Receba os posts por e-mail

Marcelle Ribeiro

Marcelle Ribeiro, jornalista e viajante

Já acampei de mochila, barraca e saco de dormir. Já dividi banheiro com desconhecido na Europa (mas nunca o quarto!). Já fiquei em pousadinha simples na praia, mas também já fiquei em hotelão e em all-inclusive. Não posso saber que estarei de folga num feriado que já corro para os sites das companhias aéreas. Não curto muito excursão nem city tour e gosto de decidir quando e como vou fazer os passeios que quero.

Rio de Janeiro: Dicas de restaurantes para comer carne

22 de janeiro de 2015, por Marcelle Ribeiro

O post de hoje foi escrito pelo Guilherme Calil (também conhecido como maridão) e o tema, os leitores que nos acompanham podem adivinhar: comida! Com a palavra, meu colaborador preferido!

“Mantendo a tradição, cá estou outra vez trazendo dicas gordas para os leitores do Viciada em Viajar.

Dessa vez, minha “editora-chefe” encomendou um texto sobre alguns bons lugares para se comer carne no Rio de Janeiro. Depois de uma pesquisa de campo muito suculenta, vou falar sobre alguns restaurantes. Só ressalvo que aqui não tem uma ordem de preferência, ok?

Filé do Lira Esse é um ótimo lugar para almoçar depois de aproveitar uma praia. Ele fica bem na esquina da Avenida Ataulfo de Paiva com a Rua João Lira, no Leblon. É pequeno e você pode enfrentar uma fila de espera, mas vale a pena. O atendimento é bom, rápido e as porções são bem servidas. De entrada, eu costumo pedir uma linguiça, até para já começar a preparar as mandíbulas para a carne, mas eles oferecem outros petiscos também, como pastéis. Mas o ponto alto é realmente o filé, bem rosadinho no meio, do jeito que eu gosto! Acompanhado de arroz, feijão, batata frita, farofa e ovo frito… Dos deuses! Outra boa alternativa é pedir o Osvaldo Aranha, com aquele alho frito por cima. Um prato é suficiente para até 3 pessoas e custa uns R$ 75. Tudo, claro, acompanhado por um chope bem tirado…

Endereço: Avenida Ataulfo de Paiva, 658 (esquina com a Rua João Lira)

Telefones: (21) 2294-2599 / 99567-0153

Filé do Lira. Foto: Marcela Coimbra.

Filé do Lira. Foto: Marcela Coimbra.

Filé de Ouro – Como bom gordo, tenho algumas teorias para comida. Uma delas diz que qualquer restaurante de carne que se atreve a colocar um boi no logotipo não pode ser ruim. E o Filé de Ouro, que fica na Rua Jardim Botânico, é uma prova disso. Que carne, senhoras e senhores! Um filé alto, macio e suculento e que sempre vem com arroz e feijão. Você escolhe os outros acompanhamentos e o prato dá tranquilamente para até 3 pessoas. De entrada, comemos ótimos bolinhos de bacalhau. No total, ele é um pouco mais caro do que o Filé do Lira (uns R$ 95 por prato). Mesmo assim, vale a experiência.

Endereço: Rua Jardim Botânico, 731

Telefones: (21) 2259-2396

Cantinho do Leblon – Essa foi uma tremenda dica dada pela minha sogra. É um pé-limpo despretensioso na Rua Dias Ferreira, no Leblon, bem em frente ao Belmonte. Apesar da concorrência famosa, ele consegue seus clientes por vender uma boa picanha por um excelente preço. Estive lá em novembro com outras 4 pessoas. Pedimos apenas uma picanha com arroz, feijão, fritas, farofa e molho vinagrete. Tudo isso, incluindo o refrigerante, custou apenas R$ 35 para cada um. Um excelente custo-benefício, principalmente levando em conta o Rio $urreal em que vivemos…

Endereço: Rua Dias Ferreira, 482 – Lojas C e D

Telefone: (21) 2294-0946

Gonzalo É uma casa de carnes uruguaia na Avenida Bartomoleu Mitre, no Leblon, que usa o sistema de parrillas, aquelas famosas grelhas inclinadas. Antes de qualquer coisa, aviso que as filas por lá são quilométricas! No dia que fomos, demoramos bem mais de 1 hora pra conseguir sentar. Mas a carne compensa. Bifes altos e suculentos me lembraram as parrillas que visitei em Buenos Aires. Todas as carnes são acompanhadas por pequenas porções de feijão branco, purê de cenoura, dentes de alho e outras que são repostas quantas vezes você quiser… É ou não é o sonho de qualquer gordo? Comida boa e à vontade!

Endereço: Rua Bartolomeu Mitre, 450

Telefone: (21) 3796-3342

Fogo de Chão Considerado por muitos o melhor rodízio de carnes do Rio de Janeiro, esse lugar roubou muitos clientes da tradicional Porcão Rio’s (explico as razões um pouco mais abaixo). A vista para a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar é simplesmente espetacular e as carnes não ficam muito atrás… Bife ancho, picanha, filé mignon, tudo muito bom. Além disso, o bufê de saladas e queijos é muito gostoso também. Todos os acompanhamentos são repostos na mesa constantemente e o atendimento é excelente! É caro, mas vale o esforço.

Endereço: Avenida Repórter Nestor Moreira, s/n

Telefone: (21) 2279-7117

Porcão Rio’s Deixei por último porque não recomendo mais uma visita a esse ícone do Rio de Janeiro. É uma pena, mas a qualidade do serviço caiu muito nesse que reinou por muito tempo como o melhor rodízio da cidade. A vista continua espetacular, mas a comida nem tanto. Na última vez que estive lá, nem filé mignon tinha! Como uma churrascaria não tem carne, meu Deus? Além disso, o atendimento foi sofrível. Uma verdadeira decepção…”

Endereço: Avenida Infante Dom Henrique, s/n – Aterro do Flamengo

Telefone: (21) 3521-2900 / (21) 3389-8989 e (21) 3521-2895 – para reservas

Leia também

Bares do Rio de Janeiro: os melhores bolinhos

Rio: 3 dicas de points grátis para ouvir música e beber

Todas as dicas de viagem para o Rio de Janeiro

 

Marcelle Ribeiro

Marcelle Ribeiro, jornalista e viajante

Já acampei de mochila, barraca e saco de dormir. Já dividi banheiro com desconhecido na Europa (mas nunca o quarto!). Já fiquei em pousadinha simples na praia, mas também já fiquei em hotelão e em all-inclusive. Não posso saber que estarei de folga num feriado que já corro para os sites das companhias aéreas. Não curto muito excursão nem city tour e gosto de decidir quando e como vou fazer os passeios que quero.

Carnaval no Rio: Veja a programação de blocos e ensaios técnicos de 2015

18 de janeiro de 2015, por Marcelle Ribeiro

Pedindo licença ao grande Neguinho da Beija-Flor: “Olha o carnaval aí, gente!”

Desde que me conheço por gente, o Rio de Janeiro é sinônimo de carnaval. Mas se durante muito tempo os blocos ficaram ofuscados pelo desfile das escolas de samba, isso mudou muito nos últimos anos.

O carnaval de rua do Rio de Janeiro voltou com força total e atrai um número cada vez maior de foliões… Em 2015, serão mais de 500 desfiles e a folia já está na rua! E é claro que eu não poderia deixar de dar as minhas dicas para quem deseja conhecer os maiores e melhores blocos da Cidade Maravilhosa. Então, anote tudo e prepare a fantasia!

Alguns blocos são muito tradicionais e são conhecidos por arrastar verdadeiras multidões. Eu adoro alguns, mas confesso que não consigo mais participar dos desfiles porque eles ficaram grandes demais. É o caso do Monobloco, que eu amo, mas não indico mais para ninguém: sobra gente e falta estrutura, o que torna a experiência bem menos agradável.

Outros famosos e que atraem grandes públicos são o Bloco da Preta, o Cordão da Bola Preta, o Suvaco de Cristo, Simpatia é Quase Amor, e o Cordão do Boitatá.

Simpatia é Quase Amor lotando as ruas de Ipanema. Foto: Marcelle Ribeiro

Simpatia é Quase Amor lotando as ruas de Ipanema. Foto: Marcelle Ribeiro

Mas nem tudo está perdido. Ainda existem muitas ótimas opções para quem curtir sem passar tanto perrengue. É o caso, por exemplo, do Fogo e Paixão, que mistura samba com música brega. Por lá, a festa é garantida com sucessos de ícones como Reginaldo Rossi e Wando.

Eu e o maridão curtindo o Fogo e Paixão no ano passado. Foto: Sabrina Andrade

Eu e o maridão curtindo o Fogo e Paixão no ano passado. Foto: Sabrina Andrade

Eu também recomendo muito a Orquestra Voadora, que mistura samba e música popular brasileira com vários estilos. São mais de 100 músicos, 20 pessoas andando em pernas de pau e acrobatas pendurados em passarelas do Aterro do Flamengo.

Acrobatas e pernas de pau fazem festa na Orquestra Voadora. Foto: Marcelle Ribeiro

Acrobatas e pernas de pau fazem festa na Orquestra Voadora. Foto: Marcelle Ribeiro

Já o Sargento Pimenta fez arranjos de samba para músicas dos Beatles. O resultado é sensacional! Um bloco diferente e que, ao contrário de muitos, não fica repetindo a mesma música o tempo todo.

Sargento Pimenta animando os foliões com a mistura de samba e Beatles. Foto: Marcelle Ribeiro

Sargento Pimenta mistura samba e Beatles para animar os foliões. Foto: Marcelle Ribeiro

Outro que me deixou curiosa foi o Bangalafumenga. Recentemente, estive na Fundição Progresso para ver um show deles e me diverti muito. A bateria é ótima e as músicas escolhidas animam qualquer pessoa!

Faça o download para a tabela com o calendário dos blocos de carnaval de rua do Rio de Janeiro no link abaixo (em Excel, separado por regiões da cidade):

Calendário dos blocos de carnaval de rua do Rio de Janeiro 2015

Mas o carnaval do Rio de Janeiro ainda mantém o título de melhor desfile das escolas de samba do mundo! Os ingressos continuam caríssimos e disputados, mas é possível acompanhar um pouco da festa sem gastar nenhum centavo: basta ir aos ensaios técnicos feitos no sambódromo.

Nos últimos fins de semana antes do carnaval, as escolas usam o sambódromo para acertar os últimos detalhes antes do desfile oficial e, nesses dias, a entrada na Passarela do Samba é gratuita. É claro que não tem os carros alegóricos e as fantasias, mas é uma grande oportunidade de ver e ouvir as baterias de perto e sentir todo o amor do carioca pelo samba.

Confira a programação dos ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí

As escolas de samba ainda moram nos corações dos cariocas. Foto: Guilherme Calil

As escolas de samba ainda moram nos corações dos cariocas. Foto: Guilherme Calil

Leia também:

As melhores rodas de samba do Rio de Janeiro

Como montar seu roteiro de viagem para o Rio de Janeiro

Leia todas as dicas para o Rio de Janeiro

 

Marcelle Ribeiro

Marcelle Ribeiro, jornalista e viajante

Já acampei de mochila, barraca e saco de dormir. Já dividi banheiro com desconhecido na Europa (mas nunca o quarto!). Já fiquei em pousadinha simples na praia, mas também já fiquei em hotelão e em all-inclusive. Não posso saber que estarei de folga num feriado que já corro para os sites das companhias aéreas. Não curto muito excursão nem city tour e gosto de decidir quando e como vou fazer os passeios que quero.

As 5 praias mais bonitas do Brasil (para mim!)

14 de janeiro de 2015, por Marcelle Ribeiro

Neste calor saárico que está fazendo no Rio de Janeiro, eu só penso em uma coisa: praia, praia, praia. Mas apesar de ser uma profunda apaixonada pelas praias da cidade maravilhosa, não são elas que mais me enchem os olhos quando eu penso nas mais belas regiões litorâneas do Brasil. Já estive em vários estados do país (Ceará, Bahia, Aracaju, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Alagoas, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Santa Catarina) e resolvi fazer aqui uma listinha das minhas praias preferidas (ela não está em ordem de beleza, ok?). É claro, a lista vai crescer, porque ainda tem um bocado de lugar que eu quero conhecer, mas quem sabe esta seleção inspira vocês a curtir outras faixas de areia? Vamos dar um mergulho?

 

Praia do Sancho – Fernando de Noronha – PE

 

Dá trabalho para chegar lá: ou você vai pelo mar (de barco), ou por terra, depois de descer uma escadinha bem bizarrinha. Não tem cadeira e, guarda-sol, nem pensar. As passagens de avião para lá estão sempre entre as mais caras do Brasil. Não é fácil chegar lá, mas a Praia do Sancho, em Fernando de Noronha, vale o investimento ($$) e o sacrifício. Eleita várias vezes como a mais bonita do Brasil, ela tem uma água azul lindíssima e é tão transparente que flutuando de snorkel você vê a vida marinha a 15 metros de profundidade. Vá, vá, vá. É imperdível.

Leia outras dicas sobre Fernando de Noronha aqui.

Praia do Sancho, em Fernando de Noronha. Foto: Marcelle Ribeiro

Praia do Sancho, em Fernando de Noronha. Foto: Marcelle Ribeiro

 

Praia de Ipioca – Maceió – AL

 

Já ouvi várias vezes pessoas dizerem que determinadas praias são “lindas igual ao Caribe”. Mas no que se refere ao Brasil, apenas uma praia realmente me fez lembrar do Caribe. Foi a praia mais bonita de Maceió, que não fica propriamente em Maceió, mas a 20km: Ipioca. E, além do mar escandalosamente lindo, a praia é puro alto astral, com barraca bacanuda (Ibiscus), gente bonita, sem muito aperto. A barraca é enorme e a única do lugar, cheia de mesas, cadeiras, redes e colchonetes transados, maca de massagem, mar lindo de verde e calmo. Enfim, nota mil.

Veja todas as dicas sobre Maceió neste post aqui.

 

Praia de Ipioca, perto de Maceió. Foto: Marcelle Ribeiro

Praia de Ipioca, perto de Maceió. Foto: Marcelle Ribeiro

 

Ilha do Campeche – Florianópolis – SC

 

Mar com água super transparente e azul sempre me emociona. E com a Ilha do Campeche, em Florianópolis, não foi diferente. A ilha é pequena e tem apenas uma praia onde o acesso a visitantes é permitido (o resto é área de preservação ambiental). Fui para lá em um lindo dia de sol de março, da única maneira possível: de barco.

A Ilha de Campeche fica em frente a uma praia de Florianópolis (que também é uma ilha) chamada Campeche, na região sul. Ao longo da faixa de areia de cerca de 1 km da praia da Ilha do Campeche, há apenas dois restaurantes com mesinhas e alguns guarda-sóis e um quiosque onde guias credenciados oferecem passeios como trilhas (algumas curtas, de 1h de duração) e mergulhos na região.

E na ilha você vai conhecer os “donos do pedaço”: os quatis, bichinhos danados que roubam comida, câmera, bolsa ou o que mais você deixar dando sopa na areia. Mas não se estresse: basta ficar de olho que é perfeitamente possível curtir o sol na praia (e é uma delícia!).

Leia tudo sobre a Ilha do Campeche aqui

Veja como montar um roteiro de viagem de quatro dias em Florianópolis aqui

 

Praia da Ilha do Campeche. Foto: Marcelle Ribeiro

Praia da Ilha do Campeche. Foto: Marcelle Ribeiro

 

Lopes Mendes – Ilha Grande – RJ

 

Eleita uma das dez praias mais bonitas do mundo pelo site de viagens Tripadvisor,  Lopes Mendes, na Ilha Grande (RJ) é um daqueles lugares que você tem que conhecer antes de morrer. Não, não tem pousada, restaurante, barraca de praia. Não tem chuveiro, não tem (pelo menos quando eu fui!) aluguel de cadeira ou guarda-sol, nem petiscos. Mas a cor da água é tão alucinantemente linda, que você fica hipnotizado.

Embora muitos guias de viagem classifiquem Lopes Mendes como uma praia “boa para surfe”, não ache que ela é cheia de ondas gigantes e que você, que não é surfista, não vai aproveitar. Lopes Mendes tem ondas sim, mas apenas em uma ponta. A outra é super tranquila, boa até para crianças. A praia é uma das mais compridas de Ilha Grande, com 2,4 km de areia branquinha. Para chegar lá, você precisa ir de barco ou fazer uma trilha de cerca de 30 minutos (saiba mais sobre ir a Lopes Mendes aqui).

Leia sobre as outras praias belíssimas de Ilha Grande aqui.

DSCN5887

Praia de Lopes Mendes, em Ilha Grande. Foto: Marcelle Ribeiro

 

 

Segunda Praia – Morro de São Paulo – BA

 

Morro de São Paulo é o meu “lugar no mundo”. Amo andar a pé pela ilha, de chinelo, nos barzinhos à noite, vendo gente bonita. Amo passar o dia na Segunda Praia, que tem o mar calminho, quentinho e azul. Tão tranquilo que tem gente que até coloca a cadeira dentro d’água e fica relaxando sentadinho no mar. Tá com fome? As barracas são restaurantes e servem refeições ali nas mesinhas da areia mesmo. Quando eu convencer o meu marido, eu me mudo para lá e abro uma pousada. <3

 

Barraquinhas e água azulzinha na Segunda Praia, em Morro de São Paulo. Foto da amiga Adriana França.

Segunda Praia, em Morro de São Paulo. Foto da amiga Adriana França.

Leia mais sobre Morro de São Paulo aqui.