incluem aluguel de equipamento.

Quantos dias ficar

Se não gosta de repetir passeios ou pretende praticar esportes náuticos, passe de 3 a 4 dias em Jeri. Veja uma sugestão de roteiro:

Dia 1

Se chegar pela manhã ou no início da tarde, pegue praia em Jeri mesmo. Fique na barraca Clube dos Ventos, quase na divisa com a praia da Malhada, que tem espreguiçadeiras, chuveirão e armários (tudo grátis). Pratos individuais de peixe a R$ 25. Às 17h, caminhe pela praia para subir a Duna do Pôr do Sol, no canto esquerdo, onde os turistas vão para ver o sol cair.

Barraca Clube dos Ventos, na praia principal de Jeri. Foto: Marcelle Ribeiro.

Barraca Clube dos Ventos, na praia principal de Jeri. Foto: Marcelle Ribeiro.

Dia 2

Faça o passeio de buggy para o lado oeste, que é bacana, mas impressiona menos que o do lado leste. Assim, seu nível de encantamento vai crescendo. Esse passeio inclui passeio pelas dunas, sandboard, redes penduradas em raízes gigantes de antigo manguezal, passeio de barco para ver cavalos-marinhos, parada para banho e almoço na Lagoa Grande (que tem água marrom, mas tem redes gostosas) e pausa para ouvir história de vila soterrada pela areia. Vou falar mais sobre ele em outro post. Costuma custar cerca de R$ 75 por pessoa em buggy compartilhado ou R$ 300 pelo buggy todo. Uma das agências que oferece esse passeio é a JIC-TUR*. Leia mais sobre ele aqui.

Sandboard nas dunas de Camocim. Foto: Marcelle Ribeiro.

Sandboard nas dunas de Camocim. Foto: Marcelle Ribeiro.

Rede no manguezal de Camocim.

Rede no manguezal de Camocim.

Lago Grande. Foto: Marcelle Ribeiro

Lago Grande. Foto: Marcelle Ribeiro

Quando voltar do passeio, faça a caminhada para ver o sol se pôr na Pedra Furada (descrita acima).

Dia 3

Dia de fazer o passeio de buggy para o lado leste, que costuma incluir uma parada para fotos na Pedra Furada, outra na Árvore da Preguiça (árvore cujos galhos pendem para o lado, devido à ação do vento), parada para banho na Lagoa Azul e também na Lagoa do Paraíso (fotos das lagoas acima). Falo mais desse passeio, que dura o dia inteiro, nesse outro post. Esse é o melhor passeio de Jeri e costuma custar R$ 65 por pessoa em buggy compartilhado (mas se você quiser, pode alugar o buggy inteiro só para você, por preços de R$ 250 a R$ 350).

Árvore da Preguiça, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Árvore da Preguiça, em Jericoacoara. Foto: Marcelle Ribeiro.

Dia 4

Procure uma agência que faça o passeio de buggy para a praia da Barrinha,que tem águas calmas e barquinhos de pescador. O roteiro pode incluir parada para almoço na Barrinha mesmo, onde há o charmoso e rústico restaurante Komaki, com redes, espreguiçadeira e chuveiro de água doce. O cardápio tem pratos de R$ R$ 50 a R$ 90 e a especialidade são os peixes, pescados na praia em frente (que variam de R$ 70 a R$ 90 para duas pessoas). Na mesma praia, ouvi dizer que há outros restaurantes bem mais simples, mas que servem lagosta a R$ 30. Uma das agências que oferece esse passeio é a Jeri Férias**, a R$ 420 pelo buggy, incluindo não apenas a Barrinha mas também a Lagoa do Paraíso + Lagoa Azul + Árvore da Preguiça + Pedra Furada.

Dunas da praia da Barrinha.

Dunas da praia da Barrinha.

Tem mais dias em Jeri?

Uma dica é checar quando a maré estará baixa para fazer uma caminhada pela Praia da Malhada, para ver as piscinas naturais que se formam entre as pedras. Elas são pequenas, cabem 2 ou 3 pessoas, mas têm água cristalina. A partir da praia principal, anda-se 40 min para ir e 40 min para voltar. O caminho também tem grutas de onde se pode tirar belas fotos. Fique atento às rochas do caminho, pois algumas piscinas são meio escondidas.

Se preferir, contrate um guia para, literalmente, mostrar o caminho das pedras. Vi três pessoas oferecendo esse serviço lá em Jeri. Na agência Jeri Férias cobra-se R$ 50 pelo guia (valor que pode ser rachado entre o número de participantes). O casal jessicka e Jean Kottwitz é guia dessa trilha e cobra R$ 25 por pessoa (telefones: 85- 98845-8603 e 85-99608-2469). E no início da praia da Malhada, um ambulante que vende bebidas num isopor faz a trilha com turistas por valor variável (eu peguei “carona” com um casal que contratou ele, e paguei R$10).

Piscina natural da Praia da Malhada.

Piscina natural da Praia da Malhada.

Outra dica é repetir a visita à Lagoa do Paraíso, a única que você pode visitar sem estar “dentro” de um passeio de buggy.

Todos os dias caminhonetes D-20 adaptadas para receber passageiros (com a parte de trás com bancos, como num “pau-de-arara”), chamadas de “jardineiras”, saem da Rua São Francisco, no centrinho da Vila de Jericoacoara) levando moradores e turistas para a Lagoa do Paraíso e para o centro de Jijoca de Jericoacoara (que é o município ao qual Jericoacoara pertence). Basta dizer ao motorista em que barraca da Lagoa você quer ficar e combinar um horário com ele para ele te buscar.

O preço é R$ 15 por trecho por pessoa. O trajeto dura cerca de 40 minutos.

"Jardineiras" que levam até a Lagoa do Paraíso. Foto: Marcelle Ribeiro.

“Jardineiras” que levam até a Lagoa do Paraíso. Foto: Marcelle Ribeiro.

As caminhonetes costumam sair das 8h até às 12h. O último retorno é às 16h, pois é o horário em que as barracas da Lagoa fecham.

Jericoacoara combina com…

Você pode aproveitar a sua ida a Jericoacoara para dar uma esticada ao Piauí, estado vizinho, e conhecer o Delta do Parnaíba. A revoada dos guarás (um pássaro avermelhado) é uma atração bem famosa de lá. A Ana, do blog Destinos e Afins escreveu um post bem explicadinho sobre como chegar e o que fazer no Delta do Parnaíba e os passeios da região.

 

Leia também:

 

*O Viciada em Viajar fez o passeio de buggy para o lado oeste como cortesia da agência JIC-TUR, em parceria com a Jumentur. O blog recomenda as agências, pelo profissionalismo e simpatia da equipe. O texto do post reflete a real opinião da blogueira.

**O Viciada em Viajar fez o passeio à Barrinha e às Lagoas Azul e Paraíso como cortesia da agência Jeri Férias, que recomendamos pelo profissionalismo e simpatia no atendimento. O texto do post reflete a real opinião da blogueira.

Compartilhar este artigo:

Comentários

  1. Rosemari
    03 jan 2017

    Marcelle

    Tive a mesma impressão que você fui com muita expectativa e não achei esse paraíso todo. A vila é encantadora mais confesso que esperava muito muito mais.
    Estive em Jeri em Agosto/16 fiquei 04 dias.
    Parabéns pelo Blog
    Bjus
    Rosemari

  2. tatiane Freitas
    07 mar 2017

    Adorei as dicas! anotando tudo!

  3. Helina
    31 mar 2017

    Gostei , mas choveu bastante no final de março, atrapalhou um pouco a viagem!
    Adorei suas dicas

  4. Camila Miranda
    24 jan 2019

    Menina, é tudibão que fala né?! Estou planejando uma viagem para Jericoacoara em Setembro e seu post matou todas as dúvidas que ainda me restavam!
    Está de parabéns! Ahasou! Muito obrigada!

  5. Edson
    25 jan 2019

    Marcela, valeu mesmo, esse artigo foi 10, pena que as agencias de turismo nao passam de uma forma tao honesta como vc fez, obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *