Restaurantes, lanchonetes e comidas gostosas de Nova York

postado por Marcelle Ribeiro em 29/09/2013 - Atualizado em: 07/02/2019
Compartilhar este artigo:

Comer as delícias locais faz parte de todas as viagens que faço. Procuro sempre descobrir o que é típico da região e provar nem que seja uma vez as comidas que acho que posso gostar, mesmo que às vezes elas tenham ingredientes aos quais eu não estou habituada. Se eu gostei, ótimo, como de novo. Se não, pelo menos eu provei, né? Comida = cultura!

Em Nova York, eu e o maridão tivemos que ter um pouco de cuidado… para não engordar com os lanches que tanto amamos! Claro, a gente já conhecia muito da gastronomia americana, de tanto ver filmes e seriados e também porque não é difícil achar no Brasil muita coisa típica dos Estados Unidos. Mas sabe que a gente provou muita coisa diferente lá?

Eu já falei aqui dos hambúrgueres mais gostosos e fiz um post separado, porque eu AMO hambúrguer.

Procurando hotel? O Booking  tem opções para todos os bolsos. Reserve por  esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.

Mas agora vou falar de outras comidas, petiscos e guloseimas que provamos em Nova York e dar dicas de onde devorá-las. Falarei um pouquinho também dos hábitos alimentares do povo de lá.

Tá pronto para babar no teclado? 😉

 

Pensando em alugar um carro? Compare em mais de 100 locadoras com a Rentcars! Pague em reais, sem IOF e parcelado em até 12X!

Comidas de café da manhã

Se você gosta de tomar café, prepare-se: americano adora tomar café ralo e em copões gigantes. Em Nova York, eles tomam muiiiito café e há uma Starbucks em casa esquina da cidade. O café de lá pode ser inclusive gelado e cremoso. E o chocolate quente também vem num copão, mesmo se você pedir o menor. Um lanche que pode acompanhar o café é o pretzel (mas eu não gostei do pretzel do Starbucks).

20130617_194527

Café ralo e gelado com pretzel no Starbucks. Foto: Marcelle Ribeiro

Outra coisa típica de café da manhã é bagel, que é um pão salgado em forma de rosca, grande e massudo. Eles costumam abrir o bagel no meio, torrar e passar cream cheese e pasta de amendoim (peanut butter). Mas eu odiei os bagels dos hotéis em que fiquei. E detestei pasta de amendoim.

Em Nova York, várias padarias disputam o título de “melhor bagel” da cidade, mas confesso que não provei nenhum bagel além dos servidos nos meus hotéis.

Seguro saúde viagem internacional: escolha entre as melhores operadoras e pague com 5% de desconto! Atendimento 24h em português!

Waffle também é bem típico de café da manhã. Normalmente os americanos colocam geleia ou manteiga em cima. Eu adoro waffle, mas aqui no Brasil estou acostumada a comer de sobremesa, em hamburguerias, com calda de chocolate e sorvete em cima. E achei um waffle delicioso no Central Park. O cheiro já atraía a gente de longe e resolvemos fazer como os novaiorquinos: pedimos um e comemos no gramado do parque! O meu tinha calda de chocolate e nutella, e apesar da pouca quantidade de nutella e chocolate, tava bem bom. A massa é uma delícia.

DSCN5179

Barraca de Waffle no Central Park. Foto: Guilherme Calil

DSCN5188

Waffle com nutella e chocolate. Foto: Marcelle Ribeiro

No nosso hotel todo dia tinha uma variedade enorme de donuts no café da manhã. Você deve conhecer os donuts, pois aqui no Brasil as grandes cidades já têm várias lojas da Dunkin’ Donuts, a rede especializada em rosquinhas de massa doce com recheios e coberturas açucarados. Eu nunca resistia, claro! Se tivesse recheio de creme ou de chocolate então…

Maridão atacando donut com recheio de creme em Nova York. Foto: Marcelle Ribeiro

Maridão atacando donut com recheio de creme em Nova York. Foto: Marcelle Ribeiro

Comida de rua

Bateu uma fominha entre um museu e outro, no meio da rua? Se você não for daqueles muito frescos, pode provar um cachorro-quente de um dos inúmeros carrinhos de comida de Nova York. Na Big Apple, tem tanto carrinho que ouvi dizer até que a cidade promove um concurso de “melhor comida de rua”. Tem carrinho com comida de verdade, principalmente comida de “imigrante”: indiana, árabe, e outras mais esquisitas. E tem um monte de carrinho de hot-dog. Alguns  carrinhos são bem esquisitinhos, outro são mais ajeitadinhos.

Passeio guiado de 1 dia e ingressos sem fila? Contrate aqui!
20130618_074344

Carrinho de comida e lanche em rua de Nova York. Foto: Marcelle Ribeiro

O maridão, que é louco por cachorro-quente (mesmo por esses que são só pão e salsicha, sem molho!), se fartou. Aliás, hot-dog em Nova York pode ser achado em várias modalidades: pão + salsicha; pão + salsicha + queijo derretido ou pão + salsicha + chilli (um molho mexicano que parece carne moída com um pouquinho de molho de tomate). E às vezes a salsicha pode ser substituída por linguiça.

O mais gostoso que comemos foi o de uma barraquinha em frente ao Metropolitan Museum, o MET, de um sargento ferido em uma guerra. Tinha queijo derretido em cima e estava bem bom! E era super barato: pagamos US$ 5 por um cachorro-quente e duas garrafinhas de água.

DSCN5168

Maridão prestes a devorar o cachorro-quente em frente ao MET. Foto: Marcelle Ribeiro

DSCN5170

De boca cheia, em frente à barraquinha de cachorro-quente do MET. Foto: Marcelle Ribeiro

Restaurantes aprovados pela Vigilância Sanitária

Em Nova York, você pode saber se a cozinha do restaurante é limpa e se a comida está bem armazenada antes mesmo de entrar. É que todos os restaurantes são obrigados a afixar na fachada, bem grande, uma placa com a “nota” dada pela Vigilância Sanitária ao local. A melhor nota é a “A” e você vai vê-la afixada em vários restaurantes. Por isso, prefira estes! Se você perceber algum com uma placa escrita “Grade pending” é porque esse restaurante ainda não foi avaliado, não passou por vistoria da Vigilância.

DSCN5645

Restaurante nota “A”: é nesse que eu vou! Foto: Marcelle Ribeiro

Calorias no cardápio

Você vai perceber que muitos restaurantes e lanchonetes de Nova York, mesmo os de fast food, têm cardápios que mostram a quantidade de calorias dos pratos e porções. Pelo que entendi, isso é uma regra estabelecida em lei. Eu achei uma excelente ideia e levei em consideração várias vezes na hora de escolher o que ia comer.

Comida “de verdade”

Americano não liga muito para almoço. Como eu já disse aqui, eles costumam fazer um lanche rápido ou comer uma salada. Talvez por isso e pelo fato de que estávamos com a grana curta, tivemos dificuldade de achar lugares razoáveis para um almoço descompromissado. Muitas vezes a gente queria almoçar comida “de verdade” (arroz, macarrão, carne, sei lá) entre uma atração e outra, mas só achávamos restaurantes caros ou lanche. E como o dindin não estava sobrando, acabamos almoçando mais sandubas do que gostaríamos.

Uma boa pedida para comer “de verdade” são os restaurantes da rede mexicana Chipotle. Eu adoro comida mexicana, mas aviso que as refeições servidas no Chipotle são mais apimentadas do que as servidas nos restaurantes mexicanos do Brasil. O maridão é que mandou bem no Chipotle: pediu feijão, arroz, frango e salada! E nem tava apimentado! O custo também foi excelente: duas refeições + refri + água = US$ 22 no total! O ambiente do restaurante é normal, limpo e bonitinho, mas é para refeições sem grandes pretensões. Se quiser ir a um lugar mais bacaninha, esse não é o lugar. Em Nova York, há dezenas de unidades do Chipotle. Veja os endereços aqui.

Outro lugar bom e e barato é o California Pizza Kitchen, que tem massas, saladas, pizzas, sopas e sanduíches. Nós comemos uma pizza (grande!), uma limonada e uma cerveja e pagamos US$ 26,50 no total, incluindo aí as taxas e a gorjeta. Eles têm restaurantes em várias cidades dos Estados Unidos. Veja os endereços aqui.

Provando comidas diferentes

Os viciados no seriado americano Seinfeld devem se lembrar de um episódio em que o humorista Jerry Seinfeld fazia graça com o dono de uma “lanchonete” especializada em sopas. É que ele servia sopa no esquema “fast food”. Ainda na fila, o cliente tinha que ter decidido o sabor da sopa e na hora de chegar ao caixa tinha que dizer o sabor sem titubear ou mudar de ideia, pagar e ir para o lado, se não ouvia “NO SOUP FOR YOU” (“Nada de sopa para você!”). Por causa do esquema “nazista” de atendimento, o seriado apelidou o lugar de “Soup Nazi”. No primeiro momento, o dono da loja não gostou e chegou a processar o Seinfeld, mas ele acabou ficando tão famoso que abriu várias lojas de sopa.

E adivinha quem é louco por Seinfeld? O meu marido! E é claro, a gente foi provar a sopa do “nazista”. A rede, na verdade, se chama The Original Soupman. Nós seguimos a recomendação do meu primo Glauber e pedimos a sopa “Lobster Bisque”, de lagosta, um pote grande para cada. Que delícia! Eu nunca tinha comido nada de lagosta na vida, mas amei. A sopa vem com um pãozinho e matou bem a nossa fome na hora do almoço.

A unidade que nós fomos era pequena, com apenas umas cinco mesas, mas estava vazia na hora, então comemos por lá mesmo. Há quem pegue a sopa e leve para comer sentadinho no parque. Veja os endereços da The Original Soupmen em Nova York aqui. Os preços e os demais sabores das sopas você vê nas fotos abaixo (o pote grande custa entre US$ 5,99 a US$ 8,99, sem as taxas).

 

DSCN4927

As ordens “nazistas” estão na plaquinha: peça, pague e se mexa! Foto: Marcelle Ribeiro

DSCN4928

Cardápio de sopas do The Original Soupman. Foto: Marcelle Ribeiro

DSCN4924

Maridão devorando a sopa do The Original Soupman. Foto: Marcelle Ribeiro

Outra dica preciosa do meu primo Glauber que nós fomos conferir foi a lagosta do Lobster Place, no Chelsea Market, um mercado de comida cheio de restaurantes e lugares legais para almoçar ou lanchar. Nos EUA, lagosta é beeeeem mais barato que no Brasil e a gente aproveitou para provar, claro!

Pagamos uns US$ 16 por uma lagosta, sem acompanhamento. Mas, como eu já disse aqui neste post, não espere conforto nem muito menos frescuras no Lobster Place. O Lobster Place é um mercado de frutos do mar e peixes, e ao mesmo tempo tem mesinhas e balcão onde a galera pede e come. As cadeiras na bancada são disputadíssimas. É uma espécie de “fast food” sem frituras de peixes e frutos do mar. A gente pegou nossa lagosta e nosso camarão e sentou numa bancada. Delícia!

DSCN5369

Lagosta do Lobster Place. Foto: Marcelle Riibeiro

DSCN5370

A bancada onde a galera come as lagostas no Lobster Place. Foto: Marcelle Ribeiro

Chelsea Market: http://www.chelseamarket.com/ . Endereço: 75 Ninth Avenue, entre a 15th Street e a 16th Street, Nova York. Para ir de metrô, pegue as linhas A, C, E ou L para as estações 14th Street e 8th Avenue. Horário de funcionamento: De segunda a sábado, das 7h às 21h e aos domingos, das 8h às 20h.

Lobster Place: http://lobsterplace.com/. Endereço: 75 Ninth Avenue, entre a 15th Street e a 16th Street, Chelsea Market, Nova York. Para ir de metrô, pegue as linhas A, C, E ou L para as estações 14th Street e 8th Avenue. Market, Nova York. Telefone: 212-255-5672. Horário de funcionamento: De segunda a sábado, das 9h30 às 21h e aos domingos das 10h às 20h.

Doces

O doce que você não pode deixar de comer quando visitar Nova York é a cheesecake de morango do Carnegie Deli, dica da amiga Mirella D’Elia. Eu nem sou tão fã de cheesecake, nem de morango, mas esse doce é de comer rezando! Gente, que coisa do outro planeta! O Carnegie Deli é uma famosa “deli” de Nova York. As “delis” são uma espécie de restaurante que servem comida mas muitos sanduíches também. A Carnegie Deli é famosa por essa cheesecake, que custa US$ 11,99. Mas peça uma só para dividir por duas ou até três pessoas, porque a fatia é grandona. Não saia de Nova York sem ter comido essa cheesecake!

Endereço: 854 7th Avenue, esquina com a 55th Street. Abre todos os dias das 6h30 às 4h30 (mesmo que o letreiro pareça meio escuro, ela está aberta!). Menu com preços no site – http://www.carnegiedeli.com/menu.php#pg1

970865_453224874769344_425590730_n

Cheesecake do Carnegie Deli (com a pontinha já foi devorada!). Foto: Marcelle Ribeiro

Outro doce que os novaiorquinos amam é o cupcake, um bolinho que pode ter recheio cremoso e que vem sempre com uma cobertura de dar água na boca. Há várias docerias especializadas em cupcakes. Nós provamos dois. O mais gostoso foi o de um restaurante perto do nosso hotel que abre para café, almoço, jantar e brunch, que infelizmente não anotei o nome.

O outro que provei, o da Eleni’s, também era bem gostoso. O Eleni’s fica no Chelsea Market (o mesmo mercado do bairro do Chelsea onde comi a lagosta) e tem vários sabores de cupcakes, custando em média US$ 3 cada.

Muffins da doceria Eleni's. Foto: Marcelle Ribeiro

Muffins da doceria Eleni’s. Foto: Marcelle Ribeiro

Endereço do Eleni’s: Fica no Chelsea Market (http://www.chelseamarket.com/ ) – 75 Ninth Avenue, entre a 15th Street e a 16th Street, Nova York. Para ir de metrô, pegue as linhas A, C, E ou L para as estações 14th Street e 8th Avenue.

E você? Tem dicas de restaurantes, lanchonetes ou comidas gostosas de Nova York? Dá um pulinho na nossa caixa de comentários!

Veja o índice de posts sobre Nova York

 

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Comentários

  1. Mariana
    13 mar 2014

    Oi Marcelle, tudo joia?
    Eu vou pra NY em abril e estou adorando as suas dicas. Parabéns pelo blog!
    Gostaria de saber como funcionam os bares e boates de NY. A gente necessariamente precisa de uma reserva? E o pagamento? Sempre que formos comer ou beber alguma coisa pagamos direto, ou lá também pagamos a conta no fim. Muito obrigada

    • 14 mar 2014

      Oi, Mariana,
      Nos bares, em geral, você paga na hora em que recebe a bebida: pediu uma cerveja, paga a cerveja logo, quando receber. Se pedir outra, paga de novo. E sempre dá um dólar de gorjeta por drink ao garçom. Mas fui num bar em que sentamos e pedimos bebidas e só na hora de ir embora é que pagamos… Enfim, o normal é pagar na hora de pegar a bebida, mas não é necessariamente assim em todos os lugares. Não fui a nenhuma boate, não sei como é o esquema. Para bares não é necessário reserva não.
      Abs,
      Marcelle

  2. Rodrigo
    05 fev 2015

    Realmente esse hot dog em frente ao MET é demais. Inclua na sua lista de doces os cookies da Le Vain Bakery – 167 W 74th St. Surreal, vai por mim!

  3. Davis Vitor Junqueira
    21 fev 2015

    Muito obrigado pelas dicas. Estarei em NY dia 18 de Março, vou usar suas dicas, principalmente sobre os restaurantes credenciados com a Letra “A”, outra dica excelentes são os restaurantes Mexicanos.

  4. Elisabeth Leite
    24 fev 2015

    Oi, Marcelle!
    Estou achando muito interessante suas dicas, já salvei várias delas!
    Um pergunta, qual foi o hotel que vc ficou em NY, estarei chegando dia 19 Março, e pelos seus comentários no seu hotel tinha café da manhã, andei procurando hotéis e a maioria deles não tem café da manhã.
    Vc poderia informar…..
    Tks

  5. Lélis
    18 ago 2015

    Adorei suas dicas, principalmente onde comer bem e barato!!!rsrsr

  6. Rafael Parizzi
    25 jun 2016

    O Chelsea Market é ótimo, sem pre que vou a NYC passo lá. Vale muito a pena conhecer os rooftops do Hell’s Kitchen também,

  7. Teka de Paula
    24 out 2017

    Olá,
    Estou indo para Nova York, gostaria de saber qual a sua dica de onde ficar? Entre hotel e localização. Não vamos alugar carro. Dicas ótimas que você passou. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *