Descubra qual praia do Rio de Janeiro é a sua cara

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 29/07/2019
Compartilhar este artigo:

Point dos bebês, dos gays, dos farofeiros, dos saradões, dos descolados, dos que gostam de fumar maconha, dos surfistas, das famílias e dos gringos: o Rio de Janeiro tem praias para gente de todas as tribos.  Se engana quem acha que a areia do Rio é “democrática” por inteiro. Cada faixa em frente ao mar costuma ser frequentada por um grupo. Sim, às vezes eles se misturam, sem qualquer desconforto. Mas vai por mim, você se sentirá mais à vontade se descobrir a faixa de areia “certa” para você.

E como a praia é uma das maiores atrações para os turistas, resolvi começar por ela a série de posts sobre o Rio. Antes de mais nada, algumas observações são necessárias. A primeira é que todas as praias do Rio têm água gelada (pelo menos para os padrões nordestinos). E a grande maioria tem ondas razoavelmente fortes.

Ao longo das praias há vários “postos”, que são totens altos entre o calçadão e a areia em que há sempre banheiros públicos com chuveirão (pagos) e salva-vidas. Mas se você quiser apenas tomar um banho de água doce, pode usar os chuveiros que ficam no meio da faixa de areia das praias e são grátis. Em quase todas as praias do Rio há chuveiros assim, que servem também para levar água para molhar a areia em frente às redes de vôlei de praia.

Procurando hotel? O Booking tem opções para todos os bolsos. Reserve por esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.

Vamos primeiro às praias da Zona Sul? Vamos lá. Vou colocar aqui informações sobre as praias partindo do Centro em direção à Zona Oeste, ok?

Zona Sul:

Praia do Flamengo – Ninguém toma banho lá, pois a água é extremamente poluída, já que vem da Baía de Guanabara. A região é frequentada principalmente por moradores que querem caminhar e andar de bicicleta. Não costuma atrair turistas.

DESCONTO DE 5% no Esquenta Black Friday para aluguel de carro na Rentcars, com o cupom NOVEMBER. Vale até 30/11, com retirada do carro até 31/12! Compare preços de várias locadoras!

Praia de Botafogo – Também é poluidíssima, por estar na Baía de Guanabara. E como é pequena e fica colada a várias pistas de carros, só uma meia dúzia de gatos pingados vai andar por lá. Costuma atrair os poucos jogadores de futebol americano da cidade, que praticam na areia.

Praia da Urca – Micro praia, poluidésima. Também é praia da Baía de Guanabara.

Praia Vermelha – Fica ao lado da praça onde há a bilheteria para a subida do bondinho do Pão de Açúcar. No dia em que for ao bondinho, vá a esta praia para caminhar na Pista Cláudio Coutinho, que é um trecho asfaltado só para pedestres no entorno do Morro da Urca. Mas é só para ver o visual e caminhar, nada de entrar na água do mar (poluída), ok?

Leme – Praia mais ampla, ao lado da praia de Copacabana. É mais frequentada por famílias.

Calçadão da praia do Leme, no Rio de Janeiro. Foto: Marcelle Ribeiro

Copacabana – Frequentada por todo tipo de gente, o que inclui farofeiros e turistas que se hospedam nos hotéis da região. Muitas pessoas vão a Copa caminhar no calçadão, ou tomar algo nos quiosques modernos e novos que foram construídos na orla, ao lado dos antigos. Em frente à praia, uma feirinha de artesanato é montada todos os dias. É na praia de Copacabana que acontece a festa de Revéillon mais famosa da cidade.

Praia de Copacabana vista do alto do Forte do Leme. Foto: Marcelle Ribeiro
Praia de Copacabana no fim de tarde. Foto: Marcelle Ribeiro
Quiosque novo na praia de Copacabana. Foto: Marcelle Ribeiro

Arpoador – Essa praia fica na pontinha de Ipanema. É bacana ir lá no fim de tarde e andar pela Pedra do Arpoador para tirar fotos. Dá para entrar na água, mas evite ficar muito perto da Pedra, pois as ondas quebram com força ali. É frequentada por um público mais farofeiro, surfistas e hippies.

Ipanema – É a minha preferida :). Cada região da praia costuma abrigar uma tribo diferente. Em frente à Rua Farme de Amoedo, entre os postos 8 e 9, fica o point do público GLS, com direito a bandeirinha de arco-íris fincada na areia e tudo. Pessoas descoladas que não se importam com o cheiro da maconha eventualmente fumada na areia de forma escondida ficam nas proximidades do posto 9. Também por lá, em frente ao Coqueirão (coqueiro mais alto da praia), ficam os descolados e sarados. Em frente ao Posto 10 ficam jovens adultos (eu!), adolescentes e famílias. Em frente ao Country Club (entre a Rua Aníbal de Mendonça e a Av. Henrique Dumont) ficam os “ricos”.
No Posto 8, já perto do Arpoador, tem um trecho que é point dos bebês, chamado de Ipabebê, em frente ao Hotel Fasano. Segundo a amiga Carolina Morand, é um espaço cercado e gratuito, onde dá para soltar as crianças com certa tranquilidade.

Posto 10, um dos postos das praias do Rio onde há banheiro e chuveiro pagos. Foto: Marcelle Ribeiro
Nas proximidades do Posto 10, em Ipanema, olhando em direção ao Leblon. Foto: Marcelle Ribeiro
Na faixa de areia do Posto 10, em Ipanema, olhando em direção ao Arpoador. Foto: Marcelle Ribeiro
O point gay de Ipanema, em frente à Rua Farme de Amoedo. Foto: Marcelle Ribeiro

Leblon – É continuação da praia de Ipanema. A água do mar costuma estar imprópria para banho nas proximidades do Posto 12, perto do paredão da Avenida Niemeyer (que atrai surfistas, pelas ondas). Perto da Rua Venâncio Flores fica o “Baixo Bebê”, a barraca de praia que reúne mães, babás e bebês, com direito a brinquedos na areia e tudo!

São Conrado – Também tem quiosques, mas a água costuma estar imprópria para banho. Essa praia é separada do Leblon pela rocha onde ficam as favelas do Vidigal e da Rocinha. Ela antecede a praia da Barra, que fica depois da Pedra da Gávea. No canto da praia de São Conrado está a Praia do Pepino, uma faixa da areia reservada para os pousos de asas-deltas e parapentes que decolam da Pedra da Gávea.

Zona Oeste:

Praia do Joá (Joatinga) – É quase uma praia privativa dos condomínios chiques que existem neste pequeno trecho de areia. Difícil de chegar sem carro, é procurada por surfistas.

Barra da Tijuca – Também conhecida apenas como Barra. É uma praia extensa, com prédios de alto padrão. A área mais badalada fica entre os Postos 4 e 6. O trecho conhecido como “Pepê”, que vai do quebra-mar até a Avenida Érico Veríssimo, no início da Barra, é frequentado por gente linda e mega sarada (dessas que fazem você morrer de vergonha do seu corpitcho fora de forma).

Praia da Reserva – Fica entre a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes. É uma praia mais reservada, não fica lotada.

Recreio dos Bandeirantes – Também chamada apenas de Recreio, é vizinha à praia da Barra. Extensa, tem calçadão para caminhadas e quiosques também. Na ponta dela, em direção à Prainha, fica a Praia da Macumba.

Prainha – Uma delícia de praia, pelo visual verde no entorno. Não há prédios: do lado oposto da faixa de areia, há apenas a Mata Atlântica do Parque Municipal da Prainha. É procurada por surfistas porque tem fortes ondas. Se você tiver uns dias de sobra visite a Prainha, para ter uma experiência diferente das praias da Zona Sul e apreciar a natureza. Mas chegue cedo! Estacionar na Prainha é bem difícil, porque há poucas vagas. Ah, e não há chuveiro de água doce lá, nem banheiro (apesar de haver um quiosque simples). Como é mais afastada, os preços das comidas e vendidas nesta praia costumam ser mais altos que os praticados nas praias da Zona Sul.
Para chegar lá de transporte público, vá de Surf Bus (mais informações no site http://www.surfbus.com.br )

Grumari – Logo depois da Prainha, Grumari é um pouco mais extensa e tem mais infraestrutura (mas acho que não há chuveiros de água doce também). Esta praia é lindíssima, tem ondas boas para surfistas e quiosques. No canto esquerdo ficam os naturistas (gente peladona! rsrs), no trecho conhecido como Praia de Abricó.

Barra de Guaratiba – No extremo da cidade, essa praia tem casas simples e um bom restaurantes de pescados.

Veja que praias do Rio estão próprias para banho no site da prefeitura

 

Leia também:

 

 

Compartilhar este artigo:

Comentários

  1. Andrey
    29 dez 2012

    Olá Marcelle!

    Tudo bom? Ouvi a sua entrevista na CBN. Ouvi vc. comentar que as vezes é legal ter ajuda de pessoas que viajam, mandando fotos e dicas de locais…

    Indico o site do meu primo, guiarunge.com

    Ele vira-e-mexe, faz avaliações de restaurantes pelo mundo, locais etc… vale a pena dar uma olhada e se vc. gostar, pedir autorização p/ postar as dicas dele no seu site… quem sabe, não rola alguma parceria de dicas aí, não é mesmo?

    Sorte aí!

    Andrey

  2. Loucos por viagem
    02 jan 2013

    Olá adorei seu blog de viagem, gostaria de convidar para participar do meu:
    http://lugaresdaterra.blogspot.com.br/. Fique na paz.

  3. Michelle
    14 dez 2015

    Marcelle, parabéns pelo blog! Com certeza é o melhor blog sobre o RJ. Adorei as dicas das praias próprias e impróprias, os públicos, os postos com chuveiros, enfim… Muito bacana! Obrigada!

  4. Oscar
    04 jan 2016

    Obrigado por partilhar as suas experiências, o site é 5 estrelas.

    Muito útil, estou a viajar para o Brasil e a devorar inteiramente o site. Está muito bem construído, podemos ler o essencial e aprofundar com ligações suplementares.

  5. Guilherme Meirelles
    26 jan 2016

    Olá!

    Gostei das dicas. Porém… como “bairrista” morador do Flamengo, acho que você poderia citar que, da Praia do Flamengo, se tem uma das mais belas vistas do mundo. O Pão de Açucar, frontal, como nos cartões postais ( e não de “costas” como no Leme e Copacabana ); a Baía da Guanabara; a Urca; Niterói…

    Precisamos “quebrar” essa visão “Manoel Carlos” de Rio de Janeiro-RJ. De só divulgar o Leblon.

  6. PAULO ALMIRANTE
    25 dez 2016

    Boa tarde, Marcelle.
    Muito grato pelo seu esforço em reunir informações visando proporcionar alegria e satisfação a outros.
    Um forte abraço e que continue com essa mesma disposição.
    Paulo Almirante (Recife, PE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *