Devorando as delícias do mundo – Parte 1

postado por Marcelle Ribeiro em 14/02/2012 - Atualizado em: 18/11/2017
Compartilhar este artigo:

O meu maridão, Guilherme Calil, resolveu virar colaborador deste blog para dicas gastronômicas-viajantes e escreveu um post sobre as delícias que ele comeu nas nossas viagens. Eu provei e aprovo: valem cada caloria! Antes de mais nada, peço desculpas pelas poucas fotos. É que a fome do Guilherme era tanta que a gente só lembarava de tirar foto depois que ele já estava com a boca cheia e a comida já tinha sumido!

Comece a salivar agora:

“Essa é a minha primeira participação neste blog. Estava em grande parte das viagens da Marcelle nos últimos anos, mas não tenho a mesma paciência para organizar tudo. Por isso, sou péssimo para dar dicas sobre como se locomover ou onde se hospedar nas cidades. Mas quando o assunto é comer, é comigo mesmo… Principalmente se for comida gorda! (nota da editora do blog: por “comida gorda” leia-se muito calórica!)

Antes de tudo, vamos falar sério. Quem faz dieta durante uma viagem? Juro que não conheço ninguém que comete este crime… É por isso que eu adoro viajar! Eu deixo para me preocupar (pouco, eu admito) com os quilinhos a mais na volta…

Já que o assunto é comer gordamente, não poderia deixar a Marcelle escrever este texto. Ela iria se preocupar muito com as calorias e menos com a gostosura das frituras e doces que provamos ao longo das nossas viagens nos últimos anos…

Fiz uma pequena lista com iguarias que podem ser encontradas em algumas das maiores cidades do mundo… Essa é apenas a primeira parte.

 

1 – Wurst na Alemanha

Aí, você já pensa: “Salsicha tem em qualquer lugar do mundo!”. É verdade, mas nenhuma como as que comi em Berlim. E o melhor: você tropeça em barraquinhas de wurst em quase todas as ruas da cidade…

Essas barraquinhas não têm nada a ver com as que encontramos no Brasil. São organizadas, limpas e especializadas em vender essas delícias no prato ou no pão.

E tem de vários tipos: de porco, de cordeiro, de frango, vermelha, branca, com ervas, com curry…

A dica para quem tem o mesmo espírito gordo que o meu é esquecer o café da manhã do hotel e parar em TODAS as barraquinhas que encontrar no caminho. Assim, você consegue comer mais variedades.

Outra coisa: não esqueça de pedir uma cervejinha para acompanhar a salsicha. Os alemães também são bons nisso, mas isso é assunto para outro post.

Sanduba de pão com linguiça em Berlim

Sanduba de pão com linguiça em Berlim. Foto: Marcelle Ribeiro

 

2 – Fish and Chips em Londres

Ah, o peixe frito com batatas fritas dos ingleses… Não comer um em Londres é o mesmo que não visitar o Big Ben!

Não passa de um filé de peixe empanado com batatas fritas, mas os ingleses fazem bem. O peixe fica crocante por fora e suculento por dentro. As batatas são boas, mas não são holandesas ou belgas (vamos falar disso daqui a pouco).

É muito fácil achar um stand vendendo fish and chips em Londres. Eles embrulham tudo em um papel e o pessoal vai comendo pela rua, feliz da vida…

Eu até queria comer desse jeito, mas a Marcelle não deixou. Então, fui obrigado a comer sempre em um pub, acompanhado por uma cerveja. Eu comi um muito bom no Elephant Head, em Camden Town.

Falando em Inglaterra, vamos continuar na terra da Rainha…

 

3 – Steak and Ale Pie em Londres

Tá, eu confesso: Não comi uma na minha primeira viagem. Sempre pensei que o recheio era feito de miúdos, rins e outros pedaços de carne estranhos, mas me enganei. No meu último dia em Londres em 2011, decidi experimentar. E como me arrependi de não ter provado antes…

O prato em si é bem simples. É como se fosse um empadão, mas ele tem mais recheio, que é feito de carne com um molho de cerveja (normalmente Guinness). É simplesmente delicioso!

Eu comi um no The Bayswater Arms, que é um pub que fica na esquina da Queensway com a Moscow Road. O site deles é o taylor-walker.co.uk

 

4 – Croquete de Carne em Amsterdã

Assim como a batata frita, esse prato é uma instituição da Holanda. Eles AMAM croquete de carne. Vende em todo lugar… Nos parques, nos mercados, no McDonald’s (sim, existe um McCroquete na Holanda) e em lojinhas especializadas em salgadinhos (a Febo é a mais conhecida).

Aliás, a Febo tem um esquema de venda bem diferente. São vários forninhos, cada um com um salgadinho. Você coloca umas moedas e retira o seu croquete quentinho… Não precisa nem passar pelo caixa…

É muito gostoso. Fica crocante por fora e bem molinho por dentro… Parece uma pasta de carne. Você pode comer puro ou com pão. Eu, como não podia deixar de ser, comi dos dois jeitos… Não perca!

 

Croquete holandês

Croquete no pão em Amsterdam. Foto: Marcelle Ribeiro

 

5 – Batata Frita na Holanda ou na Bélgica

Aqui a coisa esquenta! Os holandeses e os belgas vivem discutindo sobre quem faz a melhor batata frita. Eu digo: comam as duas e fiquem de boca cheia para evitar a discussão.

As duas versões são ótimas, bem crocantes e vêm embaladas em papel com uma porção generosa de maionese em cima. Os belgas dizem que usam gordura animal para fritar e isso faria diferença. Sinceramente, não senti diferença entre as duas.

Para comer, basta andar pelas ruas dos dois países. Logo você acaba tropeçando em uma barraquinha onde se lê “Vlaamse Frites”. Nem tente falar isso e vá logo apontando para o tamanho do cone que você quer… Se preferir, é só falar “french fries”. Eles entendem, até porque não tem mais nada para vender na barraquinha…

No próximo post, vamos continuar na Bélgica, mas vamos passar por Itália, Argentina e Brasil… Até lá!”

Batata no cone na Holanda.

Cadê a batatinha que estava aqui? Foto: Marcelle Ribeiro

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Comentários

  1. 16 fev 2012

    Ai caracaaaa!!!! Dá pra gente viajar juntos da próxima vez amigos????

    Falou em viagem com gordices, adooooro!!!!!!!!!!

    Mas vou contar uma coisa: Fui a Londres 2x e nao visitei o Big Ben (entendeu né? rs)… Fiquei arrependida agora!

    Nesse momento to vendo uma reprise do “Lugar Incomum” da Didi Wagner e to morrendo de inveja dela…. viajar profissionalmente deve ser muito “chato”!

    Adorei o post!

    Bjs Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *