Indonésia – Quando ir, como chegar e dicas sobre visto e vacina

postado por Marcelle Ribeiro em 08/07/2017 - Atualizado em: 11/11/2017
Compartilhar este artigo:

Uma viagem para Bali era algo que eu nem pensava até poucos anos atrás. Eu só comecei a pesquisar o que fazer na Indonésia depois que percebi que, no período em que eu ia tirar férias, ir para a Tailândia seria um risco, por conta do período das chuvas. Eu queria tirar férias em maio, época ótima para a Indonésia, mas muito arriscada para as praias da Tailândia que eu queria ir. Pois é, estudar quando ir para a Indonésia e para a Tailândia tem dessas pegadinhas. É que o período das monções, as fortíssimas chuvas do sudeste asiático que alagam cidades todo ano, é diferente em cada lugar. Até mesmo dentro da própria Tailândia ele é diferente (na costa leste é um, na costa oeste é outro).

Templo Pura Ulun Danu Bratan, em Bali.

Templo Pura Ulun Danu Bratan, em Bali.

A Indonésia é um país incrível, com uma diversidade de passeios bem grande ao longo de suas 17 mil (!!) ilhas. A mais famosa para turistas e uma das maiores é Bali. Nós fomos lá e visitamos outra ilha também, Gili Trawangan, conhecida pelas praias incríveis. Em pouco mais de 10 dias lá, eu e o maridão escalamos um vulcão ativo, vimos lagos e templos belíssimos, tomamos banho em praias de um azul impressionante, fomos a shows de música e dança típicas, e conhecemos a realidade de um povo bem diferente do nosso. Como a cultura de lá é rica!

Vamos a algumas dicas?

 

Quando ir para a Indonésia

Não compre sua passagem antes de pesquisar qual o melhor período para ir à Indonésia. Não vá nos meses de chuva forte, pois neles chove torrencialmente dia e noite, dias seguidos. A melhor época para ir a Bali é de abril a outubro. Esse site aqui mostra a média de chuva por mês em Bali. Eu fui em maio e peguei dias excelentes. Choveu apenas durante parte de uma manhã e parte de uma tarde.

As temperaturas médias em Bali não mudam tanto. Lá sempre faz calor. A temperatura média fica perto de 30 graus Celsius, independente do mês.

Se você está pensando em ir a Gili Trawangan, ilha a 2h de Bali que tem praias com águas “azul Caribe”, fique tranquilo: a época de chuvas e a temperatura seguem a mesma lógica das de Bali. Ou seja, a melhor época para ir a Gili Trawangan é de abril a outubro também, como mostra esse site.

Reserve seu hotel em Gili Trawangan por este link do Booking (que tem o meu código) e ajude o blog.

 

Praia de Gili Trawangan, na Indonésia. Foto: Marcelle Ribeiro.

Praia de Gili Trawangan, na Indonésia. Foto: Marcelle Ribeiro.

Precisa de visto para a Indonésia?

Turistas brasileiros não precisam mais de visto para conhecer a Indonésia, se pretendem ficar lá por até 30 dias. Isso mudou há menos de 1 ano. Antes precisava. Agora basta entrar com passaporte válido por 6 meses. Ao sair do avião, você vai pegar a fila da imigração, como todo mundo. Os oficiais de imigração praticamente não fazem perguntas em Bali para os turistas. Apenas olham o passaporte e carimbam, dando o que eles chama de Visa-on-Arrival (saiba mais no site oficial de turismo do governo da Indonésia). Mas mesmo assim, as filas na imigração são enormes!! Chegamos a passar mais de 1h nela, tanto ao chegar em Bali quanto quando fomos embora. Prepare a paciência!!

 

Precisa de que vacinas para a Indonésia?

Você deve estar vacinado contra a Febre Amarela para viajar para a Indonésia. Não que eles exijam o comprovante internacional de vacinação na chegada. Mas é uma recomendação do Itamaraty brasileiro, porque o risco de pegar essa doença é alto.

Também são bem comuns lá:

– Malária – Dependendo da ilha que você vai visitar, há o risco. Mas não há vacina contra malária. Apenas alguns medicamentos preventivos, que causam tantos efeitos colaterais (como propensão a queimaduras com o sol) que muitos médicos nem recomendam usar. Não usei.

– Raiva – É uma doença muito comum em Bali, por causa da grande quantidade de cachorros com saúde debilitada pelas ruas. Pode ser transmitida também por macacos. E olha que lá tem muitos macacos menores que pulam nas pessoas para roubar comida. Minha médica no Brasil recomendou tomar a vacina pré-exposição de raiva e eu tomei as 3 doses antes de viajar, em posto de saúde no Rio de Janeiro.

– Hepatite A – Comum por causa da má qualidade de higiene na manipulação dos alimentos na Indonésia de maneira geral e porque muitas vezes os alimentos não são irrigados corretamente nem lavados. Tomei essa vacina em clínica particular no Rio.

– Febre tifóide – Comum em alguns lugares mais de floresta e vegetação mais densa. Não tomamos pois nossa médica não achou necessário.

 – Tríplice viral (caxumba, rubéola e sarampo) – É sempre bom mantê-las em dia, porque aqui no Brasil essas doenças ainda circulam.

– Tétano – Também sempre bom manter em dia.

Já tem seguro de saúde internacional? Faça pela Mondial por esse link e ganhe desconto

 

Floresta dos Macacos, em Ubud, Bali. Foto: Marcelle Ribeiro.

Floresta dos Macacos, em Ubud, Bali. Foto: Marcelle Ribeiro.

Como chegar a Bali

Não há vôos diretos do Brasil para a Indonésia. Você pode pegar um que tenha escala nos Emirados Árabes ou na Europa. Eu voei de Emirates, uma das maiores companhias aéreas do mundo, com sede em Dubai, nos Emirados Árabes. Aproveitei que eles não cobram a mais para fazer uma parada de 3 dias em Dubai e conheci a cidade.

Aliás, essa é a dica mais importante: quando for a Bali, tente pegar um voo com stopover em um lugar no meio do caminho. Ou seja, aproveite e conheça outro país a caminho de Bali. É ótimo para descansar e já ir se acostumando à diferença de fuso horário.

Na ida, nos voamos por 13h do Rio de Janeiro a Dubai, num voo direto. Passamos 3 dias em Dubai (veja todas as dicas de Dubai aqui). Depois, seguimos com a Emirates direto de Dubai para Bali, num voo que durou 9h. Na volta, vacilei e marquei um voo sem stopover. Foram 9h de Bali a Dubai + 2h de escala dentro do aeroporto de Dubai + 14h de Dubai para o Rio. Ou seja, 25h!!! Super cansativo, mesmo com as mil opções de filme que a Emirates tinha no avião.

Pagamos R$ 4.400 por pessoa na passagem. Caro, né? Mas esse é o preço médio, pago 4 meses antes da viagem. A vantagem é que a Emirates parcela em 10x pelo site deles. Se eu tivesse tido paciência de esperar promoções, poderia ter pago uns R$ 3500. Mas não é tão comum surgirem promoções de passagens do Rio para Bali. O mais comum é para a Bangcok, na Tailândia. Ou seja, se você está pensando em combinar esses dois países, compre a passagem Brasil-Tailândia-Brasil e depois compre o trecho Tailândia-Indonésia-Tailândia, pois há mais chances de encontrar bons preços.

 

Voar de uma ilha para a outra na Indonésia é seguro?

Eu li em vários lugares que as empresas aéreas da Indonésia não são muito seguras. Há muitos acidentes aéreos, mesmo entre as maiores. Algumas inclusive são proibidas de voar no espaço aéreo europeu. E o panorama é pior se você pretende voar para uma ilha pequena da Indonésia. Nestes casos, muitas vezes só rolam aqueles aviões pequenininhos. Me dá medo só de pensar. Por isso é que descartamos voar de uma ilha para a outra e preferimos focar nossa viagem em Bali, que é mais famosa e diversificada, e em Gili Trawangan, para onde fomos de lancha rápida a partir de Bali.

Quando fomos para a Cingapura a partir de Bali voamos e Air Asia, uma low cost super famosa e bem renomada que voa pela Ásia toda (e também para a Europa).

 

Reserve seu hotel em Ubud, na ilha de Bali por este link do Booking (que tem o meu código) e ajude o blog.

Já tem seguro de saúde internacional? Faça pela Mondial por esse link e ganhe desconto

 

 

Leia também:

Tudo que você precisa saber para planejar uma viagem à Indonésia

Indonésia: Como chegar a Nusa Lembongan e Ceningan e o que fazer

Indonésia: Onde ficar e onde comer em Nusa Lembongan

Mais fotos e curiosidades da Indonésia no nosso Facebook (https://www.facebook.com/viciadaemviajar/), Instagram (https://www.instagram.com/viciada_em_viajar) e Twitter (https://twitter.com/viciadaemviajar)

Compartilhar este artigo:
Publicado por Marcelle Ribeiro

Jornalista, baiana, mas há mais de 20 anos moradora do Rio de Janeiro. Nos seus mais de 30 anos de vida, já viajou sozinha e acompanhada. Casada com o Guilherme, petlover e viciada em pesquisar novos destinos.

Comentários

  1. Pingback: Viciada em viajar | Indonésia: Passeio para escalar o vulcão Batur, em Bali - Viciada em viajar

  2. Pingback: Viciada em viajar | Onde ficar em Bali: hotéis nas melhores praias e no interior - Viciada em viajar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *