Pedra do Telégrafo (RJ): O que você PRECISA saber sobre a trilha

postado por Marcelle Ribeiroe atualizado em: 03/09/2020

De tantas trilhas no Rio de Janeiro que já visitei nestes mais de 20 anos que moro na cidade, a da Pedra do Telégrafo é certamente uma das mais famosas. Ela ficou famosa pelas fotos com ilusão de ótica que fazem sucesso nas redes sociais e, que, consequentemente, geram fila e tudo para poses! Porém, mesmo que você não queira esperar para tirar as tais fotos, saiba que esta está entre as trilhas do Rio de Janeiro mais bonitas, na minha opinião! Confira todas as dicas no post (índice abaixo)!

Onde fica
Como ir
Dificuldade
Tempo de trilha
Quantos km tem?
Altura
Valor
Está aberta? Horário de funcionamento
Como é a trilha (fila, guia, truque de ilusão de ótica)?
A trilha é perigosa?
Origem do nome da pedra
O que fazer depois da trilha
Onde comer

pedra do telégrafo

Pose na pontinha da Pedra do Telégrafo. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pedra do Telégrafo – Onde fica

Para quem me pergunta onde fica a pedra do telegrafo, eu respondo: longe. rsrsrs. Fica no bairro de Barra de Guaratiba, no extremo da Zona Oeste do Rio de Janeiro. Para vocês terem ideia, de Copacabana de lá de carro a “viagem” dura 1h20 e, de transporte público, 3h20.

A Pedra do Telégrafo, também chamada de Morro de Guaratiba, faz parte do Parque Estadual da Pedra Branca.

A melhor referência para seu GPS ou Google Maps é colocar na parte de endereço de destino a Rua Almirante Carlos Tinoco, em Barra de Guaratiba. Essa rua começa logo após o nº 9.885 da Estrada Roberto Burle Marx, um pouco antes de chegar à Praia da Barra de Guaratiba.

Suba a pé a Rua Almirante Carlos Tinoco, que é uma ladeira bem íngreme, até o nº 385, onde continuará a subida pela Rua Chico Buarque de Holanda. Esta rua também é inclinada, e depois de 450 metros caminhando nela você verá o início da trilha à direita, em uma entrada larga na mata.

É sempre bom lembrar…

Não custa lembrar que o ideal é fazer trilha com um sapato apropriado, seja um tênis ou uma botinha de trekking. A gente sempre recomenda o site da Amazon para acessórios de vários tipos, entre eles botinhas de trilha e calças legging. E como as trilhas do Rio de Janeiro são em sua maioria bem descampadas, é uma boa você ir de boné ou viseira.

Pedra do Telégrafo  – Como ir

Como ir de Copacabana à Pedra do Telégrafo? Eu estou citando apenas Copacabana porque é o bairro em que a maioria dos turistas se hospedam no Rio de Janeiro. Mas você verá que as instruções abaixo são facilmente adaptáveis a outros bairros.

De passeio com guia

A maneira mais fácil de chegar até a trilha da Pedra do Telégrafo é contratando um passeio com guia, porque eles pegam você no seu hotel na Zona Sul e te deixam de volta. No site Viator, parceira aqui do blog, tem um passeio de dia inteiro com guia e transfer que ainda inclui uma parada na volta na deliciosa praia de Grumari e almoço por R$ 130 por pessoa. Dá para reservar online e ver a opinião de quem já fez.

É um bom preço especialmente se você está sozinha ou com um grupo muito pequeno, que não valha a pena alugar um carro ou rachar um Uber.

mulher sentada pedra do telégrafo

Admirando as praias da região. Foto: Ticianne Ribeiro.

De carro alugado ou próprio

Como ir à trilha do Telégrafo de carro? O caminho não é difícil nem perigoso. Coloque no Google Maps “Rua Almirante Carlos Tinoco, Barra de Guaratiba” na parte de endereço de destino. Antes de chegar lá, você vai ver um quartel do Corpo de Bombeiros. Você já deve ficar atento a vagas de estacionamento ali.

Meu grupo decidiu estacionar o carro num ponto já no meio da ladeira que dá acesso à trilha e até encontrarmos o estacionamento desejado, demorou um pouco. Ok, nos poupou alguns km de subida sem graça pela ladeira. Contudo, por outro lado fez a gente demorar mais para chegar lá, pois demoramos até achar o tal estacionamento.

Se eu fosse novamente, deixaria o carro nos estacionamentos lá de baixo, perto da praça da Praia Grande mesmo., porque é mais fácil. Para parar onde nós paramos, a subida é super íngreme, e foram momentos tensos sem saber se o carro conseguiria subir. Por outro lado, achar os estacionamentos na parte de baixo é fácil, você vai ver um monte de gente e placa na rua anunciando.

Logo após estacionar, basta seguir as instruções que dei acima para achar o início da trilha (procurar a Rua Almirante Carlos Tinoco).

De Uber

Para a Pedra do Telégrafo, Uber é uma boa opção? Considerando que você está hospedado em Copacabana, espere pagar R$ 115 por trajeto (ida) e mais o mesmo valor para retornar.Em resumo, não vale a pena. Por R$ 230 (ida e volta do Uber) você aluga um carro por um dia e ainda tem liberdade para conhecer alguma outra atração no dia e sair à noite (já que a diária é de 24h).

De ônibus e transporte público

Pegue o metrô até a estação Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca. Ali, você vai colocar em prática as instruções sobre como ir à Pedra do Telégrafo de ônibus e verá que é bem demorado, apesar de ter que usar o BRT, serviço “rápido” de ônibus, que circula numa faixa especial das avenidas do Rio de Janeiro.

Como eu disse, de metrô mais ônibus, você não leva menos de 3h20 de Copacabana até lá. São nada menos que 50km de distância.

Logo após chegar à estação BRT do Jardim Oceânico (sim, tem o mesmo nome da estação do metrô), pegue o ônibus BRT 18 Recreio até a estação Notre Dame, onde você vai pegar o BRT da linha 27 Mato Alto e vai saltar na estação Ilha de Guaratiba. Depois, ande um minuto até a Estrada da Ilha próximo ao número 500 e, em seguida, pegue o ônibus da linha 874 Marambaia até a Estrada da Barra de Guaratiba perto do número 9547.

Na sequência, basta seguir as instruções que dei acima para achar o início da trilha (procurar a Rua Almirante Carlos Tinoco).

Trilha Pedra do Telégrafo | Dificuldade

Qual o nível de dificuldade da Trilha do Telégrafo? Médio, pois tem algumas subidas.

trilha pedra do telégrafo

Trilha com subida. Foto: Marcelle Ribeiro.

Pedra do Telégrafo | Tempo de trilha

Uma pessoa não completamente sedentária completa a trilha em 1h a 1h30 (só de ida).

Quantos km de trilha na Pedra do Telégrafo?

Cerca de 2km (só de ida).

Altura

A pedra fica a 354 metros de altura do nível do mar.

Pedra do Telégrafo | Valor

Não se paga entrada para fazer a trilha da Pedra do Telégrafo. A entrada é grátis e não há nenhuma portaria com qualquer tipo de controle.

A trilha do Telégrafo está aberta? Horário de funcionamento

A trilha do Telégrafo está sempre aberta, porque não tem nenhum controle de portaria, guarita, nem nada. É só subir.

Como é a trilha

Pedra do Telégrafo: fila maior do que você imagina!

Antes mesmo de falar como fazer a trilha do Telégrafo, vou dar a dica mais importante: acorde bem cedo, para começar a trilha às 8h no máximo. É que a pedra é famosa porque dela dá para tirar fotos com um efeito de ilusão de ótica, em que se tem a sensação de que as as pessoas estão se jogando lá do alto da pedra, ou penduradas, pela maneira como elas se posicionam na pontinha da pedra e pelo ângulo da fotografia.

A trilha, aliás, ficou famosa justamente porque este tipo de foto com este “truque” bombou nas redes sociais como Instagram. Em consequência, a fila de espera para tirar a tal fotografia passa de 1h em dias de sol e feriado. Quanto mais cedo você chegar, melhor. E qual o melhor dia para ir? Evite finais de semana e feriados.

fila pedra do telégrafo

Fila para tirar foto na pedra. Foto: Marcelle Ribeiro.

Precisa de guia para fazer?

A trilha é bem sinalizada, com placas. Depois de andar um pouco, você tem 2 opções na trilha: seguir as placas para a Pedra do Telégrafo ou para as praias selvagens (são várias). Nós primeiro subimos para a Pedra. Levamos entre 1h e 1h30 até lá, numa caminhada que teve vários momentos de subida obviamente, de esforço médio. Eu, que sou semi-sedentária, dei conta numa boa. A trilha é limpa, sem muitas pedras e não foi preciso usar as mãos. Boa parte dela é coberta, então o sol não incomodou muito.

Chegando lá, por volta das 10h, já havia umas 50 pessoas esperando para tirar a tal foto “brincando” de pular da pedra, de ilusão de ótica. A espera passava de 1h. Tem até um fotógrafo que fica o dia inteiro lá, tirando fotos das pessoas (2 por 10 reais), imprimindo na hora, com direito a equipamento profissional e tudo. O cara sabe todas as poses legais e divertidas de fazer e boa parte das pessoas estava contratando ele.

Não acho que seja necessário contratar guia para fazer a trilha. Contudo, eu não recomendo a ninguém fazer trilha sozinho, porque sempre pode acontecer um acidente.

A gente não teve saco de esperar para a tal foto com truque de ilusão de ótica, até porque a fila rola numa área sem sombra e o sol estava de rachar. Vi que a outra ponta da pedra, em que não é possível fazer a brincadeira, estava com 2 ou 3 pessoas apenas, terminando de tirar fotos. A vista dali é incrível.

Qual o segredo das fotos na Pedra do Telégrafo?

O truque da ilusão de ótica está no ângulo da foto, que é tirada de modo a mostrar apenas a pontinha da Pedra do Telégrafo com o mar e a mata ao fundo, de baixo pra cima. Na realidade, a pedra onde os turistas ficam é super baixinha e pequena e tem várias outras pedras lisas embaixo.

realidade pedra do telégrafo

Na parte de baixo da foto, pessoa posando na pedra: realidade. Foto: Marcelle Ribeiro.

pose casal pedra do telégrafo

Pose de casal na pedra. Foto: Marcelle Ribeiro.

A trilha do Telégrafo é perigosa?

Não. As ruas que dão acesso ao início da trilha têm algumas casinhas simples habitadas, mas não me pareceu exatamente uma favela e não vi indícios de crime organizado ou milícia ali. Também não me lembro de ter lido nada sobre assaltos na trilha nem de tiroteios na região.

Meu grupo tinha 4 mulheres e nenhum homem e nos sentimos seguras, até porque a trilha é bem movimentada.

Além disso, no quesito “segurança em relação a acidentes” também considero a trilha do Telégrafo segura, porque não requer nenhum tipo de escalaminhada ou escalada nem tem trechos de despenhadeiro perigosos.

Origem do nome

O nome oficial da Pedra do Telégrafo é Morro de Guaratiba. Contudo, o nome “telégrafo” provavelmente foi dado porque, durante a Segunda Guerra Mundial, foi instalado ali um posto avançado, com rádio, para observação de submarinos inimigos e prevenção de ataques às embarcações brasileiras.

 O que fazer depois da trilha

Depois de fazer a trilha do Telégrafo, você pode aproveitar e ir conhecer uma das praias selvagens de Barra de Guaratiba, até porque parte da trilha é a mesma que vai para a pedra. Como quando eu fui estava num grupo só de meninas, optamos por ir à praia do Meio, que nos disseram que era a menos remota. Além de nós, só vimos umas 10 pessoas no tempo que passamos lá, num feriado.

Da Pedra até a Praia do Meio levamos cerca de 1h30 de caminhada. A trilha é em parte de descida e em parte plana. Ou seja, super tranquila. No caminho encontramos com dois grupos grandes de pessoas, inclusive com guia.

A praia do Meio é linda demais! Areia branquinha, Mata Atlântica em volta, um mar forte, mas possível de tomar banho. Puxa bastante, é verdade, mas mesmo assim deu para tomar banho sem nenhum percalço. Não tinha nenhum vendedor de nada, um silêncio incrível. Além disso, achamos um pedacinho em que a mata fazia sombra na areia, o guarda-sol nem fez tanta falta.

Da praia do Meio para o estacionamento caminhamos cerca de 1h30.

praia do meio barra de guaratiba

Praia do Meio, em Barra de Guaratiba. Foto: Marcelle Ribeiro.

Onde comer após fazer a trilha da Pedra do Telégrafo RJ

Para concluir o dia, almoce no restaurante Tia Penha, em Barra de Guaratiba, que é especializado em peixes, como os demais da região. É enorme, até ajeitadinho, com banheiro limpinho, e ventiladores. A comida é bem gostosa. Entretanto, não espere preços baratinhos. O mais em conta é o PF de peixe frito com feijão, arroz e salada, que estava uns R$ 35. Pedimos pastéis de entrada e depois um peixe com molho de camarão, que serve 3 a 4 pessoas e a conta ficou uns R$ 60 a R$ 70 por pessoa.

O restaurante fica na Estrada Burle Marx, 10.815, em Barra de Guaratiba. Fica aberto de terça a domingo, de 11h às 17h30.

restaurante tia penha pedra do telégrafo

Restaurante da Tia Penha, em Barra de Guaratiba. Foto: Marcelle Ribeiro.

Leia também:

Comentários

  1. 29 Maio 2018

    Marcelle,
    Seu post está bem explicativo. A Pedra do Telégrafo é um achado que precisamos cuidar com carinho. Da última vez que estive por lá, eu vi lata de cerveja no caminho da trilha e isso me deixou bem triste.

  2. Pingback: Passeios no Rio de Janeiro: 15 melhores passeios na Cidade Maravilhosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *