Istambul em 48h – As dicas do meu cunhado

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 16/09/2019
Compartilhar este artigo:

O meu cunhado e colaborador especial, Gustavo, mandou o segundo post sobre a viagem de um mês que ele fez com três amigos na China, com uma parada em Istambul, na Turquia, a primeira cidade visitad. Neste post, ele explica como foi a visita a Istambul e dá dicas para nós.
Olha o que ele conta:

“Dando seqüência à minha série de posts, falarei hoje sobre Istambul, lembrando que como só tínhamos praticamente 1 dia e meio na cidade. Tentamos fazer o maior número de passeios possíveis.

Depois da saída de São Paulo, chegamos a Istambul às 17:30 do dia 1/11/11 no Aeroporto de Ataturk. O aeroporto é muito bom, grande, limpo, mas levou um tempinho pra conseguirmos pegar as malas na esteira (não sei o porquê, pois não tinham muitos voos chegando na mesma hora do nosso).

Procurando hotel? O Booking tem opções para todos os bolsos. Reserve por esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.

Depois da espera pelas malas, seguimos as placas indicando a estação do metrô que fica dentro do aeroporto. Como é o final da linha, é muito tranqüilo de se achar. É fácil comprar os tickets, que se chamam Jeton, em várias máquinas na entrada da estação. Esses Jetons servem pra todos os meios de transporte de Istambul. (Acho que custavam 2 Liras turcas).

Aqui cabe uma dica: Muita gente fala que é possível pagar com euros na Turquia, mas, fora um restaurante em que jantamos, em nenhum lugar foi possível pagar em euros, só em moeda local, que é mais ou menos 1:1 com o Real. Então, é melhor trocar um pouco de dinheiro no aeroporto.

Nosso hostel (Paris Hostel) ficava no bairro de Sultanahmet, que é onde ficam as principais atrações turísticas da cidade. Para chegar lá, seguimos no metrô até a estação de Aksaray, saltamos e fomos andando até a estação de Tram (espécie de trem urbano) de Yusufpasa (seguindo a dica do guia Lonely Planet). É tranqüilo de chegar, tem várias placas indicando o caminho. Seguimos no Tram até a estação de Cemberlitas, que era a mais próxima do nosso hostel. (Tem uma estação chamada Sultanahmet, mas ela fica no Hipódromo, próxima às atrações, e não valia a pena saltar lá, pois nosso hostel ficava no meio do caminho entre as duas).

DESCONTO DE 5% no Esquenta Black Friday para aluguel de carro na Rentcars, com o cupom NOVEMBER. Vale até 30/11, com retirada do carro até 31/12! Compare preços de várias locadoras!

O hostel em si foi bastante razoável pelo preço que pagamos. A localização era ótima, o quarto era limpo, o pessoal da recepção falava bem inglês, e tinha café da manhã incluso. Os pontos contra foram: as camas (um pouco duras pro meu gosto), não tinha elevador (o nosso quarto era no 6º andar) e o quarto não tinha aquecimento (pra mim não foi um ponto contra pois tinha cobertas bem confortáveis, mas a ala feminina da viagem reclamou de frio).

Na mesma noite da chegada, saímos para jantar e andamos no Hipódromo, que é onde ficam as principais atrações. Claro que todas estavam fechadas à noite, mas o lugar é bem bonito e tranqüilo de andar sem medo.

Em relação aos restaurantes, em novembro eles fecham cedo, tipo 21h, no máximo 22h, e existem várias opções com preços entre 15 e 35 liras turcas que atendem bem aos diversos tipos de viajantes (gastadores ou mochileiros). Uma dica é comprar água no supermercado, porque é muito mais barata que em qualquer lugar (uma garrafa de 500ml sai por 0,35 centavos enquanto no hotel ou em vendedores de rua pode chegar a 1 ou 2 liras, às vezes até mais).

Black November até 21/11! Seguro saúde viagem internacional: escolha entre as melhores operadoras e pague com 15% de desconto com o cupom BLACK! Atendimento 24h em português!

Depois de ver os lugares à noite decidimos pelo seguinte roteiro: (levando em conta que iríamos pegar o voo pra Hong Kong no 3º dia)

2º dia – Palácio Topkapi + Hagia Sofia + Cisterna de Yerebatan + Blue Mosque + Gran Bazzar + Galata Tower

Os quatro primeiros são muito próximos, dá pra fazer tudo a pé. No Bazzar dá pra chegar a pé, mas não vale a pena. Melhor ir de Tram (um trem urbano) e saltar na estação Beyaz?t-Kapal?çar??. Para ir para a Tower, tem que pegar o Tram e saltar na estação Karakoy e depois disso subir um bocado de ladeiras pra chegar.

Passeio guiado de 1 dia e ingressos sem fila? Contrate aqui!

Decidimos também tomar o famoso banho turco nessa noite já que não teríamos outra oportunidade. Próximo do nosso hostel ficava uma famosa casa de banhos: Cemberlitas Hamami.

3º dia – Palácio Dolmabahçe + Aqueduto de Valens + o que desse tempo de fazer depois.

Nesse primeiro momento, não sabíamos que o Palácio Dolmabahçe não abre às segundas e quintas-feiras e nosso 3º dia era uma quinta-feira. Quando descobrimos, resolvemos mudar os planos do dia e fizemos um cruzeiro pelo Bósforo, fomos ao Aqueduto e conhecemos o Museu de Arqueologia, que fica do lado do Palácio Topkapi.

Vou fazer um breve comentário sobre cada um deles com algumas dicas do que eu achei legal:

Palácio Topkapi – Foi o lugar que eu achei mais interessante. O Palácio é enorme, com várias construções diferentes cheias de azulejos. A entrada custa 20LT e tem uma entrada para o harém que custa 15LT. Eu acho que é sempre válido conhecer todos os lugares quando viajo e o harém é bem legal, mas alguns de meus amigos não acharam que valeram a pena os 15 extras.

Até dia 30/11/19 tem 20% de desconto do chip internacional para celular. Saia do Brasil já com internet. Clique aqui e use o cupom NOVEMBER.
DSCN1978

Palácio Topkapi. Foto: Gustavo Calil

 

Hagia Sophia – É bem rápida pra visitar. Vale a pena ir ao segundo andar pelos mosaicos que são interessantes e pra aqueles que são mais altos dá pra tirar umas fotos da Blue Mosque, que fica em frente, pelas janelas do lado direito. O legal é que poucas pessoas tem foto nesse ângulo.

DSC_0206

Hagia Sofia. Foto: Gustavo Calil

Cisterna de Yerebatan – Muito Bom. Ande até o final pra ver as colunas que tem a base no formato da cabeça da Medusa. São duas. Cuidado com a máquina, por causa das goteiras.

Blue Mosque – Apesar de não aparecer em nenhum guia, a mesquita tem horários de visitação. Chequem a placa na entrada. Na saída tem um balcão de doações para manutenção da mesquita (a entrada é grátis) onde eles te dão um comprovante de cor diferente conforme o valor doado. Quem não gosta de andar descalço, lembre de levar uma meia, porque temos que tirar os sapatos para entrar.

Gran Bazzar – Para os que gostam, é possível achar tudo no Bazzar, mas os preços são iguais ou até maiores do que nas lojas de rua em alguns casos. Lembre-se de barganhar sempre. Eu não achei graça principalmente porque as coisas que me interessaram estavam com preços muito caros, mas vale uma visita pelo menos para conhecer.

Galata Tower – Fui durante a noite. A vista é legal, mas não achei que compensa as 10LT para subir. Como eu já disse, acho que é sempre válido conhecer todos os lugares quando viajo então…

Cemberlitas Hamami – Essa casa de banhos turcos é um passeio interessante, principalmente para quem andou o dia inteiro (como nós). Homens e mulheres ficam em lugares separados. Existem 3 opções de banho, que eu vou chamar de Simples, Tradicional e Superior (tem uma placa em inglês dizendo o nome e o que está incluído em cada um, mas não me lembro os nomes de cada). No Simples, você mesmo toma seu banho num local que é como uma sauna gigante feita de mármore. No Tradicional, uma pessoa te dá o banho de espuma (inclusive com uma bucha pra fazer uma esfoliação) e faz uma massagem simples. No Superior, você é levado para um local pra fazer uma massagem com óleos relaxantes. Optei pelo tradicional pelo custo x benefício.

Cruzeiro no Bósforo – Fuja das pessoas que te abordam no meio da rua. Se você for direto no barco (alguns anunciam com microfone), vai pagar mais barato. Já me perguntaram sobre pegar a barca que atravessa de um lado ao outro do Bósforo, mas o cruzeiro é melhor porque passa em vários lugares e nem é muito caro (paguei 10LT).

Aqueduto de Valens – Se você conhece os Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro, é quase a mesma coisa. Mas o da Lapa é mais bonito!

Museu de Arqueologia – Não tivemos muito tempo para visitar, mas deu pra ver que o museu é parada obrigatória. Muito legal e com várias peças interessantes de diferentes épocas, o museu tem vários andares e pavilhões diferentes.

Claro que faltou muito para conhecermos em Istambul. Um casal que conhecemos durante o cruzeiro no Bósforo indicou o Spice Market para uma visita dizendo que valia muito a pena, mas esse vocês terão que conferir sozinhos, hehehe.

Leia também:

Compartilhar este artigo:

Comentários

  1. 06 jul 2012

    Oi Marcelle, gostei bastante do seu post. Queria tirar uma dúvida com vc. Vi que foste no banho turco e comentas sobre os preços. Por acaso vc lembra quanto custava ,aproximadamente, a versão mais simples do bagno no local onde foste? Abraços

  2. 07 jul 2012

    Olá, nos próximos dias farei um post completinho sobre o banho turco, ok? Fui no Cemberlitas e ameeeeei. Custou mais ou menos uns 70 reais.
    Abs,
    Marcelle

  3. Eu
    15 jul 2012

    Marcelle,

    O banho turco custa 50 euros, a versão tradicional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *