Buenos Aires: o nosso roteiro de quatro dias

postado por Marcelle Ribeiro em 02/04/2012 - Atualizado em: 16/09/2018
Compartilhar este artigo:
buenos-aires-roteiro4

A Floralis Genérica é um dos símbolos de Buenos Aires. Foto: Marcelle Ribeiro.

Resolvi colocar neste post o roteiro da viagem que fizemos em Buenos Aires em fevereiro, para que vocês tenham ideia de quanto tempo é necessário para cada passeio, quanto gastamos de táxi e também de como fazer um roteiro pensando nos restaurantes que você quer ir. Como um dos maiores objetivos da viagem era comer bem (porque o maridão é louco por carne!), a gente escolheu o que ia fazer em cada dia pensando nos restaurantes legais que havia nas regiões que visitaríamos.
Passamos quase quatro dias inteiros em Buenos Aires e curtimos tudo sem muita correria. A seguir, o nosso roteiro:

Dia 08/02/12 – Chegamos à noite em Buenos Aires, quase de madrugada. Pegamos um táxi e fomos para o hotel dormir.

Dia 09/02/12 – Da Recoleta, onde estávamos hospedados, pegamos um táxi (20 pesos) para fazer a visita guiada ao Teatro Colón, que estava pré-agendada (com ingressos comprados 2 semanas antes, pela internet) para as 9h15 (Veja mais sobre o Teatro Colón neste post aqui).

Do Teatro Colón, fomos andando para as Galerías Pacífico, para comprar os ingressos para o show de tango que assistiríamos no Centro Cultural Borges, que fica dentro das Galerías Pacífico, no dia seguinte. Tiramos umas fotos nas Galerías Pacífico e seguimos andando pelo Centro até o Café Tortoni. Depois, visitamos a Casa Rosada, a Catedral de Buenos Aires e a Plaza de Mayo (Leia tudo sobre essa manhã de passeios no Centro de Buenos Aires neste post aqui)

Da Plaza de Mayo seguimos de táxi (14 pesos) para San Telmo, onde havíamos feito reserva para almoçar às 13h30 no restaurante Gran Parrilla Del Plata (leia o que achamos dele neste post aqui). Escolhemos almoçar em San Telmo porque ficava no meio do caminho entre o Centro e o bairro de La Boca, o nosso destino da tarde. É que não consegui descobrir nenhum restaurante realmente bom no Centro e não me animei em comer em La Boca.

Do restaurante, pegamos um táxi (18 pesos) para o museu e estádio do Boca Juniors, o La Bombonera. (veja como é o passeio por lá neste post aqui). Não fomos ao Caminito, que é perto do estádio, porque eu já conhecia e não tinha gostado (e Gui não fazia questão ir). Mas se você não conhece e quer conhecer, é uma boa oportunidade aproveitar que está ali pertinho e dar um pulinho lá.

Depois, pegamos um táxi para o hotel, na Recoleta (38 pesos) e paramos para tomar sorvete numa das sorveterias famosas de lá, a Freddo. Delícia! Não se preocupe em “achar” uma Freddo, porque eles têm unidades próximas a quase todas as atrações turísticas da cidade. Você vai acabar esbarrando em uma! Duas bolas generosas de qualquer sorvete custam 25 pesos. Provamos algumas variações de sabores com doce de leite e chocolate.

Maridão nem deu tempo para eu tirar a foto do sorvete... Foto: Marcelle Ribeiro.

Maridão nem deu tempo para eu tirar a foto do sorvete… Foto: Marcelle Ribeiro.

À noite, após uma passada no hotel, fomos andando para um restaurante especializado em empanadas e bem famoso ali mesmo na Recoleta, o San Juanino (leia mais sobre o San Juanino neste post).

Dia 10/02/2012 – O dia começou com um giro nos outlets (veja mais sobre eles neste post aqui). Às 10h já estávamos indo para as lojas e ficamos por lá até umas 15h, com direito a uma parada para almoçar no restaurante de carnes La Cabrera, onde comemos e descansamos.

Às 15h saimos das lojas e pegamos um táxi (23,50 pesos) para conhecer o Rosedal, uma área verde lindíssima que já descrevi neste post aqui.

Ficamos umas 2h por lá e pegamos um táxi de volta à Recoleta (34 pesos), onde tomamos sorvete em outra sorveteria famosa a Persicco, tão gostosa quanto a Freddo.

Depois de um banho rápido no hotel, fomos ao show de tango no Centro Cultural Borges (táxi para lá: 14 pesos), que começou às 20h (eu conto aqui como foi e dou outras dicas de tango).

Fomos jantar no Puerto Madero (táxi para lá: 15 pesos), o antigo porto de Buenos Aires que foi todo renovado e está cheio de restaurantes. Eu já tinha lido que lá era uma área mais frequentada por turistas, com restaurantes “más ou menos” e/ou caríssimos, mas resolvemos ir assim mesmo, para Gui conhecer. É que eu queria que ele visse a Puente de La Mujer, uma ponte com formato diferente que evoca a um casal de dançarinos, numa homenagem ao tango. A ponte recebeu esse nome porque as ruas do entorno têm nome de mulheres famosas.

buenos-aires-roteiro2

Barco em Puerto Madero. Foto: Marcelle Ribeiro.

buenos-aires-roteiro3

A Puente de la Mujer está lá no fundo… Foto: Marcelle Ribeiro.

Jantamos no restaurante La Parolaccia Casa Tua (Calle Alicia Moreau de Justo, 276), mas as massas, que são a especialidade da casa, deixaram a desejar. De lá pegamos um táxi para o hotel (24 pesos).

Dia 11/02/2012 –  O dia começou com um “rolé” pela Recoleta, com visitas à belíssima livraria Ateneo Grand Splendid, à feirinha do bairro e à Basílica Nossa Senhora de Pilar, passeio que durou umas 2h ou 3h e descrevi neste post aqui.

Depois, seguimos de táxi (35 pesos) para o Jardim Botânico de Buenos Aires, na área de Palermo Chico, que foi decepcionante. O local está abandonado, não vale a pena. Se você não conhece ainda o Jardim Japonês, eu te aconselharia a ir para lá, porque é pertinho. Veja o que achei do Jardim Japonês quando fui em 2006, neste post aqui.

Como a gente já estava pela região de Palermo, resolvemos andar pelo bairro. Aqui cabe uma explicação. O bairro Palermo é subdividido em vários “Palermos”. Palermo Chico margeia o bairro da Recoleta e é onde estão o museu Malba e várias embaixadas. Os Bosques de Palermo é a área que concentra o Jardim Japonês, o Jardim Zoológico, o Rosedal, enfim, as atrações “verdes” da cidade. E tem ainda Palermo Viejo, que é subdivido em mais dois “palermos”: Palermo Soho, com várias lojinhas bonitas e restaurantes e Palermo Holywood, que é mais animado à noite, devido aos restaurantes, bares e baladas. Para entender Palermo geograficamente, dê uma olhada nesse mapa aqui: http://www.buenosaires.travel/Circuitos_Palermo_pt.aspx

Feita essa explicação, continuo o roteiro! Seguimos andando pelas lojinhas de Palermo Soho, onde dizem que é mais legal passear à tarde, pois tem mais “vida”. Já era quase 12h, e estava legal. Seguimos a pé para a esquina das ruas Malabia e Costa Rica, numa praça onde havia uma feirinha. Nas ruas El Salvador e Honduras estão lojas bacaninhas. Eu parei numa loja de bijuteria lindinha e barata e fiz a festa!

Às 13h já estávamos em outra Palermo, a Holywood, para almoçar no restaurante Miranda (o táxi para lá deu 20 pesos).

Com a barriga cheia da mais maravilhosa carne que já comi, peguei um táxi com Gui para o Museu de Arte Latinoamericana de Buenos Aires, o Malba (veja as dicas de lá neste post aqui).

Passamos quase 2h no Malba. Como estávamos sem dinheiro trocado e morrendo de medo de receber nota falsa, ao invés de pegar um táxi, resolvemos andar.

Foi legal porque pude ver a Floralis Genérica, uma flor de alumínio ernorme, cujas pétalas abrem às 8h e fecham ao anoitecer (fica na Plaza Naciones Unidas, na esquina da Avenida Figueroa Alcorta com a Calle Austria), quase chegando na Recoleta. E o engraçado é que como era verãozão, havia várias pessoas tomando sol em cadeiras de praia que acho que foi a prefeitura que colocou ali. Tinha até um chuveirão, que não estava sendo usado!

buenos-aires-roteiro5

A Floralis Genérica e a galera tomando sol. Foto: Marcelle Ribeiro.

A gente resolveu ir andando para o hotel, mas foi uma roubada! Andamos quase 1h, e eu cheguei morta! Ainda bem que no final do caminho tinha mais uma sorveteria a ser “conhecida”: a  Un’ Altra Volta, mais conhecida como Volta. Maravilhosa!!!

À noite, a intenção era ir comer num restaurante chamado Mott, em Palermo Soho, e dali ir andando para fazer uma aula de tango numa milonga chamada La Viruta. Só que eu percebi tarde demais que estava sem pesos, só com reais. Fomos de táxi da Recoleta até Palermo Soho (39 pesos) e chegando no Mott, desistimos de comer lá, porque percebemos que o cardápio daquele horário era diferente do do período da tarde, que foi o que nos atraiu. Tentamos sacar dinheiro para ir à La Viruta e não conseguimos (e a milonga não aceitava reais nem cartão, só pesos, dólares e euros. Saiba mais sobre milongas neste post aqui). Frustrados, acabamos indo comer em qualquer restaurante da região de Palermo Soho que aceitasse cartão de crédito. A comida até era boa, mas esqueci de anotar o nome do restaurante, sorry.

Dia 12/02/2012 – Com o check out feito, seguimos para uma manhã na Feira de San Telmo (táxi da Recoleta para lá: 25 pesos), descrita neste post aqui. Lá, pegamos um táxi para almoçar noEl Club de La Milanesa perto do nosso hotel, na Recoleta (táxi: 25 pesos). Andamos para o hotel, onde o táxi já estava nos esperando para levar ao aeroporto. Adiós, Buenos Aires!

LEIA TODOS OS POSTS SOBRE A ARGENTINA AQUI

Reserve sua hospedagem em Buenos Aires pelo Booking clicando aqui e ajude o blog a ganhar uma pequena comissão sem pagar nada a mais! (saiba como funciona essa parceria aqui)

Ao reservar o seu carro pelo portal Rentcars por esse link, você compara preços de várias locadoras, consegue descontos e colabora com o Viciada em Viajar.

Contrate seguro de viagem internacional com desconto na Mondial clicando aqui.

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Comentários

  1. Rodrigo
    14 ago 2012

    Marcelle,

    Primeiro gostaria de agradecer pelas dicas. Dei uma “colada” no seu roteiro e fiz umas adaptações. Foi útil demais.
    Pena vcs não terem conseguido ir ao La Viruta. O lugar é muito legal, fui com minha esposa e vale muito a pena. Nós conseguimos pagar a entrada em Real, acho que eles mudaram a regra, até pq tinha muito brasileiro lá.
    Estivemos no Madero Tango e tb foi muito bom. Nem é tão caro (US$35/por pessoa sem jantar). Outra dica boa é o restaurante Don Julio que um outro camarada escreveu aqui no Blog (fica em Palermo, guatemala com gurruchaga).

  2. Anonymous
    26 set 2012

    Bom eu fui 4 vezes já a Buenos Aires e tenho algumas dicas aqui para vocês, pois onde a nossa amiga visitou são alguns pontos turísticos mais visitados, porém há muito mais que poucas pessoas sabem pois o turismo portenho não foca muito, que seria: Avenida Avellaneda, avenida essa ótima principalmente para mulheres pois tem muita roupa, são mais de 6 quarteirões dos 2 lados da avenida só de roupas, há roupas masculinas tbm, mais o foco são as femininas, roupas muito baratas vendidas no atacado e varejo, é como se fosse o Brás em São Paulo em BSAS. Outro lugar muito legal é o Parque de La Costa, o parque é tipo o hopi hari, muito legal mesmo, e o caminho para chegar até ele é muito bom tbm, sendo um trem muito bonito que sai da estação Maipú que é uma estação bem legal pois há uma feira de antigüidades, e pelo caminho até o parque o trem vai passando pelo lado do rio tigre, que no parque oferece passeio de barco pelo tigre. Ao lado do parque tem um Cassino bem grande mesmo e muito bom, que deixa tirar fotos dentro dele diferente do Cassino Flutuante em Porto Madero. Outro ponte legal para dizer que a Casa Rosada aos sábados e domingos abre para o publico para entrar dentro dela, a visita é guiada e você anda por toda ela, entrando até na sala da presidente. Minha dica para comer é: COMA ONDE O ARGENTINO COME, restaurantes onde tem muito estrangeiro a comida não costuma ser muito boa. Outra dica minha é na Avenida Corrientes que é a do Obelisco, tem uma Loja da ARCOR muito legal mesmo, com muito doce, balas, chocolate wonka, chicletes de metro e muito mais, vale a pena mesmo. Caso alguém queira saber mais ou tenha duvidas de algo me add no facebook Marcelo Henrique Fuloni, ok! Abraços a todos

  3. Anonymous
    14 out 2012

    Marcelle,

    Fui estes mês para Buenos Aires e segui algumas de suas dicas. A que mais gostei foi do “Miranda”. Que carnes maravilhosas…comentei da sua indicação e eles ficaram super felizes.

  4. Anonymous
    10 dez 2012

    Parabéns!

    um dos melhores posts que eu vi!

    Gostaria de saber se no caso do La viruta temos que agendar com antecedencia, ou é só chegar lá no horario das aulas, pagar e fazer?

    Obrigada

  5. 11 dez 2012

    Olá,

    Para o La Viruta, basta chegar lá no horário da aula, pagar e fazer. Não precisa agendar.
    Abs,
    Marcelle

  6. Anonymous
    14 jan 2013

    Olá Marcelle,

    Meu nome é Mateus e estou indo pela primeira vez a Bs As com minha esposa no próximo mês. Adorei as dicas e aproveitei muitas delas para incluir no meu roteiro. Fiquei ainda com alguma dúvidas sobre a cidade.

    Sabe dizer se as lojas da Avenida Santa Fé abrem aos domingos?

    Gostaria de te mandar meu roteiro por email para saber sua opinião. Se puder me mandar seu email, manda no [email protected]

    Ano passado fomos para Gramado. Esse ano a escolhida foi Bs As. Espero que a gente goste tanto quanto gostamos no ano anterior.

    Obrigado pelas dicas.

  7. 14 jan 2013

    Oi, Mateus,

    Manda seu roteiro por aqui mesmo, na caixa de comentários, que eu dou uma olhada. Mas não sou expert em Buenos Aires, ok? 🙂
    Não sei se as lojas da Avenida Santa Fe abrem aos domingos. Sugiro que você passe no blog da Mariana, uma brasileira que mora em Buenos Aires e deixe essa pergunta para ela. Ela tem um post bem legal com dicas de lojas bacanas na Santa Fe:
    http://myvillacrespo.com/2012/10/o-melhor-da-avenida-santa-fe/

    A Avenida Santa Fe tem até um site, que lista todas as lojas, mas no site só fala o horário de funcionamento de umas poucas lojas:
    http://avenidasantafe.com.ar/comercios.php

    Outra opção para descobrir se as lojas abrem no domingo é deixando uma pergunta no blog Viaje na Viagem:
    http://www.viajenaviagem.com/2012/01/primeira-viagem-um-fim-de-semana-em-buenos-aires/

    Abraço,
    Marcelle

  8. Carolina
    06 maio 2013

    Além dos roteiros que vc indicou fomos ao zoológico de lujan, é muito especial o contato direto com leões, tigres e elefantes!

  9. gabrielle
    02 out 2013

    Ola Marcelle…
    Ja fui a Buenos Aires ano passado com uma amiga e adorei!
    Ocoore que meu namorado nunca foi e compramos para ficar do dia 10/10/13 chegamos de manha ate 13/10/13 saimos a tarde. Ele nao abre mao de conhecer o estadio e o zoo lujan(eu ja fui nos dois e adorei). O restante ele deixou por minha conta!
    Gostaria de dicas de como me programar, de lugares bom p comer…pois na verdade so terei 3 dias…
    No aguardo

    • 03 out 2013

      Oi, Gabrielle,
      Dê uma lida com calma nos posts do blog e você verá que eu dou várias dicas de passeios legais na cidade.
      Abraço,
      Marcelle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *