Rio de Janeiro: A bela vista da trilha do Pico da Tijuca

postado por Marcelle Ribeiro e atualizado em: 26/06/2019
Compartilhar este artigo:

Segundo ponto mais alto da cidade do Rio e Janeiro, o Pico da Tijuca, com 1.021 metros de altitude, fica atrás apenas do Pico da Pedra Branca, que tem 1.025 metros. Não é exatamente moleza alcançar o topo deste que é o mais alto ponto do Parque Nacional da Tijuca, que reúne muitas belezas. Mas compensa: do alto do Pico da Tijuca o visitante pode apreciar uma vista muito bonita, da Mata Atlântica exuberante, das Pedras da Gávea e Bonita (que são outras duas atrações do Parque Nacional da Tijuca), da Ponte Rio-Niterói e principalmente da zona norte da cidade, com os estádios Engenhão e Maracanã.

 

A Pedra da Gávea, a Pedra Bonita e as praias da zona oeste vistas do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

As pedras da Gávea e Bonita e a zona oeste vistas do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle

Me sentindo cheia de paz no meio de tanta árvore. Foto: Gustavo Calil.

Me sentindo cheia de paz no meio de tanta árvore. Foto: Gustavo Calil.

 

Procurando hotel? O Booking tem opções para todos os bolsos. Reserve por esse link, que tem o meu código, e ajude o blog.
A zona norte vista do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro.

A zona norte vista do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro.

Vista panorâmica do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

Vista panorâmica do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

 

Estive lá com a família há duas semanas e encontrei muitos turistas gringos na trilha. O calor era grande, é verdade, mas praticamente durante todo o percurso as árvores protegem os visitantes do sol. É um programa bacana para quem quer ver o Rio de um ângulo diferente e se exercitar.

A melhor maneira de ir é de carro, porque você vai economizar “pernas” e evita andar mais do que o realmente necessário. Se você for de ônibus, o coletivo vai te deixar na praça Afonso Vizeu, no Alto da Boa Vista. De lá você vai ter que caminhar até a entrada do parque e até uma área dele chamada Bom Retiro, por uma estradinha asfaltada interna por onde os carros circulam. Só essa caminhadinha até o Bom Retiro, dizem, já leva 1h para ser percorrida. Nós fomos de carro e estacionamos no Bom Retiro. A partir do Bom Retiro, levamos 1h10 para fazer o trecho de ida da trilha, que tem 2.800 metros até o topo e cujo grau de dificuldade é classificado como moderado pelo parque. Nosso grupo incluía jovens sedentários e fomos sem guia (como a maior parte dos visitantes).

DESCONTO DE 5% no Esquenta Black Friday para aluguel de carro na Rentcars, com o cupom NOVEMBER. Vale até 30/11, com retirada do carro até 31/12! Compare preços de várias locadoras!

Achei a trilha tranquila, porque havia poucos trechos íngremes. Não é do tipo “escalaminhada”, você não vai precisar das mãos, de cordas, nada disso. Levamos 1h para descer de volta até o estacionamento.

Trilha do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

Trilha do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

foto 5

Trilha do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

O percurso é bem sinalizado, seguro e não há perigo de se perder. Na entrada da trilha, no Bom Retiro, há uma bica para molhar o rosto, mas a água não é potável (e não vi ninguém vendendo água lá). Um guarda florestal anota o nome de um dos integrantes do grupo e o número de pessoas que estão subindo, para ter controle de quantos visitantes estão lá. É importante levar água geladinha e repelente (há mosquitos mesmo!! e olha que eu não costumo atraí-los).

A parte mais chatinha da trilha é uma escadaria “esculpida” na rocha do topo do pico. À primeira vista ela pode assustar, mas não tem perigo e é tranquilo de subir. E eu achei a vista dos primeiros degraus mais bonita até que a proporcionada do alto do pico propriamente dito (onde a vegetação cobre boa parte da paisagem).

Escadaria na rocha da Trilha do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

Escadaria na rocha da Trilha do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

foto 1 (1)

Escadaria na rocha da Trilha do Pico da Tijuca. Foto: Marcelle Ribeiro

O início da trilha para o Pico da Tijuca é o mesmo que leva a outro pico do Parque Nacional da Tijuca, o Bico do Papagaio, que ainda não conheci. Os parentes que foram aos dois picos disseram que o do Bico do Papagaio é mais bonito que o Pico da Tijuca, pois as praias da zona oeste são avistadas com mais beleza, enquanto no Pico da Tijuca a paisagem é principalmente dos prédios e construções da zona norte (também se vê a zona oeste e uma pontinha de praias, mas a zona norte é que domina). Só que a trilha para o Bico da Tijuca apesar de ser mais curta (2.345 metros de comprimento, só de ida), é mais puxada (nível de dificuldade considerado difícil pelos administradores do parque).

Comparando com outra atração do Parque Nacional da Tijuca que visitei, a Pedra Bonita, no bairro de São Conrado (leia sobre o passeio para a Pedra Bonita  e entenda como está organizado o Parque Nacional da Tijuca aqui), também achei que o Pico da Tijuca perde no quesito beleza, mas mesmo assim curti bastante o passeio. Pena que não deu tempo de tomarmos banho na Cachoeira da Almas, que fica a 3km da entrada do parque (mas não fica no percurso até o Pico da Tijuca). Mais um motivo para eu voltar lá!

Pico da Tijuca

Endereço: O Pico fica no Setor Floresta da Tijuca do Parque Nacional da Tijuca. Entrada na Praça Afonso Vizeu, no Alto da Boa Vista. Acesso pela Estrada do Alto, tanto vindo da Tijuca (pela Av. Edson Passos) quanto da Barra da Tijuca e do Itanhangá (pela Estrada das Furnas).  As linhas de ônibus 301, 333, 308, 309 e 345 levam até a Praça Afonso Vizeu.

Horário de funcionamento: Abre todos os dias, inclusive feriados (até no Natal e Ano Novo), das 8h às 17h (até às 18h durante o Horário de Verão).

Telefones: (21) 2491-1700/ 2492-2252 / 2492-2253.

Preço: Grátis.

 

Leia também: 

Compartilhar este artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *