Viagem para Bali: Uluwatu, Padang Padang e mais do sul da ilha

postado por Marcelle Ribeiro em 06/10/2017 - Atualizado em: 14/11/2017
Compartilhar este artigo:
Thomas Beach

Thomas Beach é uma das melhores praias do sul de Bali. Foto: Marcelle Ribeiro.

Uma viagem para Bali não é completa sem conhecer o sul dessa ilha gigantesca. É por lá que estão algumas das melhores praias da Indonésia, além de templos, bons restaurantes e um pôr do sol inesquecível!

Assim como em toda a ilha, a melhor maneira de conhecer todas as atrações é alugando um veículo. No nosso caso, contratamos um serviço de aluguel de carro com motorista por US$ 40 por dia (R$ 125). A gasolina já está incluída neste valor e o motorista fica com você por 10 horas.

Pensando em alugar um carro para conhecer Bali? Pelo Rentcars você reserva nas maiores operadoras do mundo, ganha desconto e ajuda o blog.

Praias

Seminyak

Essa foi a região de Bali que escolhi para me hospedar enquanto conhecia o sul da ilha. A praia não é muito legal, pois a areia é preta e a cor da água não muito bonita, mas os restaurantes e a vida noturna de lá são imbatíveis.

O legal da região é que há muitos restaurantes e bares reunidos bem perto dos hotéis, no melhor estilo Rua das Pedras, de Búzios. E ainda tem os beach clubs mais bacanas de Bali, com um programa que eu amo: ver o pôr do sol olhando para o mar. À medida que a noite cai os beach clubs vão cedendo lugar para pessoas que foram lá para jantar ou até para dançar. Amo!

Os dois beach clubs mais famosos de Seminyak são o Potato Head, que infelizmente não consegui visitar, e o Ku De Ta. Por lá, você pode acompanhar um pôr do sol incrível, com direito a uma piscina e um ambiente super descolado e com música boa. O atendimento também é muito bom, com garçons super atenciosos.

Eu nem sou muito de balada, mas curti ficar lá para poder comer pertinho do hotel e ver gente na rua. Eu conto vários detalhes sobre Seminyak neste post.

Se você quiser mais informações sobre onde comer em toda a ilha de Bali, é só clicar aqui.

Reservando seu hotel em Seminyak por este link do Booking (que tem o meu código), você ajuda blog.

Ku De Ta, em Seminyak

O incrível pôr do sol visto do Ku De Ta, em Seminyak. Foto: Marcelle Ribeiro.

Chegamos ao Ku De Ta uns 30 minutos antes do pôr do sol e demos sorte porque conseguimos um sofá na varanda e com uma visão privilegiada do horizonte. E o melhor: só pagamos o que consumimos. Se você preferir, existem outros lugares, mas alguns só podem ser usados com uma consumação mínima. Por isso, é importante perguntar aos garçons.

Toda essa estrutura cobra um preço. Se prepare para pagar preços bem acima do padrão da Indonésia nas bebidas. Como já sabíamos disso, pedimos apenas 2 cervejas e um drinque e não ficamos para jantar. Mesmo assim, a conta ficou em 291 mil rúpias (R$ 67,50 ou US$ 21,50), o que é um preço normal para os padrões brasileiros.

Uluwatu

É uma das praias mais famosas de Bali por sua beleza e também ser um ponto de encontro de surfistas que buscam boas ondas.

Uluwatu

Uluwatu vista de cima. Piscina natural na maré baixa. Foto: Marcelle Ribeiro.

Não tem hotel ainda? Reserve em Uluwatu por este link do Booking (que tem o meu código), você ajuda blog.

Mas não precisa ser surfista para se encantar com Uluwatu. Na maré baixa, a praia passa a ter várias piscinas naturais com água quentinha e muito azul, quase totalmente transparente. A faixa de areia não é muito grande, mas o paredão de pedra cria uma sombrinha agradável.

Uluwatu

Turistas aproveitam a piscina natural de Uluwatu. Foto: Marcelle Ribeiro.

Para chegar, é preciso enfrentar uns 10 minutos de descida por uma escada de cimento, mas não é muito cansativo. O espaço é amplo e é rodeado por vários restaurantes, pousadas e lojas de equipamentos para surfe. Na areia, você não vai encontrar nenhuma estrutura, por isso é melhor levar água ou biscoitos se você quiser ficar por mais tempo na praia.

Lá em cima do penhasco, comemos em um dos melhores restaurantes que conhecemos em Bali: o Single Fin, com uma vista incrível da praia de Uluwatu lá de baixo. Você pode ler mais sobre onde comer na ilha neste post.

Padang Padang

Outra praia super conhecida de Bali e que virou até nome de música do Asa de Águia… rsrsrsrs

Padang Padang também é muito procurada por surfistas, mas uma parte da praia tem água calminha e muito azul, com uma temperatura super agradável.

Padang Padang

Padang Padang com água calminha e super azul! Foto: Marcelle Ribeiro.

Não é difícil chegar até a praia. Você paga uma entrada de 10 mil rúpias por pessoa (R$ 2,30 ou US$ 0,75), desce uma escada por cerca de 5 minutos até chegar à faixa de areia, que não é muito grande, mas com espaço para todo mundo.

Já tem seguro de saúde internacional? Faça pela Mondial por esse link e ganhe desconto.

Por lá, você vai encontrar alguns ambulantes e barracas de praia, mas a estrutura é bem ruim. Eu não tive coragem de comprar nada por lá. Consumi apenas o que levei e usei a sombra criada por algumas pedras para descansar.

Padang Padang

A estrutura das barracas em Padang Padang é precária. Foto: Marcelle Ribeiro.

Thomas Beach

Uma das minhas praias favoritas em Bali foi Thomas Beach. Ela foi a primeira que visitei e, apesar de menos conhecida, é de uma beleza estonteante. Lá de cima, você já percebe que a água é de um azul lindo, que vai mudando de tom em alguns pontos com algas.

Para chegar à faixa de areia, é preciso descer uma escada de cimento, mas nada muito complicado. Você deve chegar lá embaixo em menos de 10 minutos. É possível que seu motorista não conheça Thomas Beach, então dê as referências a ele: fica entre Padang Padang e Uluwatu. Ele tem que entrar quando vir a placa para o Thomas Homestay.

Thomas Beach

Thomas Beach, em Bali. Foto: Marcelle Ribeiro

Thomas Beach

Thomas Beach tem uma estrutura melhor do que outras praias. Foto: Marcelle Ribeiro.

Por lá, a estrutura já é um pouco melhor, com alguns restaurantes e pousadas pé na areia, mas nada muito sofisticado. Você não precisa pagar nada para entrar, e pode alugar um conjunto com guarda-sol e duas espreguiçadeiras por preços bem camaradas. Nós pagamos 50 mil rúpias pelo conjunto (US$ 3,70 ou R$ 11,60), mas só não paguei menos porque o Guilherme não me deixou pechinchar. Tenho certeza que é possível conseguir um desconto.

A água é uma delícia, quentinha e com pouca onda. Dá pra ficar o dia inteiro aproveitando aquela piscina natural!

Bingin

Encontrar essa praia foi um verdadeiro desafio! O nosso motorista sabia onde era a praia, mas não sabia onde ficava a barraca à qual queríamos ir e nem o GPS ajudou muito. Mas conseguimos chegar. O problema é que o estacionamento de carros fica a uns 300 metros da entrada para a praia e a sinalização é bem ruim. Além disso, não há uma avenida à beira-mar. Com isso, demoramos a nos localizar.

Tínhamos a indicação de um restaurante que ficaria bem em frente à praia, o Kelly’s Warung. Chegar lá não foi nada fácil porque, ao contrário das outras praias, Bingin tem uma escadaria super íngreme e com várias bifurcações. Com a falta de sinalização, ficou bem difícil se manter na rota, o que só conseguimos por causa do Google Maps. Acabamos encontrando o restaurante quase que por acaso.

Bingin

O chão de pedras dificulta a entrada na água em Bingin. Foto: Marcelle Ribeiro.

O restaurante era super agradável, com cerveja gelada a preços acessíveis, mas não gostei tanto da praia. O piso de pedras dificulta o acesso à água, que era super azul e com uma temperatura gostosa. Foi a única praia em que usei chinelos para entrar no mar.

De todas as praias que visitei, é a que menos recomendo. Eu ficaria mais tempo em Thomas Beach, por exemplo.

Jimbaran

Agora que já falei dos lugares que visitei, vou dar um alerta de um que não conheci, mas que é pegadinha para turista: Jimbaran.

Muitos motoristas indicam que você almoce em um dos restaurantes dessa região. Eles dizem que a comida é ótima e o clima é bem gostoso. Não foi o que meu primo Jeann e a esposa dele, Nathalia, encontraram. Eles me relataram que a comida não era isso tudo e tinha até barata no restaurante para onde foram levados. E pior: os preços são exorbitantes, mesmo na comparação com o Brasil! Evitem se vocês puderem.

Templos

Uluwatu

Apesar de ter o mesmo nome da praia, o templo de Uluwatu não fica exatamente no lugar onde as pessoas tomam banho de mar, mas na mesma região da ilha.

Reserve seu hotel em Uluwatu por este link do Booking (que tem o meu código) e ajude o blog.

O templo de Uluwatu é enorme e fica na beira de um penhasco, bem em frente ao mar. A beleza do lugar é mais a vista do que o templo propriamente dito, que é pequeno e com pouco dourado (amo os detalhes dourados!).

A entrada custa 30 mil rúpias (R$ 6,95 ou US$ 2,25) por pessoa. Mesmo assim, a movimentação de turistas é muito grande, principalmente no fim da tarde, quando todo mundo quer aproveitar o belo pôr do sol.

templo de Uluwatu

O templo de Uluwatu fica em um penhasco super perto do mar. Foto: Marcelle Ribeiro.

templo de Uluwatu

O pôr do sol no templo de Uluwatu é muito concorrido! Foto: Marcelle Ribeiro.

Você vai precisar de cerca de uma hora para visitar toda a estrutura do templo, mas se você quiser ver um show de dança Kecak, super tradicional em Bali, você vai precisar de mais tempo. A dica é: chegue com 1h de antecedência do show. Logo após comprar os ingressos do templo, compre logo os do espetáculo. Vá tirar fotos no templo e, 30 minutos antes do show, esteja na entrada da arena, para pegar um bom lugar. Ela fica abarrotada.

O bilhete para o show custa 100 mil rúpias por pessoa (R$ 23,20 ou US$ 7,40).

Show de Kecak

Show de Kecak, no templo de Uluwatu. Foto: Marcelle Ribeiro.

show de dança Kecak

O show de dança Kecak no templo de Uluwatu. Foto: Marcelle Ribeiro.

O show é bem diferente do que vimos em Ubud, outra região de Bali, onde assistimos a uma apresentação de Barong. Eu achei o Barong em Ubud bem mais legal, porque a música variava e as expressões das dançarinas eram incríveis. O show de Kecak em Uluwatu fica cansativo muito rápido.

O espetáculo conta uma história de amor que envolve personagens de um poema épico hindu. O problema é que grande parte do tempo o show tem vários homens gritando, como se fosse um mantra. Eu fiquei até o final, mas várias pessoas foram embora durante a apresentação.

Uma última dica: é preciso tomar muito cuidado com as câmeras fotográficas e com os óculos escuros dentro do templo de Uluwatu. Vários macacos moram por lá e eles roubam esses objetos com muita facilidade. Mesmo que você não tenha oferecido nenhuma comida a eles!! Eu mesma vi os bichinhos levando óculos de turistas desavisados. Fiquem atentos!

Templo Tanah Lot

O templo Tanah Lot é um dos lugares mais espetaculares que visitamos na Indonésia. Fica na beira da praia e atrai milhares de pessoas todos os dias!

Vale muito a pena ir para lá assistir ao pôr do sol. Mas é um lugar onde a vista e a natureza são mais bacanas do que o templo em si. Na verdade, você nem pode entrar no templo propriamente dito, que é super pequeno. A entrada no templo para duas pessoas custou 125 mil rúpias (US$ 9,30 ou R$ 28,90). Eu contei toda a experiência de visitar este templo neste post.

Templo Tanah Lot

Templo Tanah Lot, em Bali. Foto: Marcelle Ribeiro.

Templo Tanah Lot

Templo Tanah Lot, em Bali. Foto: Marcelle Ribeiro.

Templo Tanah Lot

Tanah Lot é um templo incrível e fica na beira do mar. Foto: Marcelle Ribeiro.

Roteiro de viagem para o Sul de Bali

Quantos dias ficar no Sul de Bali? E como montar seu roteiro?

Veja o que fizemos:

Dia A – Como passamos nossos primeiros dias em Ubud, no centro da ilha, fomos pela manhã a um templo no Norte e à tarde começamos a desbravar o Sul, assistindo ao pôr do sol no templo Tanah Lot. Nesse dia a gente dormiu em Ubud, mas poderíamos ter dormido em Seminyak também.

Dia B – Nosso motorista nos pegou em Ubud e nos levou direto para Thomas Beach, onde ficamos por umas 2h. Por volta das 15h fomos para o restaurante Single Fin, no alto do penhasco da praia de Uluwatu, onde almoçamos com uma vista incrível até às 16h30. Depois nosso motorista nos levou para conhecer o templo de Uluwatu, e também para assistir o show de kecak no mesmo dia. Chegamos por volta de 20h no nosso hotel em Seminyak.

Dia C – Nosso motorista nos pegou em Seminyak e nos levou para a praia de Padang Padang, onde ficamos por volta de 1h30. Depois, fomos aproveitar a maré baixa nas piscinas naturais da praia de Uluwatu. O acesso fica ao lado do restaurante Single Fin, onde almoçamos de novo. De lá, fomos para Seminyak, direto para o Ku De Ta, para curtir o pôr do sol com drinks.

Para fazer tudo com mais calma, eu acho melhor acrescentar mais 1 dia.

Reservando seu hotel em Seminyak por este link do Booking (que tem o meu código), você ajuda blog.

Já tem seguro de saúde internacional? Faça pela Mondial por esse link e ganhe desconto

Pensando em alugar um carro para conhecer Bali? Pelo Rentcars você reserva nas maiores operadoras do mundo, ganha desconto e ajuda o blog.

Leia também:

Mais fotos e curiosidades da Indonésia no nosso Facebook, Instagram , Twitter e Pinterest

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Comentários

  1. Marcelle
    12 nov 2017

    Teste de comentário 12/11/17 às 12h41

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *